Jornal MT Norte
Publicidade
         
      
         
Veja como foi a produtividade dos vereadores de AF em 2017
Quantidade de vezes que um vereador aparece como autor, não significa que a ma téria seja realmente de sua autoria
19:46   22 de Dezembro, 2017

José Vieira do Nascimento
Editor de Mato Grosso do Norte

Em 2017, a Câmara Municipal de Alta Floresta realizou 39 sessões Ordinárias e 35 sessão extraordinárias. Juntos, os 13 vereadores apresentaram, 201 Indicações, 71 Moções, 21 projeto de lei, 57 Requerimentos, 34 Emendas, 20 Projetos de Decretos e 10 Projetos de Resoluções. 
No conjunto, a produtividade do poder Legislativo está na média, mas quando os números são individuais, a quantidade de vezes que o nome de um vereador aparece como autor de uma materia, não reflete  a realidade.
 Isto porque conforme a assessoria parlamentar da Câmara, os projetos, Requerimentos, emendas e até moções, geralmente são apresentados em conjunto. Isto é, um vereador pode ser coautor de uma projeto sem que ele seja resultado de seu trabalho. Apenas emprestando seu nome, porque uma única matéria [podendo ser um projeto, Indicação ou Requerimento] pode ter vários vereadores como autores. 
Um projeto de Resolução por exemplo, que estabelece mudanças no Regimento Interno ou que seja para questões relacionadas a economia da Câmara, só pode ser apresentado com a assinatura de um 1 terço dos vereadores. 
Portanto, a quantidade de vezes em que um vereador aparecer como autor de um projeto ou qualquer outra matéria no âmbito do poder Legislativo, não significa que a mesma seja realmente de sua autoria, ou que tenha partido de uma ideia que seja sua. Ele pode apenas estar pegando uma carona em sua autoria.
Porém, os veadores que aparecem na liderança como autores de projetos, Indicações e Requerimento, mesmo quem sejam em parceria com outros parlamentares, realmente podem ser considerados os que foram mais prepositivos, mesmo que o número não seja exato. 
Por outro lado, alguns vereadores que estão na rabeira da lista com um número muito baixo de autoria em projeto, podem significar que sua atuação foi extremamente pífia e que, na realidade, podem não ter sido autores de nenhum projeto durante todo o exercício de 2017. Pegando como exemplo o vereador Oslen Dias, o Tuti (PSDB), ele foi autor de 3 Indicações, 7 Moções, 2 projeto de lei, 3 Requerimentos e 10 Emendas, levando em conta que todas estas matérias [com exceção da Moções que são aquelas matérias apresentadas para inaltecer as pessoas], o vereador pode não ser sido autor de nenhuma matéria em 2017. 
 A produtividade do tucano fica na média com a do vereador Dr. Charles Miranda e ambos ficam acima apenas do vereador Cidão do Boa Nova. Com a diferença que os dois são veteranos de três mandatos e Cidão assumiu seu primeiro mandato no início desta Legislatura.

Outra observação importante é que quando o vereador exerce cargo de líder do prefeito na Câmara Municipal, os requerimentos de sua autoria geralmente são para retirada de projetos e matérias do poder Executivo.
Já o Executivo Municipal enviou para à Câmara, 70 projetos de lei que foram votadas pelos vereadores. O prefeito Asiel Bezerra vetou apenas um projeto de autoria do vereador Dida Pires (PPS), que obrigava o executivo a enviar para a Câmara, cópias digitais com as informações das licitações homologadas. O veto só será analisado pela Câmara no início de 2018. 
Outros números - As comissões permanentes da Câmara Municipal de Alta Floresta apresentaram 180 pareceres. Os decretos Legislativos foram 20, Resoluções, 9, Portarias, 121, emenda à Lei orgânica, 1, emendas 5, Projetos de decretos, 2 e veto,1.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte