Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Polícia Federal tem 90 dias para investigar Ezequiel Fonseca por compra de votos
12:14   05 de Abril, 2018
b7d834f7965418a223b0e9ad99206317.jpg

Arthur Santos da Silva, repórter do GD

 

O ministro Marco Aurelio, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu prazo de 90 dias para que a Polícia Federal investigue o deputado federal Ezequiel Fonseca (PP) em inquérito por compra de votos.

Segundo os autos, o inquérito foi instaurado pela Delegacia de Polícia Federal em Cáceres (250 Km de Cuiabá), visando apurar denúncia anônima sobre a suposta captação ilícita de sufrágio, por meio da concessão de casas populares, em 2010.

A decisão estabelecendo 90 dias é do dia 26 de março e foi estabelecida levando em conta pedido da própria Polícia Federal e parecer do Ministério Público Federal (MPF). Os programas Minha Casa Minha Vida, Morar Melhor e Meu Lar são foco da investigação.

O MPF apontou a necessidade de prorrogação do inquérito para “identificar as pessoas que alegadamente teriam recebido casas populares em troca de votos, na campanha eleitoral de 2010, e os ocupantes de cargos comissionados nomeados pelo parlamentar, os quais teriam repassado percentual da remuneração para formação de ‘caixa’ de campanha”.

Já a Polícia federal, na figura do delegado Wellington Santiago da Silva, afirma que é necessário prorrogar o prazo para buscar “continuidade das investigações pendentes e a realização de diligências que se fizerem indispensáveis”.

Fonseca era deputado estadual à época. A suspeita é que ele tenha atuado com a conivência do então presidente da Câmara Municipal de Cáceres, Alvasir Ferreira Alencar.

A Assembleia Legislativa e a prefeitura de Cáceres já prestaram esclarecimento sobre o caso. O inquérito foi instaurado no mês de maio de 2016.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte