Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Fundação Resgate da Cidadania volta a funcionar em Alta Floresta
Autoridades do município fizeram-se presentes para a aula inaugural do projeto que inicia suas atividades nesta segunda
12:02   05 de Fevereiro, 2018
e183eefc6e2baecad80436020e7f5010.jpg

Assessoria de Comunicação

Na última quinta-feira, dia 1º de fevereiro, autoridades do município de Alta Floresta se fizeram presentes para a aula inaugural do projeto Luz do Saber, de responsabilidade e gestão da Fundação Altaflorestense de Resgate da Cidadania, com recursos advindos de projeto aprovado pelo Fórum da Comarca de Alta Floresta. O projeto tem como objetivo principal a complementação educacional de crianças e jovens, assim como de seus familiares em diversos aspectos, a exemplo de programas de aprendizagem no município.

O reinício das atividades da Fundação, bem como de seus projetos, é resultado da parceria firmada com Prefeitura Municipal, Fórum Da Comarca De Alta Floresta (Vara Criminal), Ministério Público do Trabalho e outras doações feitas por empresários e organizações do município que, juntamente com os membros da Fundação, articularam a revitalização da Fundação e a retomada dos trabalhos em prol da comunidade moradora do bairro Vila Nova.

Sediada no Bairro Vila Nova, a Fundação tem como patrimônio, hoje, a estrutura que abriga a Escola Municipal Menino Jesus e o espaço de sua sede, no qual serão desenvolvidos projetos e atividades voltadas à comunidade daquela localidade, como o Programa Luz do Saber, que visa a alfabetização de crianças, jovens e adultos por meio do uso da ferramenta digital.

Em sua aula inaugural, conduzida pela professora Irene Duarte, membro do conselho curador da fundação, e pelo presidente do conselho diretor da Fundação, Ricardo Zapala Wetter, representantes da sociedade civil e do poder público manifestaram incentivo e apoio ao início das aulas.

Em sua fala de apoio ao projeto, o Prefeito de Alta Floresta, Asiel Bezerra pontuou: “o poder público sozinho não consegue fazer muita coisa, mas em conjunto conseguimos fazer muito mais e a retomada do programa Luz do Saber mostra isso. Com ele as pessoas da comunidade estão tendo a oportunidade de aprender a ler e escrever. No que for preciso, a Prefeitura de Alta Floresta estará apoiando o projeto.” 

Para o Procurador do Ministério Público do Trabalho, DR. Márcio Ribeiro, o Luz do Saber vai além da alfabetização de pessoas da comunidade. Com ele é dado aos participantes o direito cidadão de acesso a informação. “Um povo consciente de seus direitos e deveres é um povo que tem mais participação efetiva na sociedade.” 

O Procurador ainda ressalta a importância de projetos que reúnam a sociedade organizada. “Todo trabalho que conta com a participação de diversos setores da sociedade organizada são projetos que tem um horizonte de vitórias e realização, pois é uma responsabilidade que não se encerra apenas no âmbito do poder público”. Conclui Ribeiro. 

Ainda participaram deste momento moradores da Vila Nova, líderes religiosos das igrejas da comunidade altaflorestense, o Dr. Suetônio Paz, doador da área da Fundação (juntamente com a falecida Dra. Irene Bricatti Paz [in memoriam]), o Ten. Lucas (do corpo de bombeiros) e membros do Rotary Club da comunidade.

Para Ricardo Zapala Wetter, presidente do conselho diretor da Fundação, para este início é um motivo de gratidão o apoio da Justiça Estadual - Fórum local, que apoia financeiramente o Projeto, ao Ministério Público do Trabalho, que apoiou a reforma de uma ala da Fundação, e aos empresários e comunidade local que também apoiaram a iniciativa.

Programa Luz do Saber - O Programa Luz do Saber visa a alfabetização de crianças, jovens e adultos por meio do uso da ferramenta digital. Com isto, pretende-se auxiliar na superação de três desafios sociais e econômicos impostos à sociedade brasileira, que são: o reforço escolar de crianças para superação do analfabetismo funcional; a alfabetização de jovens e adultos; e a inclusão digital de jovens, adultos e crianças.

Esta iniciativa integra uma rede de alfabetização e inclusão digital que, utilizando proposta pedagógica voltada para analfabetos absolutos e funcionais com evasão escolar, em 8 anos alfabetizou mais de 8.000 pessoas em 9 estados brasileiros (MS, MT, MG, AC, BA, RJ, RS, RO e SP).

A divulgação deste software e apoio técnico ao projeto conta com o apoio da Associação Beneficente Casa da União, sediada em Brasília e com filial em Cuiabá (Casa da União Santa Luzia).

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte