Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Vereadores cobram solução de problemas no fornecimento de energia em Paranaíta
Na zona rural do município, moradores ficam até 7 DIAS sem energia elétrica quando cai o sistema
12:38   13 de Abril, 2018
74a35b3477a522abb9af427523721968.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

A população de Paranaíta, tanto na cidade como na zona rural, vem sofrendo grandes transtornos com as constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica, serviço de responsabilidade da Energisa.
Para cobrar responsabilidade e uma solução dos problemas, o presidente da Câmara Municipal de Paranaíta, vereador Manoel de Moura, o Netinho (PDT), convocou diretores da empresa para uma reunião, realizada na terça-feira, às 9hs, na Câmara Municipal.
Entre os representantes da Energisa que participaram da reunião, estava presente Miguel Mendes Lara, de Sinop que é coordenador técnico da empresa, e o analista comercial, Solimar Souza Lima. 
Os vereadores que participaram da reunião, fizeram diversos questionamentos e cobranças duras aos diretores da empresa. Além de Netinho, participaram da reunião os vereadores Rusdael Barbosa, Adimilson Mota, Elvis Pedroso, Ismael e José Domingos, o Birobiro.


 “As quedas no fornecimento de energia em Paranaíta é constante. E outro problema grave é que na zona rural, quando o fornecimento é interrompido, demora voltar. Já houve ocasião que os moradores ficaram 7 dias sem energia elétrica. E o prejuízo para os produtores de leite é grande, porque eles precisam de energia para o resfriador funcionar. Sem contar o transtorno que esta situação causa à população”, enfatiza Netinho.
Conforme o parlamentar, uma das principais cobranças feita por todos os vereadores que estavam presentes, foi que a empresa aumente seu efetivo no município, através da contratação de mais uma equipe para atender as demandas locais.
“Paranaíta é um município de grande extensão territorial e quando acontece um problema no fornecimento de energia no assentamento São Pedro, a 60 quilômetros da cidade, ou na Gleba Mandacaru, que fica a 100, a empresa demora fazer o atendimento por que só tem uma equipe”, explica o vereador.
Segundo Netinho, os representantes da empresa assumiram o compromisso de apresentar uma solução para as questões apresentadas, num prazo de 7 dias.
“Nos prometeram que irão resolver os problemas e contratar mais funcionários para o município. Vamos aguardar. E se não haver uma solução, a Câmara irá tomar outras providências, como acionar o Ministério Público. Mas estou otimista e considero a reunião muito positiva”, observou o presidente da Câmara.

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte