Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Vereadores cogitam fazer moção de repúdio contra o governador
Parlamentares estão indignados com a crise no hospital regional de Alta Floresta
13:52   07 de Março, 2018
f4e088d77e67f4cf78b09920e23a7495.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor MT Norte 

Vereadores de Alta Floresta cogitam fazer uma Moção de Repúdio contra o governador Pedro Taques (PSDB) por causa da situação da Saúde no município, agravada pela greve dos médicos no hospital regional.
A ideia partiu do vereador Mequiel Zacarias (PT), que defende que a Moção deve ser  contra o governador pela situação de descaso em que a saúde foi relegada no município. Os médicos do Hospital regional estão há cerca de 6 meses sem receber seus salários e estão em greve há mais de 20 dias. Mesmo assim, o governo estadual não adota qualquer tipo de providência.
Já o pemedebista Luiz Carlos foi duro em suas críticas contra o governador Pedro Taques.  “Esse é o governo da mentira. Não tem responsabilidade e falta com respeito à população com relação ao hospital regional”, disse em pronunciamento na tribuna.
Luiz enfatiza que a Câmara de Alta Floresta deve fazer uma mobilização com as demais Câmaras dos municípios que compõem o consórcio intermunicipal de Saúde, para que todos os vereadores façam cobranças duras ao governador sobre uma solução para a crise na saúde.
“Temos que levar a proposta de uma moção de repudio ao governador para todos os presidentes de Câmaras dos 6 municípios da região de Alta Floresta”, afirmou Luiz Carlos.
O vereador Elói Crestani (PMDB) também defende a ideia da moção de repúdio ao governador. “Esse governo é o governo da transformação, mas está transformando a vida das pessoas em sofrimento. Quem sabe com a moção de repúdio e cobranças duras o governador tome vergonha na cara e resolva a situação”, asseverou.
Já o presidente da Câmara de Alta Floresta, Emerson Machado (PMDB), em tom mais moderado disse que não quer desrespeitar o governador, pois ele é uma autoridade, mas irá visitar os outros 5 municípios que formam o consórcio de saúde, conversar com os presidentes das Câmaras Municipais, para organizar um protesto em Cuiabá contra o governo.
“Cobrar não resolve! Já fomos em Cuiabá e tivemos uma audiência com o governador, ele prometeu que iria pagar a dívida do hospital, mas não cumpriu até agora. Nós vereadores estamos acompanhando o sofrimento das pessoas, estamos cobrando, mas somos limitados e não podemos fazer nada. O governador diz que vai resolver mais não acontece nada. Nossa vontade de resolver é grande, mas somos limitados e o governador parece que não tem coração!”, enfatiza Emerson.
O parlamentar afirmou que irá mobilizar as câmaras municipais para organizar uma ação conjunta, culminando em um protesto com a participação de vereadores dos municípios da região em frente ao palácio do governo.
“Vamos fazer um protesto com cartazes e faixas para chamar a atenção da imprensa em todo o Estado. Não dá para esperar mais diante desta situação em que se encontra a saúde”, assegurou.
A vereadora Elisa Gomes (PDT) disse que recebeu informações do diretor do hospital Regional, José Marcos, que está em Cuiabá, que está sendo processado os pagamentos dos médicos do hospital regional, dos meses de outubro e novembro. E, segundo ela, o mês de dezembro já está na programação.
No entanto, a vereadora observou que os salários dos funcionários do hospital está em dia. Somente está atrasado os dos médicos. “As empresas que cuidam da contratação dos médicos não devem aceitar que os salários fiquem 6 meses atrasados. Deveriam acionar o Ministério Público do Trabalho. Os médicos são trabalhadores e não podem ficar sem receber”, comentou.
Ela disse que o Conselho de Saúde já entrou com ação pedido bloqueio de contas nas justiças para as gestantes do município não ficarem sem atendimento

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte