Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
ENTREVISTA: “O Estado deve ser o indutor do desenvolvimento nacional”, afirma Adilton Sachetti
Produtor rural e membro da banca ruralista da Câmara dos Deputados, o republicano está determinado em conquistar uma das cadeiras no Senado Federal nas eleições deste ano por MT
21:55   07 de Maio, 2018
8f1280a5fdc87ef949afc3b25bb0bcf5.jpg

O deputado federal Adilton Sachetti chegou ao PRB com uma responsabilidade muito grande. Ele tem pela frente o desafio de ampliar a representação do Mato Grosso no Congresso Nacional. Sachetti iniciou a trajetória política no movimento sindical do agronegócio, foi presidente de sindicatos, fundações e entidades ligados à agricultura. Entre 2005 e 2008, o republicano foi prefeito de Rondonópolis (MT) e nas eleições de 2014, ocupou o segundo lugar na lista dos deputados federais mais votados no estado.

A imprensa tem divulgado como certa a candidatura dele ao Senado Federal, com apoio do atual ministro da Agricultura, senador Blairo Maggi. E além de outros assuntos, conversamos com ele sobre as perspectivas do partido mato-grossense para as eleições 2018.

ENTREVISTA

Agência PRB Nacional – Deputado, obrigado por atender nosso pedido de entrevista.
Adilton Sachetti – Eu que agradeço pela acolhida com que fui recebido no PRB. Pude ver o carinho e a boa vontade das pessoas que me fez sentir em casa. Estou muito satisfeito com a oportunidade que o partido está me oferecendo.

 

Agência PRB Nacional – Porque o PRB e não outro partido?
Adilton Sachetti – Eu tinha a opção de filiar em outro partido, mas somente o PRB me ofereceu a liberdade necessária para construir um projeto político novo para Mato Grosso. O partido não tem representantes do estado no Congresso Nacional e trabalhava apenas com a pré-candidatura da ex-senadora Serys Slhessarenko à deputada federal. Não havia compromisso com ninguém e isso possibilitou a construção de uma candidatura ao Senado. O PRB entendeu que dava para a gente construir esse projeto e começamos a conversar e avançamos até a consolidação da filiação.

 

Agência PRB Nacional – A imprensa dá como certa a sua candidatura ao Senado Federal, é isso mesmo?
Adilton Sachetti – Estamos trabalhando para consolidar esse projeto e o primeiro passo foi dado, que é a filiação ao PRB. A princípio, o desenho era outro. Falo com toda honestidade e transparência, eu estava indo para outro partido para disputar a reeleição. Mas eu sempre dizia que se o senador Blairo Maggi não fosse candidato, eu iria trabalhar para ocupar o espaço político deixado por ele. Claro que de uma forma bem natural, porque somos da mesma cidade, do mesmo setor e com uma ligação pessoal muito forte. Com a notícia que ele não seria mais candidato, surgiu a oportunidade de eu trabalhar um projeto para o Senado. Começamos todas as tratativas para minha filiação ao PRB. Estamos conversando muito para consolidar a candidatura e temos conseguido avançar bastante no fortalecimento do projeto político que tenho ajudado a construir no Mato Grosso.

Agência PRB Nacional – O PRB é um partido que oferece autonomia para as Executivas Estaduais, esse também foi um dos motivos da sua filiação?
Adilton Sachetti – Foi exatamente o grande diferencial nesse momento que eu encontrei no PRB. Encontrei autonomia para fazer as tratativas e que são interessantes para o estado. Isso me deixou muito confortável para tomar a decisão de escolher o PRB como meu partido. A legenda carrega posições que se assemelham muito aos meus posicionamentos políticos. Eu estava num partido de esquerda e ficava impedido de atuar de acordo com as minhas convicções. Tinha muitas posições que eu não concordava, me sentia deslocado no antigo partido e o PRB me ofereceu a liberdade de defender minhas bandeiras.

 

Agência PRB Nacional – Sem contar também que o PRB no MT tem muito espaço para crescer e ocupar espaços na política.
Adilton Sachetti – Exatamente, esse é o objetivo nosso, que é construir um partido forte e decisivo na política estadual. Como ainda somos um partido em formação, dá para conclamar-mos os companheiros que têm a intenção de fazer um trabalho sério, uma política diferenciada. Tenho atuado na política há mais de 10 anos e por onde eu passei não teve nenhum ato que possa me envergonhar, pelo contrário, posso me orgulhar do trabalho da minha postura como político. O Brasil e o Mato Grosso precisam agregar pessoas que tenham compromisso com a política e não com o próprio umbigo, bolso ou qualquer outro interesse particular. Não há espaço para egocentrismo, o benefício tem que ser sempre para a sociedade.

 

Agência PRB Nacional – Já definiu como será o posicionamento do partido no estado?
Adilton Sachetti – Temos um grupo que está sendo formado, o mesmo que elegeu o atual governador e estamos conversado muito para ter um candidato ao Governo do Estado também, mas isso depende do diálogo e uma série de fatores que ainda não estão esgotados. Mas é muito provável que a gente participe de um grupo novo e mesmo assim não estamos fechados para conversas. Penso que a política é feita com diálogo e assim buscar as composições para ampliar a força do projeto que temos para o povo mato-grossense.

Agência PRB Nacional – Quais as suas bandeiras na política?
Adilton Sachetti – Eu sou produtor rural, nosso estado é predominantemente rural, mais de 75% da atividade econômica está relacionada à produção rural e o Brasil tem conseguido superar a crise graças ao nosso setor agronegócio como um todo. Defendo as bandeiras relacionadas as atividades de produção rural e do bem-estar da sociedade. Não adianta ser considerado referência no mundo em agricultura e ter dificuldades sociais que não sejam superadas. Acredito que temos que ter um Estado menor que cumpra a responsabilidade nas áreas de saúde, segurança e educação. São os três pilares que precisamos alicerçar e para isso temos que enxugar o máximo e deixar que a iniciativa privada promova o fortalecimento da economia. Penso que o Estado é apenas o indutor do desenvolvimento nacional. Nesse sentido, tenho trabalhado como deputado e quero continuar trabalhando como senador da República. Só para você ter uma ideia, temos cidades com os melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) e ao mesmo tempo populações com o IDH muito baixo e vivendo com muita dificuldade. Então, isso faz a gente se posicionar no sentido de buscar um desenvolvimento completo, onde toda a sociedade tenha a oportunidade de crescer e viver melhor.

Agência PRB Nacional – Qual o balanço que podemos fazer da sua atuação como deputado federal?
Adilton Sachetti – Eu passei um problema pessoal muito grave no início do mandato. Com apenas seis meses na Câmara dos Deputados, minha esposa foi diagnosticada com leucemia. Tive que me desdobram entre as sessões em Brasília e acompanhar o tratamento da minha esposa em São Paulo. Foram dois anos assim e infelizmente ela se foi. A gente não entende na hora, mas tem que se resignar e entender que a vida é assim. E a Rose, minha esposa, cumpriu sua missão aqui, foi em paz. Por conta disso, não tive como atuar de forma mais intensa e depois disso que precisei tirar uma licença para arrumar minha vida. Praticamente, neste último ano, minha atuação foi pequena. Mas tenho atuado muito forte em defesa do agronegócio, que é de onde eu venho, faço parte da Frente Parlamentar, e integrei a Comissão de Agricultura, e acredito que o PRB vai me indicar para continuar sendo. 

Agência PRB Nacional – O que a população pode esperar dessa nova fase sua no PRB?
Adilton Sachetti – As pessoas podem esperar muito trabalho da minha parte. Carrego comigo muita vontade de promover as mudanças que o Brasil e o estado do Mato Grosso precisam. Defendo que Estado não apadrinhe ninguém, mas que dê oportunidades para as pessoas viverem bem e melhor. Vou trabalhar muito nesse sentido, com transparência e franqueza que me é peculiar para não enganar ninguém e não prometer o que não posso entregar. O que eu posso oferecer para a sociedade mato-grossense é trabalho. Sabemos dos problemas e dificuldades que o Brasil têm e o único jeito de superar esses problemas é com muita dedicação, trabalho, seriedade e foco. É preciso fazer um Brasil livre em que o Estado seja indutor do desenvolvimento e que o setor produtivo assuma a função de motor dessa engrenagem. Eu luto por isso e vou trabalhar muito nesse sentido.

Por Agência PRB Nacional
Fotos: Ascom –  Liderança do PRB na Câmara

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte