Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
5 deputados estaduais serão investigados na Bererê
21:53   23 de Março, 2018
21467d71c77202486cb729675fefa5bb.jpg

O desembargador José Zuquim Nogueira, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJ-MT), autorizou a extensão das investigações da Operação Bereré em relação a mais cinco deputados estaduais.

São eles os deputados estaduais Romoaldo Júnior (MDB), José Domingos Fraga Filho (PSD), Wilson Santos (PSDB), Baiano Filho (PSDB), e Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD). A decisão foi proferida na quarta (21) e atendeu um pedido do Ministério Público Estadual.

A Bereré, deflagrada no mês passado, apura esquema de fraude, desvio e lavagem de dinheiro no âmbito do Detran-MT, na ordem de R$ 27,7 milhões, que operou de 2009 a 2015.O desembargador avaliou que o pedido, de fato, encontra amparo nos elementos colhidos nas oitivas. Citou que Luiz Otávio Borges, assessor parlamentar de Baiano Filho, disse que recebe depósito de valores em sua conta bancária e, em seguida, faz pequenos saques e efetua pagamentos para o deputado. Contou ainda que os três cheques emitidos pelo investigado Claudemir Pereira dos Santos e, depositados em sua conta, são oriundos do parlamentar, e foram usados para pagar despesas de gabinete.

Segundo as investigações, parte dos valores repassados pelas financeiras à EIG Mercados por conta do contrato com o Detran retornava como propina a políticos, dinheiro esse que era “lavado” pela Santos Treinamento – parceira da EIG no contrato - e por servidores da Assembleia, parentes e amigos dos investigados.

Até então, em relação a deputados estaduais, eram investigados na operação apenas o presidente da Assembleia, Eduardo Botelho, e o deputado Mauro Savi.

A decisão atendeu pedido do Ministério Público Estadual (MPE).

No requerimento, o MPE afirmou que após a operação, que desencadeou buscas, apreensões e dezenas de depoimentos, surgiram indícios que apontam “possível prática de crimes pelas pessoas contra as quais quer se estender as investigações”, no caso, os cinco deputados já citados.

O desembargador avaliou que o pedido, de fato, encontra amparo nos elementos colhidos nas oitivas. Citou que Luiz Otávio Borges, assessor parlamentar de Baiano Filho, disse que recebe depósito de valores em sua conta bancária e, em seguida, faz pequenos saques e efetua pagamentos para o deputado. Contou ainda que os três cheques emitidos pelo investigado Claudemir Pereira dos Santos e, depositados em sua conta, são oriundos do parlamentar, e foram usados para pagar despesas de gabinete.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte