Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Mato Grosso assegura investimento de R$ 900 milhões em rodovias estaduais
Melhorias nas rodovias de Alta Floresta começam no primeiro semestre deste ano
12:33   02 de Março, 2018
e5e5591e6e2f549b8389d2b4d97642a4.jpg

Betell Fontes
Sinfra-MT 

O governador Pedro Taques bateu o martelo na Bolsa de Valores B3, na quarta-feira (28.03), em São Paulo, no leilão de 300 quilômetros de rodovias estaduais, que garante para Mato Grosso R$ 900 milhões de investimentos na prestação de serviços públicos de conservação, recuperação, manutenção e melhorias de rodovias. O Estado tem previsão de arrecadar inicialmente R$ 16,2 milhões em outorgas. 
O Consórcio Via Brasil arrematou os dois lotes com oferta de outorga fixa para o lote 1 (Alto Araguaia) de R$ 10,05 milhões, um ágio de 179,16% sobre o valor de outorga mínimo de R$ 3,6 milhões definido no edital. Já no lote 2 (Alta Floresta), o lance foi de R$ 6,16 milhões, representando um ágio de 516% sobre o valor mínimo de R$ 1 milhão previsto no edital.
Concessões- A concessão desses 300 quilômetros de rodovias estaduais faz parte do Pró-Estradas Concessões: Programa de Parcerias com o Setor Privado para Investimentos na Logística de Mato Grosso. Foram licitados os trechos de 111,9 km da rodovia MT-100 em Alto Araguaia (Lote 1) e de 188,2 Km da rodovia MT-320 | MT-208 em Alta Floresta (Lote 2).
Com a finalização do leilão, os contratos devem ser assinados após o pagamento total das outorgas, ainda no primeiro semestre de 2018. Depois do período de 12 meses da assinatura do contrato e do cumprimento das exigências estabelecidas no edital, só então a empresa poderá começar a cobrar o pedágio nas rodovias. Os investimentos nas rodovias serão realizados a partir do primeiro mês após assinatura.
A concessão será pelo período de 30 anos. O consórcio Via Brasil é composto por seis empresas, tendo como líder a Conasa Infraestrutura S.A. (Londrina-PR). Além da Conasa, compõe o consórcio as empresas, Zetta Infraestrutura e Participações (São Paulo – SP), Construtora Rocha Cavalcante (Campina Grande – PB), Fremix Pavimentação e Construção (Barueri – SP),  FBS Construção Civil e Pavimentação (São Paulo – SP) e CLD – Construtora Laços Detetores e Eletrônico (São Bernardo do Campo - SP).
Valor do pedágio- “Nós adotamos um modelo de maior outorga, baseado na tarifa fixa para todos os lotes, sem dúvida nenhuma o sucesso que nós tivemos de ágio nestas outorgas foi graças a esta escolha acertada que o Estado fez. Nós temos uma tarifa fixa de R$ 7,90 por eixo e no trecho de Alto Araguaia serão duas praças de pedágio e em Alta Floresta ficará com três praças”, explicou.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte