Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Nota de esclarecimento IBGE
IBGE emite nota de esclarecimento referente à matéria de autoria de José Vieira do Nascimento, incluindo uma entrevista com o Professor Dr. José Antônio Tobias, publicada no dia 5 de janeiro
13:15   19 de Janeiro, 2018
d924b902a86c15bcae074a68a0c29ba4.jpg

Nota de esclarecimento referente à matéria de autoria de José Vieira do Nascimento, editor do jornal Mato Grosso do Norte, Alta Floresta/MT, incluindo uma entrevista com o Professor Dr. José Antônio Tobias, publicada no dia 5 de janeiro de 2018 no veículo supracitado. 
Em resposta à referida matéria, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por meio da Unidade Estadual em Mato Grosso, destaca inicialmente que não possui dentre suas atribuições “autorizar” ou “impedir” a implantação de cursos superiores no país. 
Ademais, como órgão produtor das estatísticas oficiais, reconhecido internacionalmente pela sua excelência, possui como valor essencial a busca do conhecimento científico, visto possuir em sua estrutura uma Escola Nacional de Ciências Estatísticas, que oferta à sociedade brasileira de forma gratuita cursos de graduação, mestrado e doutorado, destacando assim a valorização que a instituição demonstra em relação à educação. 
Assim sendo, não compete ao IBGE impedir a solicitação de nenhuma atividade empresarial e/ou educacional privada, mas sim cumprir a sua missão de retratar o Brasil com as informações necessárias ao conhecimento da sua realidade e ao exercício da cidadania, incluindo-se neste contexto a busca pelo interesse coletivo e não de interesses individuais e/ou de atividades empresariais. 
Por oportuno, cabe salientar à população do município de Alta Floresta que as operações censitárias sempre ocorrem tendo como escopo a realização das reuniões das Comissões Municipais de Geografia e Estatística (CMGEs), das quais participam representantes do Executivo, Legislativo, Judiciário e sociedade civil organizada, incluindo as instituições de ensino, tanto públicas quanto privadas. Cumpre destacar que o Diretor da Faculdade de Alta Floresta, Professor Dr. José Antônio Tobias, foi convidado a participar de uma reunião específica para tratar sobre as estimativas populacionais e não compareceu. 
Ressalta-se ainda que o poder público municipal encaminhou, em 18/09/2017, o Ofício N° 294/2017/GP, versando sobre a estimativa populacional de 2017 de Alta Floresta, expediente este que foi prontamente respondido em 20/09/2017, por meio do Ofício n° 1120/2017, gerando o processo administrativo n° 03651.000521/2017-47. No referido processo, consta a metodologia sobre as estimativas populacionais e sobre o trabalho desenvolvido pelo IBGE. 
Por fim, cabe salientar que matérias com o teor apresentado em nada contribuem para o esclarecimento da população na medida em que promovem uma tentativa de desqualificação dos trabalhos do IBGE, gerando inclusive efeitos negativos, pois prejudicam sobremaneira o trabalho dos pesquisadores na coleta das informações tão necessárias ao conhecimento da realidade social, econômica, agropecuária, ambiental e também populacional do município de Alta Floresta. Além dos levantamentos populacionais, por ocasião das operações censitárias, o IBGE levanta de forma contínua os principais indicadores macroeconômicos do país, tais como taxa de desemprego, inflação, PIB, dentre outros, os quais somente podem ser alcançados por meio da coleta de dados nos municípios. 

Metodologia 
A estruturação do programa de trabalho do IBGE na área de Demografia prevê a realização de operações censitárias, cujas informações constituem a principal fonte de informação para o cálculo das Estimativas de População divulgadas anualmente por este Instituto, e o caminho para se conhecer, com segurança, o efetivo demográfico municipal e as tendências e parâmetros indispensáveis à elaboração de projeções e estimativas populacionais anuais. 
A metodologia adotada pelo IBGE leva em conta as tendências (positivas ou negativas) de crescimento da população verificadas no período intercensitário e os fatores que compõem sua dinâmica demográfica. A divulgação das estimativas só é feita depois de esgotados os procedimentos técnicos e metodológicos necessários que garantem sua qualidade. 
Cabe destacar que, em 2013, o IBGE inovou, ao divulgar a projeção da população para as Unidades da Federação, por sexo e idade, pelo método das componentes demográficas, o que representa um importante aprimoramento metodológico. As Estimativas de População para os municípios brasileiros foram elaboradas a partir da projeção da população de cada estado, incorporando e ajustando essas populações aos resultados dos parâmetros demográficos extraídos do Censo Demográfico 2000 e 2010 e dos registros de nascimentos e óbitos. Esse aprimoramento trouxe maior robustez às projeções estaduais e, consequentemente, às estimativas das populações municipais, pois incorporaram a dinâmica demográfica regional mais recente. 
Os resultados das Estimativas de População são publicados, anualmente, no Diário Oficial da União até o dia 31 de agosto, com data de referência em 1º de julho do ano corrente. A metodologia de cálculo das estimativas está disponível nos seguintes links: 
http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/estimativa2017/default.shtm 
http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv100923.pdf

Atenciosamente, 

Millane Chaves da Silva 
Chefe da Unidade Estadual do IBGE em Mato Grosso

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte