Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Setor madeireiro se reúne com deputado e apresenta pauta de reivindicações
Empresários também agradeceram ao deputado o trabalho realizado em 2017
12:43   12 de Janeiro, 2018
da5fce2a10fb90252c8436c812056d78.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Em visita à Alta Floresta nesta quarta-feira, o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) se reuniu com representantes do setor madeireiro na sede do Simenorte- Sindicato dos Madeireiros do Extremo Norte de Mato Grosso- e diversas questões inerentes às indústrias de base florestal foram apresentadas ao parlamentar. 
O vice-presidente do Simenorte, Frank Rogieri, disse que além de fazer novas cobranças em benefício da categoria, os empresários e diretores do sindicato também fizeram um agradecimento ao empenho que o deputado teve para o setor floresta, não só de Alta Floresta, mas de todo o Brasil em 2017. 
“Com a força da Frente Parlamentar de Agricultura ele conseguiu realizar uma aproximação do nosso setor com o Ibama e o Ministério do Meio Ambiente. Rompeu uma barreira e conseguimos sentar na mesma mesa e avançar em vários pontos comuns, que fazem bem ao meio Ambiente e ajudam as empresas que trabalham com seriedade, a se desenvolverem”, disse Frank.
Na sequência, conforme o vice-presidente do Simenorte, foi proposta uma agenda prepositiva para 2018, reforçando para o deputado a necessidade sobre o Refis das micro e pequenas empresas, assim como estão fazendo o próprio Sebrae e as federações das indústrias, uma vez que o presidente Michel Temer vetou o projeto de lei, que daria  oportunidade para as micro e pequenas empresas que estão endividadas, de se reabilitarem. 

“O projeto daria um fôlego para as micro e pequenas empresas endividadas com a União. Pleiteamos este projeto através do Sebrae e das federações e a Câmara dos Deputados e o Senado fizeram este projeto, que daria a oportunidade das empresas parcelarem as dívidas com juros e multas menores. Com isto, as empresas teriam oportunidade de se organizarem, ter fluxo de caixa e voltarem a crescer agora em 2018. Mas o Temer vetou”, observa.
Com a decisão do presidente, Frank reitera que o setor madeireiro está pedindo apoio para derrubar o veto do presidente. “Estamos cobrando apoio da bancada federal para que o veto seja derrubado e as mesmas condições que foram dadas às grandes empresas, também sejam dadas para o pequeno e micro empresário”, disse.
Outra reivindicação apresentada pelo setor madeiro ao deputado federal, é que ele faça gestão junto a Sema (Secretaria Estadual de Meio Ambiente e ao Conama [Conselho Nacional do Meio Ambiente], para que os projetos de manejos, que atualmente tem validade de um ano, passem a ser de dois anos diretos.
“Hoje, quando se libera o projeto temos a autorização para um ano e se for necessário, pede-se a renovação para o segundo ano. Mas o problema é que a renovação custa dinheiro e é demorada. Além de desperdício financeiro dos empresários, temos o desperdício do governo, quem tem que atender a mesma demanda novamente, uma vez que poderia ter sido emitido uma licença só com prazo maior”, explicou.
Os empresários do setor de base floresta também cobraram do parlamentar que seja criado uma agenda com a Polícia Rodoviária Federal para que sejam qualificados os policiais rodoviários federais, para se criar um procedimento de fiscalização da madeira na estrada. 
A cobrança e que a fiscalização seja uniforme e feita de forma coerente. “Estamos dispostos até a fazer um investimento para que os policiais aprendam a cubar uma madeira e identificar as espécies de forma correta, para que as pessoas que trabalham de forma seria não sejam penalizadas”, disse.
Frank disse que Nilson Leitão ficou sensibilizado com a situação, considerou justos os pleitos apresentados e assegurou que irá trabalhar para resolver estas questões. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte