Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Polícia tem que esclarecer quem mandou queimar a prefeitura, cobra prefeito
Cabe as autoridade policiais desvendar este caso. Esta resposta não é importante apenas para mim como prefeito da cidade. Mas para toda a população
11:45   02 de Fevereiro, 2018 - Fonte: Jornal Mato Grosso do Norte
9680b55978096afa4ef1e903f5183c0e.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor de Mato Grosso do Norte

O prefeito de Nova Bandeirantes, Valdir Pereira dos Santos, o Rio Branco (PSB) em entrevista exclusiva à Mato Grosso do Norte, concedida na segunda-feira, 29, na prefeitura, cobrou agilidade por parte das autoridades policiais, responsáveis pelas investigações sobre o caso do incêndio na sede da prefeitura, que até agora não foi solucionado.
O incêndio que destruiu a sede da prefeitura municipal, ocorreu na madrugada do dia 2 de outubro de 2017,  mas até agora  a polícia não apontou nenhum culpado. 

to ficou ruim para a imagem do município e é dever da polícia esclarecer quem foi o mandante e também quem foi ao local cometer o crime de incendiar o prédio público. 

“Está faltando a polícia resolver, achar o culpado. Esta situação está sendo muito ruim para a cidade e a população está aguardando uma resposta. E só quem pode dar esta resposta é as autoridades policiais”, disse.

Segundo o prefeito, Nova Bandeirantes está pagando um preço muito alto e desde que aconteceu o incêndio, o município parou. “Este fato travou o município. Tivemos que recuperar muitos documentos e parte importante da nossa história foi destruída. Enquanto não tiver uma solução para este caso, estaremos sofrendo as consequências”, acentua.

Sobre os supostos culpados pelo crime de queimar a prefeitura, o prefeito disse que prefere não fazer comentários. 

Natural de Araruna (PR) e morador há 27 anos em Nova Bandeirantes, Valdir, que é prefeito pela segunda vez [2008 a 2011, perdeu a reeleição e foi eleito em 2016] é formado em Administração e tem 63 anos de idade.   A seguir a entrevista. 

Mato Grosso do Norte- prefeito, quem mandou queimar a prefeitura?

Valdir- Eu tenho certeza que eu, não fui. Cabe as autoridade policiais desvendar este caso. Esta resposta não é importante apenas para mim como prefeito da cidade. Mas para toda a população. O município não pode seguir com esta dúvida. Já conversei com o governador a este respeito e falei da importância da elucidação deste crime. A população não pode continuar com esta dúvida. É muito ruim para o município. 

 Mato Grosso do Norte – O senhor se arrependeu de ter voltado a ser prefeito?

Valdir- Não me arrependo, mas está muito difícil e mais complicado do que quando fui prefeito a primeira vez. Tudo isto me fez repensar se valeu a pena. A oposição não se conforma de ter perdido a eleição e não quer deixar eu administrar. Na Câmara tem dois vereadores que são oposição, mas o problema é o grupo. A oposição está com medo pelas irregularidades que cometeu no passado. Fizeram uma operação aqui e vieram para me prender na prefeitura. Mas não acharam nada que justificasse o que aconteceu. E quando eu falei que faria uma auditoria e levantaria tudo, tocaram fogo na prefeitura.

Mato Grosso do Norte- O senhor já sofreu ameaças?

Valdir- Sim, já houve ameaças!

Mato Grosso do Norte- O senhor tem medo?

Valdir- Eu tenho medo sim. Nem tanto por mim, mas pela minha família: pelos meus filhos, minha esposa e meus netos.

Mato Grosso do Norte- Já foi concluído a auditoria?

Valdir- Na verdade é um levantamento completo de toda a situação. O trabalho está sendo concluído, mas não quero falar sobre isto para não me expor. Quando você está tratando com bandido é muito complicado e perigoso. Iria me expor falando sobre este levantamento. Temo pela minha família. Por isso, vou aguardar a resposta da justiça. Vou aguardar que as investigações sejam concluídas e os nomes dos culpados pelo fogo na prefeitura seja esclarecido.

Mato Grosso do Norte- O que a população pode esperar em 2018 de sua administração?

Valdir-  Apesar dos problemas temos boas perspectivas. Vamos comprar uma patrola zero, uma pá, uma retro escavadeira e uma máquina PC. Parte do recurso será do Fethab e convênios. A PC é do ministério da Agricultura. E assinei um convênio no valor de R$ 1 milhão e 575 mil para recuperar de Japuranã até no Salto da botina e Salto da integração. E estamos aguardando a liberação de um convênio para recuperar o asfalto na cidade com lama asfáltica. Estou otimista e acredito que o ano será bom para o município.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte