Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Pecuária Sustentável da Amazônia é a revelação do Prêmio Época Empresa Verde
Pecsa ganhou na categoria especial de Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). O prêmio destacou iniciativas de 13 empresas brasileiras
12:06   06 de Dezembro, 2017

DESIRÊE GALVÃO

Uma empresa de pecuária na Amazônia foi a grande revelação do Prêmio ÉPOCA Empresa Verde. A Pecuária Sustentável da Amazônia (Pecsa) ganhou na categoria especial de Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Ela provou que é possível aumentar os lucros da pecuária sem mais desmatar nenhuma árvore da Amazônia. Funciona assim, o produtor oferece a terra, as instalações e o gado e a empresa entra com tecnologia de ponta, gestão financeira e investimentos em melhorias. De acordo com um dos fundadores da Pecsa, Vando Telles, a empresa foi criada há dois anos tendo como princípio garantir a longevidade e a rentabilidade da pecuária, cuidando da floresta. “Trabalhamos com terra, animais e pessoas, com o desafio de fazer uma pecuária mais sustentável”, diz Vando. A Pecsa foi uma das 13 empresas destacadas na noite de premiação.

Os vencedores foram revelados nesta segunda-feira (4). As 13 empresas com as melhores ações ambientais receberam um troféu como destaque do ano. Entre elas, seis foram premiadas nas categorias especiais. Foram elas a Natura (que ganhou Empresa Verde – Indústria), a CPFL (Empresa Verde – Serviços), a Fibria (Mudanças Climáticas – Indústria), a EDP Energia (Mudanças Climáticas – Serviços) e o Itaú Unibanco (Finanças Verdes). Além da Pecsa na categoria ODS. A iniciativa, resultado de uma parceria entre ÉPOCA e a consultoria PricewaterhouseCoopers (PWC), aconteceu pelo décimo ano.
A cerimônia contou com uma mesa sobre “O sinal Verde dos ODS – Como os objetivos ambientais podem ajudar os sociais”. Os debatedores foram Carlo Pereira, secretário executivo do Pacto Global; Rachel Biderman, diretora executiva da World Resourses Institute Brasil (WRI); e Sérgio Besserman, diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
Na edição do prêmio deste ano, 145 empresas se inscreveram on-line. Na primeira fase do prêmio, as instituições foram avaliadas a partir de um questionário respondido, sobre temas relacionados com a sustentabilidade. Na segunda fase de julgamento, as empresas foram selecionadas por um Conselho de cinco profissionais que são referência na área. São eles: José Roberto Marinho, vice-presidente do Grupo Globo e presidente da Fundação Roberto Marinho; Sergio Besserman, economista; Luis Gylvan Meira, professor da Universidade de São Paulo (USP); Rachel Biderman, diretora da WRI Brasil.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte