Jornal MT Norte SUMÁRIO

 

1. Introdução.......................................................................................................................... 05

2 Revisões Bibliográficas....................................................................................................... 07

3 Processos de Desenvolvimento do Projeto de Ensino....................................................... 17

3.1Tema e linha de pesquisa................................................................................................. 17

3.2 Justificativa...................................................................................................................... 17

3.3 Problematização.............................................................................................................. 17

3.4 Objetivos.......................................................................................................................... 17

3.5 Conteúdos........................................................................................................................ 18

3.6 Processos de desenvolvimento....................................................................................... 18

3.7 Tempos para a realização do projeto.............................................................................. 19

3.8 Recursos humanos e materiais....................................................................................... 19

3.9 Avaliação......................................................................................................................... 20

4 Considerações Finais......................................................................................................... 21

5 Referências......................................................................................................................... 22

 

 

 

1  INTRODUÇÃO

                 

Esse Projeto faz uma breve pesquisa sobre a música na Educação Infantil, percebendo sua importância e as várias formas de interação que a mesma proporciona dentro dos eixos de trabalho, auxiliando as demais áreas pedagógicas e proporcionando desenvolvimento e aprendizagem de forma lúdica.

                 A música possui papel significativo na vida das crianças, além de contribuir para o desenvolvimento, sócio, afetivo, psicomotor e cognitivo dos alunos, facilitando o processo de aprendizagem.

                 A questão problema é compreender quais as contribuições que a música trás para a Educação Infantil no processo de aprendizagem e perceber como a mesma pode auxiliar nas atividades pedagógicas. Sabemos que a música é um meio de comunicação e por meio dela a criança pode expressar seus sentimentos e emoções, desenvolvendo o senso critico e artístico, auxiliando na construção do conhecimento.

              O objetivo desse projeto é explorar os elementos da música para se expressar conhecer e também manipular diversos instrumentos musicais interagir com os outros e ampliar se conhecimento de mundo. E assim procuramos investigar a música de modo mais específico como: promover a socialização do conhecimento sobre a música; desenvolver o senso rítmico, com a formação do desenvolvimento motor e auditivo; desenvolver a linguagem, percepção, audição e habilidades.

             Os conteúdos serão realizados na Educação Infantil,buscando: identificar os tipos de instrumentos musicais, através da observação; perceber os tipos de músicas; identificar as características especifica de diversos instrumentos musicais; desenvolver atividades lúdicas com a música; realizar apresentação musical; nome dos instrumentos e das músicas; conversas, expressão de sentimentos, imitações e rimas; mostrar os tipos de instrumentos musicais; realizar brincadeiras, pinturas, imitações, dança, textura, cores com a música; ouvir a música em silêncio; ouvir e cantar junto;

                           O projeto será desenvolvido durante um mês e meio, acontecendo uma vez por semana, com rodas de conversa, manipulação de vários instrumentos musicais, fazendo experiências com barulho e silencio e brincadeiras com a música representando som e silencio, utilizando instrumentos que produza sons.

            Os recursos utilizados no decorrer da pesquisa são: CD e DVD, vídeo da (Xuxa), televisão, colher, violão, pandeiro, sinos, guizos, arroz, feijão, pedra, tampas de panela, latas de refrigerantes, bandinha com instrumentos infantis e baquetas.

 A avaliação será Diagnostica e processual, observando se os alunos interpretam, improvisam e compõe demostrando alguma capacidade ou habilidade, observando se movimentam ao ouvir diferentes tipos de sons e se exercitam o pensamento musical, simbolizado por meio de sons e silêncios o  sentir e o pensar, e se demostram prazer em ouvir sons, manipulando diversos materiais.

            O projeto de ensino, sobre a música foi fundamentada nos seguintes autores: (Piaget, 1964); (Bréscia, 2003); (Góes, 2009); (Nogueira, 2003); (Lima, 2010); (Andrade; Cava 2007); (Cava 2009); (Brito 1998); (Joly, 2003); (Brasil, 1998), para uma melhor compressão desse objeto de estudo.

Enfim a música pode ser utilizada de diversas formas na educação infantil. Mas para que o ensino da música aconteça é necessário que os educadores se fundamentem no Referencial Curricular Nacional de Educação Infantil, contribuindo para uma aprendizagem que seja capaz de expressar e comunicar sensações.

 

 

2  Revisão Bibliográfica

 

                        A Música como recurso didático pedagógico, não é algo novo, mas devemos trabalha-la, mediante a busca de uma compreensão precisa acerca do processo de aprendizagem na educação infantil. É preciso compreender o que os teóricos dizem sobre este tema, pois o ensino da música não está somente ligado ao aprendizado de instrumentos ou repetições de canções e cantigas decoradas, mas na formação do conhecimento, visto que essa prática é muito frequente no ambiente educacional.

              Conforme afirma o autor Piaget (1964):

 

A construção do conhecimento ocorre quando se estabelece uma interação com o ambiente. A música enquanto parte desse ambiente possibilita a criança desenvolver-se de forma mais completa passando a atribuir novos significados para as experiências vividas e os conhecimentos adquiridos.        (Piaget, 1964, p. 3).

               

            Portanto a musicalização possibilita o desenvolvimento da criança da forma mais completa, pois a educação infantil é à base da vida adulta, ainda é importante ressaltar que, é necessário que os professores estejam sempre atualizados sobre a área musical, para que aconteça um ensino de qualidade. A música sem dúvida exerce uma grande influencia na vida dos estudantes provocando movimentação e pensamento criativo, despertando o prazer de imaginar, criando soluções.

            Sobre esse tema veja o que o autor (Howard, 1984) nos diz:

 

A partir do momento que a criança entra em contato com a música, começa abranger seus conhecimentos envolvendo-se com sua sensibilidade e descobrindo o mundo a sua volta, de forma prazerosa. Portanto tem possibilidade de tornar-se critico e capaz de se comunicar pela diversidade musical. O alfabetizador pode mediar à música no sentido de contribuir para o processo, utilizando seus vários níveis de alcance, desde a socialização, até o gosto musical da criança (Howard 1984, p. 65).

 

 Para o autor Howard a musica na sala de aula deve ser introduzida como suporte, despertando no aluno outras formas de conhecimento e interpretação e sentimento. Por meio da Música podemos perceber as transformações na vida de uma criança, desde que os educadores tenham conhecimento sobre a mesma, utilizando técnicas e aplicando conteúdos adequados que possam prender a atenção da criança. Percebendo se as crianças estão realmente inseridas em um mundo onde temos sons e movimentos o tempo todo, podendo também inserir no âmbito escolar, diversos instrumentos e aprimorar esse conhecimento como principal objetivo para uma aprendizagem educativa.

            Segundo a autora, Brescia (2003) afirma que;

 

A musicalização é um processo de construção do conhecimento, que tem como objetivo despertar e desenvolver o gosto musical, favorecendo o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, memória, concentração, atenção, autodisciplina, do respeito ao próximo, da socialização afetividade, também contribuindo para uma afetiva consciência corporal e de movimentação.        (Bréscia, 2003, P. 10).

 

               Concordamos com a autora, pois a contribuição da música na construção do conhecimento é de suma importância, com tudo esse trabalho só é possível, caso haja incentivo por parte do educador, incentivando a criança, aguçando sua imaginação e criatividade, os movimentos e trabalhar a musicalidade na Educação Infantil.

                             Sabe-se que todas as escolas públicas e privadas do Brasil devem incluir o ensino da música em seu currículo. Mas deve observar que ela não deve ser disciplina exclusiva. O que as escolas pode fazer é integrar o ensino como arte, como afirma a educadora Clélia Craveiro, conselheira da Câmara DO CNE (Conselho Nacional de Educação):

 

‘’Antigamente, música era uma disciplina. Hoje não. Ela é apenas uma das linguagens da disciplina chamada artes, que pode englobar ainda artes plásticas e cênicas. A ideia é trabalhar com uma equipe multidisciplinar e nela ter entre os profissionais o professor de música. Cada escola tem autonomia para decidir como incluir esse conteúdo de acordo com o seu projeto politico pedagógico’’(Conselho Nacional de Educação, Brasília, 1997).

 

Nesse sentido o ensino da música contribui muito para o pleno desenvolvimento da criança, porem sabe-se a resistência das escolas de educação infantil em trabalhar a música na prática pedagógica.

Isso demonstra comodismo por parte dos educadores para o novo e para um trabalho voltado para a ludicidade, o que certamente não é novo, com tudo permanece ainda nas escolas o ensino tradicional e o medo de alterar o projeto politico pedagógico. Ou até mesma a resistência em trabalhar a música na educação infantil por parte dos educadores e falta de incentivos de quem está á frente em cargos de coordenação ou direção.

                A RCNEI destaca a importância da musicalização com finalidade de orientar o professor da Educação Infantil sobre como planejar seus trabalhos (Brasil, 1998, p. 5). Esse documento está organizado em três volumes, sendo que a primeira esta voltado para a educação infantil creches e pré- escolas no Brasil.

 

A estrutura do documento se apoia em uma organização por idades – crianças de zero a três anos e crianças de quatro a seis anos _ e se concretiza em dois âmbitos de experiências _ formação Pessoal e Social e Conhecimento de Mundo _ que são constituídos pelos seguintes eixos de trabalho: Identidade e autonomia, Movimento, Artes visuais, Música, Linguagem oral e escrita, Natureza e sociedade e matemática (Brasil 1998, p. 5).

                

                  A RCNEI trás a música como meios pedagógicos, como consta na lei n° 11.769, de 18 de agosto de 2008 que determina a música como conteúdo obrigatório na educação básica. Vale destacar que esse trabalho deve ser visto como conteúdo lúdico e significativo na vida do educando e não somente como entretenimento. Sabe-se que o ensino da música nas instituições de Educação Infantil pode contribuir para a práxis pedagógica do professor e para melhoria da aprendizagem da criança. Conforme:

                              Para Góes (2009, p.15) a música;

 

 Possui vários significados e representações no cotidiano das pessoas e se utilizada de forma adequada pode ser um agente facilitador  em diversos contextos que envolva o raciocínio e a aprendizagem. Sabe-se que a música tem um papel relevante na educação infantil. Pois o envolvimento da criança com o universo sonoro começa ainda antes do nascimento.

 

 

                           Góes aponta como é importante trabalhar a música de forma correta como agente facilitador da aprendizagem da criança por meio do universo sonoro da Educação Infantil. A música trabalhada de forma lúdica facilita o trabalho do professor, principalmente aqueles que atuam no berçário. É necessário trabalhar a percepção dos alunos, com fantoches, brinquedos sonoros, por meio de músicas cantadas, chocalhos entre outros instrumentos de musicalização, voltado para a audição e visualização da criança com objetos sonoros e o tato.   

                       Diante desse contexto, a autora afirma que:

 

 

Inúmeras pesquisas, desenvolvidas em diferentes países e em diferentes épocas, particularmente nas décadas finais do século XX, confirmam que a influencia da música é incontestável. Algumas delas demonstram que o bebê, ainda no útero materno, desenvolve reações e estímulos sonoros. (NOGUEIRA, 2003, P. 9).

               

Como aborda o autor Nogueira a criança desde o ventre materno desenvolve estímulos sonoros, pois eles são muito importantes para o desenvolvimento do bebê após o nascimento. Dessa forma é fundamental que os educadores que lecionam no berçário, utilizem a música, como ferramenta de interação, entre os estudantes e professores. Esses estímulos são importantes na visão do autor;

 

‘’Os estímulos sonoros do ambiente que nos cerca são intensos e a criança desde os primeiros anos de vida, já reage mediante balbucios, gritos e movimentos corporais é o modo de ela se manifestar diante dos sons; ela ouve, capta a sua direção e identifica as vozes as das pessoas. Ela penetra progressivamente no mundo dos sons, melhor ela captará o ambiente que a rodeia’’ (NICOLAU 1987, p. 162).

 

Para o autor Nicolau, o trabalho com a musicalização, deve respeitar a expressividade infantil criando oportunidade de criatividade. Assim como a dança por meio do toque, gestos e brincadeiras com as músicas, ‘’não atire o pau no gato’’, ‘’ciranda cirandinha’’, ‘’borboletinha’’entre outras.

Na Educação Infantil, é preciso ter um olhar atento em relação às diferentes músicas, é preciso seleciona-las, suas letras e melodias, assim como os instrumentos de acordo com a faixa etária das crianças.

              De acordo com autora Lima (2010, P. 18):

 

Através da música o educador tem uma forma privilegiada de alcançar seus objetivos, podendo explorar e desenvolver características no aluno. O individuo com educação musical cresce emocionalmente, afetivamente e cognitivamente, desenvolve coordenação motora, acuidade visual e auditiva, bem como memória e atenção, e ainda criatividade e capacidade de comunicação.

           

 

                        Lima (2010) afirma que o professor pode explorar a música e desenvolver as características no estudante. Ela pode ser introduzida para relaxar e ninar.  A música está relacionada ao prazer, porque divertem as crianças e ao mesmo tempo aprendem por meio dela. Assim o professor precisa possuir noções básicas de ritmo, melodia, dinâmica e outros aspectos musicais sem esquecer o lúdico, o pedagógico e a realidade da criança. Porque enquanto canta e ouve a música, o estudante se expressa por meio dela.

                          A música na visão dos autores, (Brito 1998 e Joly, 2003):

 

O termo ‘’musicalização infantil’’ adquire então uma conotação especifica, caracterizando o processo de educação musical por meio de ritmo, melodia, compasso métrica, som, tonalidade, leitura e escrita musicais são apresentadas á criança por meio das canções e jogos pequenas danças, exercícios de movimento, relaxamento e práticas de pequenos conjuntos instrumentais (Brito 1998 apud Joly, 2003. p.116).

 

                              A música, os jogos, a dança e suas as diversas formas de expressão corporal, são importantes para o pleno desenvolvimento da criança.

                            De acordo com os autores (Andrade; Cava 2007 apud Cava, 2009):

 

Um professor que canta com seus alunos durante a entrada na sala de aula está oferecendo a eles um tipo de vivência, mas essas vivências não pode se limitar apenas a essa atividade. O professor bem fundamentado usa esses momentos de vivência cotidiana na escola, conectados a outros momentos nos quais a criança tem a oportunidade de criar e/ou compreender conceitos musicais a partir da vivência.

                            

 

                             Um fator que contribuem para o ensino da musicalização é a contação de história, utilizando o som, pois trás maior significado para o texto. Pois os contos de fadas e o mundo de fantasias já fazem parte da vida de uma criança, despertando sensações, emoções e imaginação e aumentando sua capacidade perceptiva.

                Segundo o Referencial Curricular Nacional (Brasil, 1998):

 

As crianças podem improvisar a partir de um roteiro extramusical ou de uma história: nos jogos de improvisação temáticos desenvolvidos a partir de ideias extramusicais, cada timbre (características que diferencia um som do outro), por exemplo, pode ser uma personagem; podem ser criadas situações para explorar diferentes qualidades sonoras quando as crianças tocam muita suavidade para não acordar alguém que dorme, produzem impulsos sonoros curtos sugerindo pingos de chuva, realizam um ritmo de galope para sonorizar o trotar de cavalos etc. Podem vivenciar contrastes entre alturas ou intensidade do som, ritmos, som e silêncio etc. a partir de propostas especificamente musicais. (Brasil, 1998, p.62).

        

Percebemos que uma história pode ser contada de várias maneiras, por meio de diferentes linguagens e uma delas é o som.

Também para os autores, (Brito 1998 apud Joly, 2003), aprender música significa:

 

(...) ampliar a capacidade perceptiva, expressiva e reflexiva com relação ao uso da linguagem musical. É importante que no processo de musicalização a preocupação maior seja com o desenvolvimento geral da criança, assegurado pelas aprendizagens de aptidões complementares aquelas diretamente relacionadas às musicais. É importante também, segundo a autora, que a escolha de cada um dos procedimentos musicais tenha por objetivo promover o desenvolvimento de outras capacidades nas crianças, além das musicais, tais como. Capacidade de integrar-se no grupo de alto afirmar e cooperar, de respeitar os colegas e professores, comportar-se de uma forma tolerante (respeitar opiniões e propostas dos que pensam diferente dela), de ser solidário e cooperativo em vez de ser competitivo, de ouvir com atenção, e interpretar. Fundamentar propostas pessoais, de comportar-se comunicativamente no grupo, de expressar-se por meio do próprio corpo, de transformar e descobrir formas próprias de expressão, de produzir ideias e ações próprias. (Brito 1998 apud Joly, 2003, p.116).

                          

                           É importante perceber que a educação musical não visa à formação de músicos, o objetivo é auxiliar na aprendizagem.

                            Para o autor, Feres (1989 apud Joly, 2003, p. 116), ‘’(...) dizer que uma pessoa é musicalizada significa dizer que ela possui sensibilidade para os fenômenos musicais e sabe expressar-se por meio da música cantando, assobiando ou tocando um instrumento etc.’’. Enfim a musicalização interfere em nossos sentimentos.

                         De acordo com Andrade e Cava (2007), não apenas as crianças podem ser musicalizadas, mas qualquer ser humano de qualquer faixa etária pode passar por esse processo de contato significativo com a música seja em uma banda ou em um coral.

                            Sobre essa questão o autor Oliveira (2011) nos diz:

 

Engana-se aquele professor que acredita que para realizar o trabalho com música na escola necessita executar um instrumento. Claro que o domínio de algum instrumento viabiliza algumas ações e oferece outras opções de trabalho, mas não é exatamente necessário, já que nascemos com um valioso instrumento musical: a voz. A voz bem usada na sala de aula proporciona rica vivência musical e a execução de atividades que não precisam de nenhum outro recurso material (OLIVEIRA, 2011, p.1).

                           

                           Sobre a temática percebesse que o professor da educação infantil deverá fundamentar-se nos objetivos a ser trabalhado. Adquirindo o conhecimento para a educação básica com textos sobre a diversidade e manifestações culturais, diante desse fato veja o que nos consta (PCNs de Arte Brasil 1997).

 

A ampliação discursiva das crianças também se da por meio do conhecimento da variedade de textos e de manifestações culturais que expressam modos e formas próprias de ver o mundo, de viver e de pensar. Músicas, poemas, histórias, bem como diferentes situações comunicativas, constituem-se num rico material para isso. Além de propiciar a ampliação do universo cultural, o contato com a diversidade permite conhecer e aprender a respeitar o diferente. (Brasil 1997, p. 139).

                           

                        As formas de expressão ajudam a criança, a conviver com as diferenças, abrindo possibilidades de comunicação.

                             Segundo os autores Del Beli e Hentschke (2003), a música é uma excelente ferramenta auxiliando no processo de aprendizagem, pois a mesma é importante, sendo utilizada.

 

(...) no processo de apropriação, transmissão e criação de práticas músico- culturais como parte de construção de sua cidadania. Objetivo primeiro da educação musical é facilitar o acesso á multiplicidade de manifestações musicais da nossa cultura, bem como possibilitar a compreensão de manifestações musicais de culturas mais distantes. Além disso, o trabalho com a música envolve a construção de identidades culturais de nossas crianças, adolescentes e jovens e o desenvolvimento de habilidades interpessoais. Nesse sentido é importante que a educação musical escolar (...) tenha como proposito expandir o universo musical do aluno, isto é proporcionar a vivências de manifestações musicais de diversos grupos sociais e culturais e de diferentes gêneros musicais dentro da nossa própria cultura (DEL BELI; HENTSCHKE, 2003, p. 181).

                           

                             Diante dessa afirmação, percebemos que a música é um dos elementos fundamentais no desenvolvimento de habilidades interpessoais. Pois é necessário estar presente nas escolas como elementos de formação para o individuo. Assim acontece com jogos sonoros musicais. Como a tradicional brincadeira da estátua, levando as crianças a perceberem sons e silêncio, dentro da música, e a brincadeira das cadeiras que são tipos de jogos que pode ser realizado com os alunos, quando a música para de tocar, abordando o silêncio.

                Segundo (Brasil 1998):

 

(...) o ambiente sonoro, assim como a presença da música em diferentes e variadas situações do cotidiano fazem com que os bebês e crianças iniciem seu processo de musicalização de forma intuitiva. Adultos cantam melodias curtas cantigas de ninar, fazem brincadeiras cantadas, com rimas, parlendas etc., reconhecendo o fascínio que tais jogos exercem. (...) Nas interações que se estabelecem, as crianças constroem um repertório que lhe permite iniciar uma forma de comunicação por meio dos sons (Brasil 1998, p. 51).

               

                 Ainda para a RCNEI, uma das fontes de observação são os brinquedos sonoros, que permitem descobertas, provocando respostas. ‘’Além de cantar, a criança tem interesse, também em tocar pequenas melodias nos instrumentos musicais, buscando entender sua construção. ’’ (Brasil, p. 53). As crianças dão muita importância por objetos ou brinquedos que imitem sons.

              Para Referencial Curricular Nacional (Brasil, 1999):

 

(...) o ambiente sonoro, assim como a presença da música em diferentes e variadas situações do cotidiano fazem com que os bebês e crianças iniciem seu processo de musicalização de forma intuitiva. Adultos cantam melodias curtas cantigas de ninar, fazem brincadeiras cantadas, com rimas, parlendas etc., reconhecendo o fascínio que tais jogos exercem. (...) Nas interações que se estabelecem, as crianças constroem um repertório que lhe permite iniciar uma forma de comunicação por meio dos sons (Brasil, 1998, p. 62).

        

               O RCNEI recomenda que o trabalho com a música para as crianças, seja amplo. É fundamental que o professor realize atividades programadas para explorar diversos instrumentos de precursão, fazendo demonstração de instrumentos de corda e sopro, para o contato corporal e afetivo. Instigando o fazer musical despertando a curiosidade.

              Sobre esse assunto veja o que diz o autor (Rizzo, 1985):

 

 

O desenvolvimento pleno das potencialidades inclui o despertar da capacidade auditiva. O ouvido sensível discrimina volume, intensidade e altura de sons, assim como a pronuncia articulados, o que é fundamental para a alfabetização (...). A frequência com que a criança é levada a ouvir e apreciar músicas de boa qualidade é responsável direta pelo gosto pela música e, às vezes, pelo despertar de vocações (Rizzo, 1985, p.242).

                          

                         Esses conteúdos citados acima devem abordar sons e silêncio, ritmo, melodia e harmonia. Mas o educador ainda poderá explorar de acordo com sua criatividade não só os instrumentos de precursão, mas também os sons naturais, utilizando o som corporal e o som da voz. ’’ Um trabalho pedagógico-musical que se pode realizar em contextos educativos nos quais a música é entendida como um processo contínuo de construção que envolve o perceber, sentir, experimentar, imitar, criar e refletir (Brito 2003).

                          Conforme Brito, a música e a manipulação de objetos sonoros são indispensáveis na educação infantil, pois é nessa fase que as crianças gostam de brincadeiras com sons, de roda, livros e bater palmas, isso faz parte da rotina escolar dos estudantes, tornando a aula prazerosa por meio da música.

Vemos, então, mais uma vez a importância da musicalização na educação infantil, colocar acriança em contato com a cultura artística/musical desde pequena. É importante ressaltar que não é necessário levar músicas que estão em moda no rádio e na televisão, pois a esses estilos as crianças têm acesso em casa e, quase sempre, representam uma banalização da cultura. Devemos apresentar às crianças músicas diferentes, para que elas possam conhecer um repertório amplo, que não conheceriam fora do processo de musicalização.

De acordo com Almeida (2001), a cultura de massas é uma produção simples, sem dificuldades intelectuais, que não precisa de questionamentos. Estamos passando por um processo de banalização da cultura, pois vemos bons artistas e compositores sendo desprezados pela mídia, enquanto outros, com músicas sem qualidade e técnica, são exaltados pela mídia, fazendo grande sucesso e atraindo as massas, inclusive as crianças que passam a querer vestir-se e comportar-se como esses “artistas”.  É muito grave vermos meninas usando sapatos de salto, maquiagem, enquanto meninos tingem o cabelo de loiro etc., e tudo isso com o consentimento a apoio dos pais.

Através da musicalização a criança pode expressar seus sentimentos e emoções, desenvolvendo o senso critico e artístico, despertando grande satisfação, desde que esteja envolvida ao lúdico. Sendo assim, a mesma proporciona desenvolvimento e aprendizagem, sensibilidade, atenção e respeito, auxiliando na construção do conhecimento.

 

 

 

 

3. Processo de Desenvolvimento do Projeto de Ensino

3.1Tema e linha de pesquisa

 

                 A Música contribui para a aprendizagem das crianças, desenvolvendo o psicomotor e o cognitivo e faz parte dos eixos trabalhados na educação infantil. A musicalização contribui para o crescimento profissional do professor, pois é uma excelente ferramenta para se trabalhar dentro dos eixos que a proposta trás, levando os estudantes a reflexão, transmitindo emoção sensação e outros fatores que percebem a identidade através do estilo que o individuo ouve. A Música estabelece a comunicação entre professor e aluno.

 

3.2 Justificativa

                

                 A Música possui papel significativo na educação das crianças contribuindo para o desenvolvimento sócio afetivo, psicomotor e cognitivo. Além de facilitar o processo de aprendizagem na construção do conhecimento promovendo o desenvolvimento da sensibilidade, do senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, da criatividade e a concentração e atenção.

 

3.3 Problematização

 

                           Compreender quais as contribuições que a música trás para a Educação Infantil no processo de aprendizagem e perceber como a mesma pode auxiliar nas atividades pedagógicas. Sabe-se que a música é um meio de comunicação, pois ela abre possibilidades para a exploração e descobertas.

 

 

3.4 Objetivos

 

Objetivo geral

 

Explorar os elementos da música para se expressar conhecer e também manipular diversos instrumentos musicais, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento sobre o mundo.                                

 

Objetivos específicos

 

                       

3.5 Conteúdos

            

 

3.6 PROCESSOS de desenvolvimento

                   1° Aula: Em uma roda de conversa, questionar os estudantes, sobre os sons, para que servem e como seria viver sem eles. Mostrando os vários tipos sons, ex: propor para eles a experiência de ouvir os barulhos do ambiente e do próprio corpo. Fazer o uso de colher, tampas de panela entre outros objetos que fazem barulho.

 

                           2° Aula: Apresentar para as crianças a brincadeira da estátua, enquanto a música esta tocando, as crianças devem caminhar ou dançar. Quando a melodia parar imediatamente, usar os instrumentos, um representa o silêncio e o outro o som. Para que os alunos possam perceber a diferença dos mesmos.

 

                            3° Aula: Produzir tipos de sons, preencher três latas de refrigerantes, com pedra, feijão e arroz, pedir aos alunos que manuseiem percebendo os diferentes sons produzidos pelas mesmas. E reproduzir o barulho com a boca.

 

                 4° Aula: Assistir o vídeo da Xuxa com a música, cabeça, ombro joelho e pé, fazendo gestos para que as crianças estimulem os sentidos, percebendo o pulso do coração no andar e estalar do dedo batendo o pé.

 

                 5° Aula: Nesta aula utilizará baquetas feitas para a produção do barulho. Em seguida distribuir as baquetas para cada criança com a supervisão e orientação da professora para que possa reproduzir o mesmo som.

 

                           6° Aula: Durante a aula reunir diversos materiais que produza sons, tampas, pandeiros, sinos, guizos etc. e cantar a música popular: um homem vinha pela estrada tocando violão, e outro acompanhava tocando seu tambor e outro acompanhava com a corneta e outro o acordeom produzindo uma história sonorizada. Aguçando o prazer de ouvir.

 

 

                          7° Aula: Nessa aula um cantor virá para fazer a apresentação do instrumento que ele utilizara para tocar que é o violão, em seguida ele tocará músicas infantis e com ritmos diferentes, pedindo que as crianças acompanhem com palmas, batendo os pés e fazendo uma série de movimentos.

 

 

 

 

3.7 Tempos para a realização do projeto

 

                            Este projeto foi desenvolvido para dois meses, acontecendo toda quarta-feira.

 

 

3.8 Recursos humanos e materiais

 

                            Os materiais utilizados são: CD e DVD, vídeo da (Xuxa) televisão, colher, sinos, pandeiro, tampas de panela, guizos, latas de refrigerantes, violão, bandinha de instrumentos infantis e baquetas, arroz, feijão, pedra.

 

 

3.9 Avaliação

 

Será feita através de diagnostico processual, observando se os alunos interpretam, improvisam e compõe. Demostrando alguma capacidade e habilidade, exercitando o pensamento musical, e observar se os mesmo se interagem em grupo ou individualmente.

 

 

 

 

 

 

3  Considerações finais

 

Nesse trabalho constatou-se que o trabalho por meio do ensino da música na Educação Infantil é fundamental para o desenvolvimento da criança. Pois nessa faixa etária os estudantes precisam de estímulos ambientais e sensoriais que contribua para o seu aprendizado sobre o mundo.

 Observou que o educador precisa trabalhar a música na sala de aula, articulando, o eixo da música com outras áreas do conhecimento, promovendo um trabalho que possibilite uma aprendizagem significativa.

Neste contexto foi possível perceber que a música enriquece o repertório musical dos estudantes, promovendo o ensino da música de forma lúdica, cantando para as crianças e utilizando brincadeiras que trabalham o som, mas é preciso de materiais adequados, para auxiliar o trabalho musical.

Enfim com esse estudo foi possível perceber a importância da música na educação infantil e os benefícios para o desenvolvimento da criança como facilitador da aprendizagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

ANDRADE, Klésia, Garcia; CAVA Laura, Célia S. Cabral. Fundamentos e metodologias do ensino das artes e da música. In UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ. Curso de pedagogia: módulo 4. Londrina: Ed. Da Unopar, 2007. P. 116.

BRASIL, Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretária de Educação Fundamental, Brasília, v.3. Conhecimento de Mundo. MEC/ SEF, 1998.

BRÉSCIA, Vera Lúcia Pessagno. Educação Musical: bases psicológicas e ação preventiva. São Paulo: Átomo, 2003.

 

BRITO, T. A. Música na educação infantil – propostas para a formação integral da criança. São Paulo: Editora Petrópolis, 2003.

 

DEL BEM, Luciana; HENTSCHKE, LIANE. Aula de música: do planejamento e avaliação a prática educativa. In:_Ensino de música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo: Moderna, 2003.p. 176-189.

GÓES, R, S. A música e suas possibilidades no desenvolvimento da criança e do aprimoramento do código linguístico. Revista do Centro de Educação á distância - CEAD/ UDESC. V.2, n.1, 209.

 

JOLY, Ilza Zenker Leme. Educação e educação musical: conhecimento para compreender a criança e suas relações com a música. In: DEL BEM, Luciana; HENTSCHKE, Liane (Org.) Ensino da música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo. Moderna, 2003. P. 113-140.

 

HOWARD, V. H. A MÚSICA EA CRIANÇA. São Paulo: Summer, 1984.

LEI n° 11769, de 18/08/2008. Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei das Diretrizes de Base da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Brasília, 1996.

LIMA, S. V. A Importância da Música no Desenvolvimento Infantil. Artigonal Diretório de Artigos Gratuitos 2010. 

Ministério de Educação e Cultura. Secretaria e Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte, Brasília, 1997.

Nicolau, M. L. M. A educação artística da criança. 2° ed. São Paulo: Ática, 1987.

NOGUEIRA, M. A. A música e o desenvolvimento da criança. Revista da UFG, v. 5, n.2, 2003.

OLIVEIRA, Jaqueline. O ensino da música na ética escolar, 3 de dez. 2011. Disponível em: http://www.webartigos.com/artigos/o- ensino-da-música-na-ética-escola/ 80969/ Acesso em: agosto de 2016.

PIAGET, Jean. A arte de ensinar música nas escolas. Disponível em: http://jesuspaiva.blogspot.com.br/2011/10/sobre a- teoria- psicogenetica-de-piaget-1.htm1. Acesso em agosto de 2016.

RIZZO, Gilda. Educação pré- escolar. Rio de Janeiro: F. Alves, 1985.

 

 

 

 

 

 

 

" />
Publicidade
         
      
         
ARTIGO: A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFATIL
Esse Projeto faz uma breve pesquisa sobre a música na Educação Infantil, percebendo sua importância e as várias formas de interação que a mesma proporciona dentro dos eixos de trabalho, auxiliando as demais áreas pedagógicas e proporcionando desenvolvimento e aprendizagem de forma lúdica
12:48   05 de Janeiro, 2018

 

Projeto de Ensino apresentado à Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção do título de Pedagogo.

 

Orientador: Prof. Okçana Battini

 

LOPES, Da Silva Joelma. A importância da música na Educação Infantil. 2016. 26 folhas. Projeto de Ensino (Pedagogia) – Centro de Ciências Exatas e Tecnologia. Universidade Norte do Paraná, Alta Floresta, 2016.

RESUMO

Este Projeto discute a música como ferramenta pedagógica para trabalhar na educação infantil. Percebendo sua interação com os demais eixos e áreas de linguagem, despertando nas crianças, sensações e emoções. A música possui papel significativo na vida das crianças, além de contribuir para o desenvolvimento sócio afetivo, psicomotor e cognitivo dos alunos. A questão problema foi compreender quais as contribuições que a música trás para educação infantil no processo de aprendizagem e perceber como ela pode auxiliar nas atividades pedagógicas. O objetivo é explorar os elementos da música para se expressar conhecer e também manipular diversos instrumentos musicais, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento de mundo. E assim procuramos investigar a música de modo mais específico como: promover a socialização do conhecimento sobre a música; desenvolver o senso rítmico, com a formação do desenvolvimento motor e auditivo; desenvolver a linguagem, percepção, audição e habilidades. As atividades serão desenvolvidas pelo professor, durante um mês e meio nas terças-feiras. Para essas atividades irão utilizar, CD e DVD, vídeo da (Xuxa), violão, pandeiro, sino, guizos, televisão, colher, tampas de panela, latas de refrigerantes, arroz, feijão, pedra, bandinha com instrumentos infantis e baquetas. A avaliação será através de diagnostico processual. Esse estudo baseou-se nos seguintes documentos, (RCNEI), Referencial Curricular Nacional da Educação Infantil, (PCNS), Parâmetros Curriculares Nacionais e na visão dos autores: Piaget, Lima, Bréscia, Del Bem, Góes, Nogueira, Andrade, Oliveira, Rizzo, Brito, Nicolau, Howard, que orientam sobre o ensino da música como meio educacional.

 

 

Palavras-chave: Música. Escola. Educação Infantil. Aprendizagem.  

SUMÁRIO

 

1. Introdução.......................................................................................................................... 05

2 Revisões Bibliográficas....................................................................................................... 07

3 Processos de Desenvolvimento do Projeto de Ensino....................................................... 17

3.1Tema e linha de pesquisa................................................................................................. 17

3.2 Justificativa...................................................................................................................... 17

3.3 Problematização.............................................................................................................. 17

3.4 Objetivos.......................................................................................................................... 17

3.5 Conteúdos........................................................................................................................ 18

3.6 Processos de desenvolvimento....................................................................................... 18

3.7 Tempos para a realização do projeto.............................................................................. 19

3.8 Recursos humanos e materiais....................................................................................... 19

3.9 Avaliação......................................................................................................................... 20

4 Considerações Finais......................................................................................................... 21

5 Referências......................................................................................................................... 22

 

 

 

1  INTRODUÇÃO

                 

Esse Projeto faz uma breve pesquisa sobre a música na Educação Infantil, percebendo sua importância e as várias formas de interação que a mesma proporciona dentro dos eixos de trabalho, auxiliando as demais áreas pedagógicas e proporcionando desenvolvimento e aprendizagem de forma lúdica.

                 A música possui papel significativo na vida das crianças, além de contribuir para o desenvolvimento, sócio, afetivo, psicomotor e cognitivo dos alunos, facilitando o processo de aprendizagem.

                 A questão problema é compreender quais as contribuições que a música trás para a Educação Infantil no processo de aprendizagem e perceber como a mesma pode auxiliar nas atividades pedagógicas. Sabemos que a música é um meio de comunicação e por meio dela a criança pode expressar seus sentimentos e emoções, desenvolvendo o senso critico e artístico, auxiliando na construção do conhecimento.

              O objetivo desse projeto é explorar os elementos da música para se expressar conhecer e também manipular diversos instrumentos musicais interagir com os outros e ampliar se conhecimento de mundo. E assim procuramos investigar a música de modo mais específico como: promover a socialização do conhecimento sobre a música; desenvolver o senso rítmico, com a formação do desenvolvimento motor e auditivo; desenvolver a linguagem, percepção, audição e habilidades.

             Os conteúdos serão realizados na Educação Infantil,buscando: identificar os tipos de instrumentos musicais, através da observação; perceber os tipos de músicas; identificar as características especifica de diversos instrumentos musicais; desenvolver atividades lúdicas com a música; realizar apresentação musical; nome dos instrumentos e das músicas; conversas, expressão de sentimentos, imitações e rimas; mostrar os tipos de instrumentos musicais; realizar brincadeiras, pinturas, imitações, dança, textura, cores com a música; ouvir a música em silêncio; ouvir e cantar junto;

                           O projeto será desenvolvido durante um mês e meio, acontecendo uma vez por semana, com rodas de conversa, manipulação de vários instrumentos musicais, fazendo experiências com barulho e silencio e brincadeiras com a música representando som e silencio, utilizando instrumentos que produza sons.

            Os recursos utilizados no decorrer da pesquisa são: CD e DVD, vídeo da (Xuxa), televisão, colher, violão, pandeiro, sinos, guizos, arroz, feijão, pedra, tampas de panela, latas de refrigerantes, bandinha com instrumentos infantis e baquetas.

 A avaliação será Diagnostica e processual, observando se os alunos interpretam, improvisam e compõe demostrando alguma capacidade ou habilidade, observando se movimentam ao ouvir diferentes tipos de sons e se exercitam o pensamento musical, simbolizado por meio de sons e silêncios o  sentir e o pensar, e se demostram prazer em ouvir sons, manipulando diversos materiais.

            O projeto de ensino, sobre a música foi fundamentada nos seguintes autores: (Piaget, 1964); (Bréscia, 2003); (Góes, 2009); (Nogueira, 2003); (Lima, 2010); (Andrade; Cava 2007); (Cava 2009); (Brito 1998); (Joly, 2003); (Brasil, 1998), para uma melhor compressão desse objeto de estudo.

Enfim a música pode ser utilizada de diversas formas na educação infantil. Mas para que o ensino da música aconteça é necessário que os educadores se fundamentem no Referencial Curricular Nacional de Educação Infantil, contribuindo para uma aprendizagem que seja capaz de expressar e comunicar sensações.

 

 

2  Revisão Bibliográfica

 

                        A Música como recurso didático pedagógico, não é algo novo, mas devemos trabalha-la, mediante a busca de uma compreensão precisa acerca do processo de aprendizagem na educação infantil. É preciso compreender o que os teóricos dizem sobre este tema, pois o ensino da música não está somente ligado ao aprendizado de instrumentos ou repetições de canções e cantigas decoradas, mas na formação do conhecimento, visto que essa prática é muito frequente no ambiente educacional.

              Conforme afirma o autor Piaget (1964):

 

A construção do conhecimento ocorre quando se estabelece uma interação com o ambiente. A música enquanto parte desse ambiente possibilita a criança desenvolver-se de forma mais completa passando a atribuir novos significados para as experiências vividas e os conhecimentos adquiridos.        (Piaget, 1964, p. 3).

               

            Portanto a musicalização possibilita o desenvolvimento da criança da forma mais completa, pois a educação infantil é à base da vida adulta, ainda é importante ressaltar que, é necessário que os professores estejam sempre atualizados sobre a área musical, para que aconteça um ensino de qualidade. A música sem dúvida exerce uma grande influencia na vida dos estudantes provocando movimentação e pensamento criativo, despertando o prazer de imaginar, criando soluções.

            Sobre esse tema veja o que o autor (Howard, 1984) nos diz:

 

A partir do momento que a criança entra em contato com a música, começa abranger seus conhecimentos envolvendo-se com sua sensibilidade e descobrindo o mundo a sua volta, de forma prazerosa. Portanto tem possibilidade de tornar-se critico e capaz de se comunicar pela diversidade musical. O alfabetizador pode mediar à música no sentido de contribuir para o processo, utilizando seus vários níveis de alcance, desde a socialização, até o gosto musical da criança (Howard 1984, p. 65).

 

 Para o autor Howard a musica na sala de aula deve ser introduzida como suporte, despertando no aluno outras formas de conhecimento e interpretação e sentimento. Por meio da Música podemos perceber as transformações na vida de uma criança, desde que os educadores tenham conhecimento sobre a mesma, utilizando técnicas e aplicando conteúdos adequados que possam prender a atenção da criança. Percebendo se as crianças estão realmente inseridas em um mundo onde temos sons e movimentos o tempo todo, podendo também inserir no âmbito escolar, diversos instrumentos e aprimorar esse conhecimento como principal objetivo para uma aprendizagem educativa.

            Segundo a autora, Brescia (2003) afirma que;

 

A musicalização é um processo de construção do conhecimento, que tem como objetivo despertar e desenvolver o gosto musical, favorecendo o desenvolvimento da sensibilidade, criatividade, senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, memória, concentração, atenção, autodisciplina, do respeito ao próximo, da socialização afetividade, também contribuindo para uma afetiva consciência corporal e de movimentação.        (Bréscia, 2003, P. 10).

 

               Concordamos com a autora, pois a contribuição da música na construção do conhecimento é de suma importância, com tudo esse trabalho só é possível, caso haja incentivo por parte do educador, incentivando a criança, aguçando sua imaginação e criatividade, os movimentos e trabalhar a musicalidade na Educação Infantil.

                             Sabe-se que todas as escolas públicas e privadas do Brasil devem incluir o ensino da música em seu currículo. Mas deve observar que ela não deve ser disciplina exclusiva. O que as escolas pode fazer é integrar o ensino como arte, como afirma a educadora Clélia Craveiro, conselheira da Câmara DO CNE (Conselho Nacional de Educação):

 

‘’Antigamente, música era uma disciplina. Hoje não. Ela é apenas uma das linguagens da disciplina chamada artes, que pode englobar ainda artes plásticas e cênicas. A ideia é trabalhar com uma equipe multidisciplinar e nela ter entre os profissionais o professor de música. Cada escola tem autonomia para decidir como incluir esse conteúdo de acordo com o seu projeto politico pedagógico’’(Conselho Nacional de Educação, Brasília, 1997).

 

Nesse sentido o ensino da música contribui muito para o pleno desenvolvimento da criança, porem sabe-se a resistência das escolas de educação infantil em trabalhar a música na prática pedagógica.

Isso demonstra comodismo por parte dos educadores para o novo e para um trabalho voltado para a ludicidade, o que certamente não é novo, com tudo permanece ainda nas escolas o ensino tradicional e o medo de alterar o projeto politico pedagógico. Ou até mesma a resistência em trabalhar a música na educação infantil por parte dos educadores e falta de incentivos de quem está á frente em cargos de coordenação ou direção.

                A RCNEI destaca a importância da musicalização com finalidade de orientar o professor da Educação Infantil sobre como planejar seus trabalhos (Brasil, 1998, p. 5). Esse documento está organizado em três volumes, sendo que a primeira esta voltado para a educação infantil creches e pré- escolas no Brasil.

 

A estrutura do documento se apoia em uma organização por idades – crianças de zero a três anos e crianças de quatro a seis anos _ e se concretiza em dois âmbitos de experiências _ formação Pessoal e Social e Conhecimento de Mundo _ que são constituídos pelos seguintes eixos de trabalho: Identidade e autonomia, Movimento, Artes visuais, Música, Linguagem oral e escrita, Natureza e sociedade e matemática (Brasil 1998, p. 5).

                

                  A RCNEI trás a música como meios pedagógicos, como consta na lei n° 11.769, de 18 de agosto de 2008 que determina a música como conteúdo obrigatório na educação básica. Vale destacar que esse trabalho deve ser visto como conteúdo lúdico e significativo na vida do educando e não somente como entretenimento. Sabe-se que o ensino da música nas instituições de Educação Infantil pode contribuir para a práxis pedagógica do professor e para melhoria da aprendizagem da criança. Conforme:

                              Para Góes (2009, p.15) a música;

 

 Possui vários significados e representações no cotidiano das pessoas e se utilizada de forma adequada pode ser um agente facilitador  em diversos contextos que envolva o raciocínio e a aprendizagem. Sabe-se que a música tem um papel relevante na educação infantil. Pois o envolvimento da criança com o universo sonoro começa ainda antes do nascimento.

 

 

                           Góes aponta como é importante trabalhar a música de forma correta como agente facilitador da aprendizagem da criança por meio do universo sonoro da Educação Infantil. A música trabalhada de forma lúdica facilita o trabalho do professor, principalmente aqueles que atuam no berçário. É necessário trabalhar a percepção dos alunos, com fantoches, brinquedos sonoros, por meio de músicas cantadas, chocalhos entre outros instrumentos de musicalização, voltado para a audição e visualização da criança com objetos sonoros e o tato.   

                       Diante desse contexto, a autora afirma que:

 

 

Inúmeras pesquisas, desenvolvidas em diferentes países e em diferentes épocas, particularmente nas décadas finais do século XX, confirmam que a influencia da música é incontestável. Algumas delas demonstram que o bebê, ainda no útero materno, desenvolve reações e estímulos sonoros. (NOGUEIRA, 2003, P. 9).

               

Como aborda o autor Nogueira a criança desde o ventre materno desenvolve estímulos sonoros, pois eles são muito importantes para o desenvolvimento do bebê após o nascimento. Dessa forma é fundamental que os educadores que lecionam no berçário, utilizem a música, como ferramenta de interação, entre os estudantes e professores. Esses estímulos são importantes na visão do autor;

 

‘’Os estímulos sonoros do ambiente que nos cerca são intensos e a criança desde os primeiros anos de vida, já reage mediante balbucios, gritos e movimentos corporais é o modo de ela se manifestar diante dos sons; ela ouve, capta a sua direção e identifica as vozes as das pessoas. Ela penetra progressivamente no mundo dos sons, melhor ela captará o ambiente que a rodeia’’ (NICOLAU 1987, p. 162).

 

Para o autor Nicolau, o trabalho com a musicalização, deve respeitar a expressividade infantil criando oportunidade de criatividade. Assim como a dança por meio do toque, gestos e brincadeiras com as músicas, ‘’não atire o pau no gato’’, ‘’ciranda cirandinha’’, ‘’borboletinha’’entre outras.

Na Educação Infantil, é preciso ter um olhar atento em relação às diferentes músicas, é preciso seleciona-las, suas letras e melodias, assim como os instrumentos de acordo com a faixa etária das crianças.

              De acordo com autora Lima (2010, P. 18):

 

Através da música o educador tem uma forma privilegiada de alcançar seus objetivos, podendo explorar e desenvolver características no aluno. O individuo com educação musical cresce emocionalmente, afetivamente e cognitivamente, desenvolve coordenação motora, acuidade visual e auditiva, bem como memória e atenção, e ainda criatividade e capacidade de comunicação.

           

 

                        Lima (2010) afirma que o professor pode explorar a música e desenvolver as características no estudante. Ela pode ser introduzida para relaxar e ninar.  A música está relacionada ao prazer, porque divertem as crianças e ao mesmo tempo aprendem por meio dela. Assim o professor precisa possuir noções básicas de ritmo, melodia, dinâmica e outros aspectos musicais sem esquecer o lúdico, o pedagógico e a realidade da criança. Porque enquanto canta e ouve a música, o estudante se expressa por meio dela.

                          A música na visão dos autores, (Brito 1998 e Joly, 2003):

 

O termo ‘’musicalização infantil’’ adquire então uma conotação especifica, caracterizando o processo de educação musical por meio de ritmo, melodia, compasso métrica, som, tonalidade, leitura e escrita musicais são apresentadas á criança por meio das canções e jogos pequenas danças, exercícios de movimento, relaxamento e práticas de pequenos conjuntos instrumentais (Brito 1998 apud Joly, 2003. p.116).

 

                              A música, os jogos, a dança e suas as diversas formas de expressão corporal, são importantes para o pleno desenvolvimento da criança.

                            De acordo com os autores (Andrade; Cava 2007 apud Cava, 2009):

 

Um professor que canta com seus alunos durante a entrada na sala de aula está oferecendo a eles um tipo de vivência, mas essas vivências não pode se limitar apenas a essa atividade. O professor bem fundamentado usa esses momentos de vivência cotidiana na escola, conectados a outros momentos nos quais a criança tem a oportunidade de criar e/ou compreender conceitos musicais a partir da vivência.

                            

 

                             Um fator que contribuem para o ensino da musicalização é a contação de história, utilizando o som, pois trás maior significado para o texto. Pois os contos de fadas e o mundo de fantasias já fazem parte da vida de uma criança, despertando sensações, emoções e imaginação e aumentando sua capacidade perceptiva.

                Segundo o Referencial Curricular Nacional (Brasil, 1998):

 

As crianças podem improvisar a partir de um roteiro extramusical ou de uma história: nos jogos de improvisação temáticos desenvolvidos a partir de ideias extramusicais, cada timbre (características que diferencia um som do outro), por exemplo, pode ser uma personagem; podem ser criadas situações para explorar diferentes qualidades sonoras quando as crianças tocam muita suavidade para não acordar alguém que dorme, produzem impulsos sonoros curtos sugerindo pingos de chuva, realizam um ritmo de galope para sonorizar o trotar de cavalos etc. Podem vivenciar contrastes entre alturas ou intensidade do som, ritmos, som e silêncio etc. a partir de propostas especificamente musicais. (Brasil, 1998, p.62).

        

Percebemos que uma história pode ser contada de várias maneiras, por meio de diferentes linguagens e uma delas é o som.

Também para os autores, (Brito 1998 apud Joly, 2003), aprender música significa:

 

(...) ampliar a capacidade perceptiva, expressiva e reflexiva com relação ao uso da linguagem musical. É importante que no processo de musicalização a preocupação maior seja com o desenvolvimento geral da criança, assegurado pelas aprendizagens de aptidões complementares aquelas diretamente relacionadas às musicais. É importante também, segundo a autora, que a escolha de cada um dos procedimentos musicais tenha por objetivo promover o desenvolvimento de outras capacidades nas crianças, além das musicais, tais como. Capacidade de integrar-se no grupo de alto afirmar e cooperar, de respeitar os colegas e professores, comportar-se de uma forma tolerante (respeitar opiniões e propostas dos que pensam diferente dela), de ser solidário e cooperativo em vez de ser competitivo, de ouvir com atenção, e interpretar. Fundamentar propostas pessoais, de comportar-se comunicativamente no grupo, de expressar-se por meio do próprio corpo, de transformar e descobrir formas próprias de expressão, de produzir ideias e ações próprias. (Brito 1998 apud Joly, 2003, p.116).

                          

                           É importante perceber que a educação musical não visa à formação de músicos, o objetivo é auxiliar na aprendizagem.

                            Para o autor, Feres (1989 apud Joly, 2003, p. 116), ‘’(...) dizer que uma pessoa é musicalizada significa dizer que ela possui sensibilidade para os fenômenos musicais e sabe expressar-se por meio da música cantando, assobiando ou tocando um instrumento etc.’’. Enfim a musicalização interfere em nossos sentimentos.

                         De acordo com Andrade e Cava (2007), não apenas as crianças podem ser musicalizadas, mas qualquer ser humano de qualquer faixa etária pode passar por esse processo de contato significativo com a música seja em uma banda ou em um coral.

                            Sobre essa questão o autor Oliveira (2011) nos diz:

 

Engana-se aquele professor que acredita que para realizar o trabalho com música na escola necessita executar um instrumento. Claro que o domínio de algum instrumento viabiliza algumas ações e oferece outras opções de trabalho, mas não é exatamente necessário, já que nascemos com um valioso instrumento musical: a voz. A voz bem usada na sala de aula proporciona rica vivência musical e a execução de atividades que não precisam de nenhum outro recurso material (OLIVEIRA, 2011, p.1).

                           

                           Sobre a temática percebesse que o professor da educação infantil deverá fundamentar-se nos objetivos a ser trabalhado. Adquirindo o conhecimento para a educação básica com textos sobre a diversidade e manifestações culturais, diante desse fato veja o que nos consta (PCNs de Arte Brasil 1997).

 

A ampliação discursiva das crianças também se da por meio do conhecimento da variedade de textos e de manifestações culturais que expressam modos e formas próprias de ver o mundo, de viver e de pensar. Músicas, poemas, histórias, bem como diferentes situações comunicativas, constituem-se num rico material para isso. Além de propiciar a ampliação do universo cultural, o contato com a diversidade permite conhecer e aprender a respeitar o diferente. (Brasil 1997, p. 139).

                           

                        As formas de expressão ajudam a criança, a conviver com as diferenças, abrindo possibilidades de comunicação.

                             Segundo os autores Del Beli e Hentschke (2003), a música é uma excelente ferramenta auxiliando no processo de aprendizagem, pois a mesma é importante, sendo utilizada.

 

(...) no processo de apropriação, transmissão e criação de práticas músico- culturais como parte de construção de sua cidadania. Objetivo primeiro da educação musical é facilitar o acesso á multiplicidade de manifestações musicais da nossa cultura, bem como possibilitar a compreensão de manifestações musicais de culturas mais distantes. Além disso, o trabalho com a música envolve a construção de identidades culturais de nossas crianças, adolescentes e jovens e o desenvolvimento de habilidades interpessoais. Nesse sentido é importante que a educação musical escolar (...) tenha como proposito expandir o universo musical do aluno, isto é proporcionar a vivências de manifestações musicais de diversos grupos sociais e culturais e de diferentes gêneros musicais dentro da nossa própria cultura (DEL BELI; HENTSCHKE, 2003, p. 181).

                           

                             Diante dessa afirmação, percebemos que a música é um dos elementos fundamentais no desenvolvimento de habilidades interpessoais. Pois é necessário estar presente nas escolas como elementos de formação para o individuo. Assim acontece com jogos sonoros musicais. Como a tradicional brincadeira da estátua, levando as crianças a perceberem sons e silêncio, dentro da música, e a brincadeira das cadeiras que são tipos de jogos que pode ser realizado com os alunos, quando a música para de tocar, abordando o silêncio.

                Segundo (Brasil 1998):

 

(...) o ambiente sonoro, assim como a presença da música em diferentes e variadas situações do cotidiano fazem com que os bebês e crianças iniciem seu processo de musicalização de forma intuitiva. Adultos cantam melodias curtas cantigas de ninar, fazem brincadeiras cantadas, com rimas, parlendas etc., reconhecendo o fascínio que tais jogos exercem. (...) Nas interações que se estabelecem, as crianças constroem um repertório que lhe permite iniciar uma forma de comunicação por meio dos sons (Brasil 1998, p. 51).

               

                 Ainda para a RCNEI, uma das fontes de observação são os brinquedos sonoros, que permitem descobertas, provocando respostas. ‘’Além de cantar, a criança tem interesse, também em tocar pequenas melodias nos instrumentos musicais, buscando entender sua construção. ’’ (Brasil, p. 53). As crianças dão muita importância por objetos ou brinquedos que imitem sons.

              Para Referencial Curricular Nacional (Brasil, 1999):

 

(...) o ambiente sonoro, assim como a presença da música em diferentes e variadas situações do cotidiano fazem com que os bebês e crianças iniciem seu processo de musicalização de forma intuitiva. Adultos cantam melodias curtas cantigas de ninar, fazem brincadeiras cantadas, com rimas, parlendas etc., reconhecendo o fascínio que tais jogos exercem. (...) Nas interações que se estabelecem, as crianças constroem um repertório que lhe permite iniciar uma forma de comunicação por meio dos sons (Brasil, 1998, p. 62).

        

               O RCNEI recomenda que o trabalho com a música para as crianças, seja amplo. É fundamental que o professor realize atividades programadas para explorar diversos instrumentos de precursão, fazendo demonstração de instrumentos de corda e sopro, para o contato corporal e afetivo. Instigando o fazer musical despertando a curiosidade.

              Sobre esse assunto veja o que diz o autor (Rizzo, 1985):

 

 

O desenvolvimento pleno das potencialidades inclui o despertar da capacidade auditiva. O ouvido sensível discrimina volume, intensidade e altura de sons, assim como a pronuncia articulados, o que é fundamental para a alfabetização (...). A frequência com que a criança é levada a ouvir e apreciar músicas de boa qualidade é responsável direta pelo gosto pela música e, às vezes, pelo despertar de vocações (Rizzo, 1985, p.242).

                          

                         Esses conteúdos citados acima devem abordar sons e silêncio, ritmo, melodia e harmonia. Mas o educador ainda poderá explorar de acordo com sua criatividade não só os instrumentos de precursão, mas também os sons naturais, utilizando o som corporal e o som da voz. ’’ Um trabalho pedagógico-musical que se pode realizar em contextos educativos nos quais a música é entendida como um processo contínuo de construção que envolve o perceber, sentir, experimentar, imitar, criar e refletir (Brito 2003).

                          Conforme Brito, a música e a manipulação de objetos sonoros são indispensáveis na educação infantil, pois é nessa fase que as crianças gostam de brincadeiras com sons, de roda, livros e bater palmas, isso faz parte da rotina escolar dos estudantes, tornando a aula prazerosa por meio da música.

Vemos, então, mais uma vez a importância da musicalização na educação infantil, colocar acriança em contato com a cultura artística/musical desde pequena. É importante ressaltar que não é necessário levar músicas que estão em moda no rádio e na televisão, pois a esses estilos as crianças têm acesso em casa e, quase sempre, representam uma banalização da cultura. Devemos apresentar às crianças músicas diferentes, para que elas possam conhecer um repertório amplo, que não conheceriam fora do processo de musicalização.

De acordo com Almeida (2001), a cultura de massas é uma produção simples, sem dificuldades intelectuais, que não precisa de questionamentos. Estamos passando por um processo de banalização da cultura, pois vemos bons artistas e compositores sendo desprezados pela mídia, enquanto outros, com músicas sem qualidade e técnica, são exaltados pela mídia, fazendo grande sucesso e atraindo as massas, inclusive as crianças que passam a querer vestir-se e comportar-se como esses “artistas”.  É muito grave vermos meninas usando sapatos de salto, maquiagem, enquanto meninos tingem o cabelo de loiro etc., e tudo isso com o consentimento a apoio dos pais.

Através da musicalização a criança pode expressar seus sentimentos e emoções, desenvolvendo o senso critico e artístico, despertando grande satisfação, desde que esteja envolvida ao lúdico. Sendo assim, a mesma proporciona desenvolvimento e aprendizagem, sensibilidade, atenção e respeito, auxiliando na construção do conhecimento.

 

 

 

 

3. Processo de Desenvolvimento do Projeto de Ensino

3.1Tema e linha de pesquisa

 

                 A Música contribui para a aprendizagem das crianças, desenvolvendo o psicomotor e o cognitivo e faz parte dos eixos trabalhados na educação infantil. A musicalização contribui para o crescimento profissional do professor, pois é uma excelente ferramenta para se trabalhar dentro dos eixos que a proposta trás, levando os estudantes a reflexão, transmitindo emoção sensação e outros fatores que percebem a identidade através do estilo que o individuo ouve. A Música estabelece a comunicação entre professor e aluno.

 

3.2 Justificativa

                

                 A Música possui papel significativo na educação das crianças contribuindo para o desenvolvimento sócio afetivo, psicomotor e cognitivo. Além de facilitar o processo de aprendizagem na construção do conhecimento promovendo o desenvolvimento da sensibilidade, do senso rítmico, do prazer de ouvir música, da imaginação, da criatividade e a concentração e atenção.

 

3.3 Problematização

 

                           Compreender quais as contribuições que a música trás para a Educação Infantil no processo de aprendizagem e perceber como a mesma pode auxiliar nas atividades pedagógicas. Sabe-se que a música é um meio de comunicação, pois ela abre possibilidades para a exploração e descobertas.

 

 

3.4 Objetivos

 

Objetivo geral

 

Explorar os elementos da música para se expressar conhecer e também manipular diversos instrumentos musicais, interagir com os outros e ampliar seu conhecimento sobre o mundo.                                

 

Objetivos específicos

 

  • Promover a socialização através da música;
  • Desenvolver o senso rítmico, com a formação do desenvolvimento motor e auditivo;
  • Desenvolver a linguagem, percepção, audição e habilidades.

                       

3.5 Conteúdos

            

  • Identificar os tipos de instrumentos musicais, por meio da observação;
  • Perceber os tipos de músicas;
  • Identificar as características especifica de diversos instrumentos musicais;
  • Desenvolver atividades lúdicas com a música;
  • Realizar apresentação musical; Nome dos instrumentos e das músicas;
  • Conversas, expressão de sentimentos, imitações e rimas;               
  • Mostrar os tipos de instrumentos musicais;
  • Realizar brincadeiras, pinturas, imitações, dança, textura, cores com a música;
  • Ouvir a música em silêncio;
  • Ouvir e cantar junto;

 

3.6 PROCESSOS de desenvolvimento

                   1° Aula: Em uma roda de conversa, questionar os estudantes, sobre os sons, para que servem e como seria viver sem eles. Mostrando os vários tipos sons, ex: propor para eles a experiência de ouvir os barulhos do ambiente e do próprio corpo. Fazer o uso de colher, tampas de panela entre outros objetos que fazem barulho.

 

                           2° Aula: Apresentar para as crianças a brincadeira da estátua, enquanto a música esta tocando, as crianças devem caminhar ou dançar. Quando a melodia parar imediatamente, usar os instrumentos, um representa o silêncio e o outro o som. Para que os alunos possam perceber a diferença dos mesmos.

 

                            3° Aula: Produzir tipos de sons, preencher três latas de refrigerantes, com pedra, feijão e arroz, pedir aos alunos que manuseiem percebendo os diferentes sons produzidos pelas mesmas. E reproduzir o barulho com a boca.

 

                 4° Aula: Assistir o vídeo da Xuxa com a música, cabeça, ombro joelho e pé, fazendo gestos para que as crianças estimulem os sentidos, percebendo o pulso do coração no andar e estalar do dedo batendo o pé.

 

                 5° Aula: Nesta aula utilizará baquetas feitas para a produção do barulho. Em seguida distribuir as baquetas para cada criança com a supervisão e orientação da professora para que possa reproduzir o mesmo som.

 

                           6° Aula: Durante a aula reunir diversos materiais que produza sons, tampas, pandeiros, sinos, guizos etc. e cantar a música popular: um homem vinha pela estrada tocando violão, e outro acompanhava tocando seu tambor e outro acompanhava com a corneta e outro o acordeom produzindo uma história sonorizada. Aguçando o prazer de ouvir.

 

 

                          7° Aula: Nessa aula um cantor virá para fazer a apresentação do instrumento que ele utilizara para tocar que é o violão, em seguida ele tocará músicas infantis e com ritmos diferentes, pedindo que as crianças acompanhem com palmas, batendo os pés e fazendo uma série de movimentos.

 

 

 

 

3.7 Tempos para a realização do projeto

 

                            Este projeto foi desenvolvido para dois meses, acontecendo toda quarta-feira.

 

 

3.8 Recursos humanos e materiais

 

                            Os materiais utilizados são: CD e DVD, vídeo da (Xuxa) televisão, colher, sinos, pandeiro, tampas de panela, guizos, latas de refrigerantes, violão, bandinha de instrumentos infantis e baquetas, arroz, feijão, pedra.

 

 

3.9 Avaliação

 

Será feita através de diagnostico processual, observando se os alunos interpretam, improvisam e compõe. Demostrando alguma capacidade e habilidade, exercitando o pensamento musical, e observar se os mesmo se interagem em grupo ou individualmente.

 

 

 

 

 

 

3  Considerações finais

 

Nesse trabalho constatou-se que o trabalho por meio do ensino da música na Educação Infantil é fundamental para o desenvolvimento da criança. Pois nessa faixa etária os estudantes precisam de estímulos ambientais e sensoriais que contribua para o seu aprendizado sobre o mundo.

 Observou que o educador precisa trabalhar a música na sala de aula, articulando, o eixo da música com outras áreas do conhecimento, promovendo um trabalho que possibilite uma aprendizagem significativa.

Neste contexto foi possível perceber que a música enriquece o repertório musical dos estudantes, promovendo o ensino da música de forma lúdica, cantando para as crianças e utilizando brincadeiras que trabalham o som, mas é preciso de materiais adequados, para auxiliar o trabalho musical.

Enfim com esse estudo foi possível perceber a importância da música na educação infantil e os benefícios para o desenvolvimento da criança como facilitador da aprendizagem.

 

 

 

 

 

 

 

 

REFERÊNCIAS

ANDRADE, Klésia, Garcia; CAVA Laura, Célia S. Cabral. Fundamentos e metodologias do ensino das artes e da música. In UNIVERSIDADE NORTE DO PARANÁ. Curso de pedagogia: módulo 4. Londrina: Ed. Da Unopar, 2007. P. 116.

BRASIL, Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretária de Educação Fundamental, Brasília, v.3. Conhecimento de Mundo. MEC/ SEF, 1998.

BRÉSCIA, Vera Lúcia Pessagno. Educação Musical: bases psicológicas e ação preventiva. São Paulo: Átomo, 2003.

 

BRITO, T. A. Música na educação infantil – propostas para a formação integral da criança. São Paulo: Editora Petrópolis, 2003.

 

DEL BEM, Luciana; HENTSCHKE, LIANE. Aula de música: do planejamento e avaliação a prática educativa. In:_Ensino de música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo: Moderna, 2003.p. 176-189.

GÓES, R, S. A música e suas possibilidades no desenvolvimento da criança e do aprimoramento do código linguístico. Revista do Centro de Educação á distância - CEAD/ UDESC. V.2, n.1, 209.

 

JOLY, Ilza Zenker Leme. Educação e educação musical: conhecimento para compreender a criança e suas relações com a música. In: DEL BEM, Luciana; HENTSCHKE, Liane (Org.) Ensino da música: propostas para pensar e agir em sala de aula. São Paulo. Moderna, 2003. P. 113-140.

 

HOWARD, V. H. A MÚSICA EA CRIANÇA. São Paulo: Summer, 1984.

LEI n° 11769, de 18/08/2008. Altera a Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei das Diretrizes de Base da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Brasília, 1996.

LIMA, S. V. A Importância da Música no Desenvolvimento Infantil. Artigonal Diretório de Artigos Gratuitos 2010. 

Ministério de Educação e Cultura. Secretaria e Ensino Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Arte, Brasília, 1997.

Nicolau, M. L. M. A educação artística da criança. 2° ed. São Paulo: Ática, 1987.

NOGUEIRA, M. A. A música e o desenvolvimento da criança. Revista da UFG, v. 5, n.2, 2003.

OLIVEIRA, Jaqueline. O ensino da música na ética escolar, 3 de dez. 2011. Disponível em: http://www.webartigos.com/artigos/o- ensino-da-música-na-ética-escola/ 80969/ Acesso em: agosto de 2016.

PIAGET, Jean. A arte de ensinar música nas escolas. Disponível em: http://jesuspaiva.blogspot.com.br/2011/10/sobre a- teoria- psicogenetica-de-piaget-1.htm1. Acesso em agosto de 2016.

RIZZO, Gilda. Educação pré- escolar. Rio de Janeiro: F. Alves, 1985.

 

 

 

 

 

 

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte