Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Prefeitura vai acionar justiça para cobrar repasses atrasados da Saúde
Prefeita diz que município precisa deste recursos para estrutura UBSs para o Pronto Atendimento
12:25   07 de Maio, 2018
5f62355d083c492a7f9619ae390123b9.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor de MT do Norte 

A prefeita interina de Alta Floresta, Marinéia Munhoz (PSD) concedeu uma entrevista coletiva à imprensa na manhã de sexta-feira, 4, em seu gabinete, e tratou de diversos assuntos ligados à administração municipal. 

Em uma breve avalição do período em que está à frente do município, ela diz que não está sendo fácil, mas que está se esforçando para dar continuidade nas ações que vinham sendo planejadas pela administração.
“A prefeitura já vinha patinando, mas estou trabalhando com esforço e muita cautela, mas já houve melhoras com as mudanças que venho fazendo, e minha vontade e meta é que melhore mais ainda”, disse.
IBGE- Em sua recente viagem à Brasília, a prefeita falou de sua decepção ao procurar o IBGE para falar sobre o erro no registro da população de Alta Floresta. Oficialmente, o município tem apenas 50 mil habitantes, mas a prefeitura tem dados que comprovam que a população já passa de 65 mil moradores.
“Procurei os diretores do IBGE e é muito triste falar sobre isso. O diretor do IBGE me falou que somente em 2020 poderá ser feita uma nova recontagem da população”, disse a prefeita.
Asfalto- A emenda para asfalto que há anos vem sendo cogitada para Alta Floresta, mesmo já estando no limite para as liberações dos recursos em função do ano eleitoral, a prefeita disse que continua acreditando que as mesma possam ser liberadas.
“Temos que estar confiante. Creio e tenho esperança que vai ser liberada esta emenda. Se vir vou ficar muito feliz. A população de Alta Floresta merece e está há muito tempo aguardando. Espero que agora aconteça realmente”, enfatizou.
Pronto Atendimento-  Para o município ter condições de estruturar as Unidade Básicas de saúde num prazo de 90 dias {novo prazo dado pelo governo estadual para fechar este serviço no hospital regional}, para atender a população no Pronto Atendimento, a prefeita Marinéia Munhoz assegura que o governo terá que pagar o que deve para o município na área de saúde em repasses atrasados, valor que se aproxima de R$ 2 milhões.
“Se o governo pagar vamos pensar nesta possibilidade de atender, mas mesmo assim não é fácil. Estamos tendo atendimento até às 23 horas no Posto Santa Barbara. E estamos esperando que o governo pague os repasses que é de direito do município. Eu cobrei ele por telefone e o governador disse que estará repassando estes valores. Estamos no aguardo, mas de concreto não há nada”, disse.
Porém a prefeita afirmou que a prefeitura irá entrar com uma ação contra o governo estadual para cobrar, na justiça, os repasses atrasados na área da saúde.
“Com certeza iremos entrar na justiça contra o governo. O jurídico já está analisando e tomando pé da situação e vamos entrar justiça sim!”, assegurou.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte