Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Alta Floresta tem R$ 17 milhões de emendas a serem liberadas em 2018
A prefeitura está com as certidões todas em dia e os projetos prontos. O governo pagando estaremos aptos para receber e para executar as obras
12:41   05 de Fevereiro, 2018
b33dfbf41bcdbe775384e669e76bb0a9.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor de Mato Grosso do Norte

O prefeito Asiel Bezerra (MDB) acredita que 2018 será para Alta Floresta, melhor do que foi 2017. Na quarta-feira, 31, ele concedeu em seu gabinete, uma entrevista exclusiva ao jornal Mato Grosso do Norte e falou de suas expectativas, no âmbito da administração municipal, para este ano.

 “Espero que 2018 seja um ano bom. Estou otimista e estou torcendo para que seja um ano bom!  2017 foi muito difícil em função da crise do Brasil, mas com a retomada do crescimento no país, Alta Floresta voltará a crescer e iremos normalizar a nossa administração”, disse. 
 Na sua opinião, o Brasil voltou a crescer, principalmente por causa do Agronegócio, e Alta Floreste tem a vantagem deste segmento está se expandindo no município. Conforme ele, o município está virando a chave de sua matiz econômica. Antes havia apenas a pecuária e agora já tem uma grande área plantada de grãos no município.

“Todo Mato Grosso diz que Alta Floresta é a bola da vez. Temos um potencial nos 6 municípios da região, de 1 milhão e 300 mil hectares para plantio de grãos.  Em 5 anos tudo isto deve ser plantado. Isto por causa da nossa logística que caminha para ser a melhor do Brasil por causa da saída de exportação pelo porto de Miritituba. A BR-163 deve estar concluída os quilômetros que faltam asfaltar até em 2019. E o governo do Estados nos prometeu que inicia a obra de asfalto do trevo de Carlinda até Novo Mundo este ano. Só faltam 60 quilômetros. Com isto, nossa logística será uma das melhores do país e serão poucas as regiões que poderão competir com Alta Floresta, que vai crescer com estes investimentos e nossa perspectiva é a melhor possível”, avalia Asiel.

 Salários -  O prefeito assegura que vai regularizar o pagamento do salário dos servidores, principalmente da Saúde. Mas este mês ainda terá problemas. 

“Se os repasses dos governos federal e estadual estivessem certo, não teria problema de atraso de salário. Nem na saúde e nem na Educação. A arrecadação própria do município é de apenas 13% da receita total e dependemos muito do governo federal e um pouco do governo do Estado.Quando atrasa estes repasses não tem como pagar. A programação da saúde no ano passado do governo estadual, não foi repassado nem um centavo para a prefeitura do que teria que nos pagar. Se nós tivéssemos estes repasses em dia, o salário também estaria em dia. Porém, não é por causa disso que temos que deixar de pagar. Aconteceu este impasse e estamos procurando resolver o mais breve possível”, explica o prefeito.

Por enquanto, Asiel disse que não pretende fazer mudanças no secretariado. No entanto, observa que a administração é dinâmica e o cenário pode mudar a qualquer momento. “Hoje pode não ter mudança e amanhã poderá ter porque não é uma coisa estática. Mas o secretariado está suprindo as necessidades de acordo com as condições de trabalho que tem. Estou contente com o desempenho dos secretários. Se não tivesse satisfeito, já teria trocado”, acentua.

Emendas – A programação da prefeitura para este ano, segundo o prefeito, é para a execução de várias obras.

“Em 2017 corri atrás dos deputados estaduais, federais e senadores e conseguimos R$17 milhões para este ano de 2018. Geralmente não se consegue que todas emendas sejam pagas, mas como este ano é político, penso que pelos menos setenta por cento das emendas sejam liberadas até no mês de julho. A prefeitura está com as certidões todas em dia, os projetos todos prontos. O governo pagando estaremos aptos para receber e para executar as obras”, assegura. 

“Além do posto de Saúde no bairro Jardim das Flores, inaugurado na segunda-feira, 30, vamos entregar em 60 dias, a Unidade de Saúde do Jardim Guaraná, a ponte do bairro Boa Nova será inaugurada em breve e vamos construir a ponte de acesso ao bairro Cidade Bela este ano. Quero deixar Alta Floresta sem ponte de madeira no perímetro urbano até no final do meu mandato. Era um sonho de todos os prefeitos e que se tornará realidade na minha gestão”, disse.

Maquinários – Estou em busca de um financiamento no Banco do Brasil de R$ 6 milhões para a compra de maquinários. Máquinas novas trabalham sem manutenção. No mandato passado conseguimos comprar três patrolas novas, três caminhões novos e uma PC. Mas grande parte do nosso maquinário tem mais de 20 anos de uso. Vai trabalhar cedo, meio dia quebra e fica 4 dias parados dando custo alto para o município. O dinheiro de pagar a reposição de peças, pagaremos a parcela do financiamento. A máquina nova só precisa trocar o óleo para trabalhar”, observa.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte