Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Sem Censura
Servidor Público Sady Moura
15:05   11 de Maio, 2018
f0b4bc3675889e391e2464be351a23ad.jpg

Sady de Moura é natural de Medianeira (PR), mas vive em Alta Floresta desde 1998, ano em que chegou na cidade, após uma passagem rápida pelo município de Carlinda, trabalhando na prefeitura municipal. Aprovado no concurso público para técnico em enfermagem, ele é servidor efetivo da área de saúde do município de Alta Floresta, desde sua chegada.
Atuante e participativo nos movimentos sociais, Sady é uma pessoa de múltiplas atividades. Foi presidente do Sindicato dos Servidores municipais- o SISPUMAF- onde desenvolveu projetos importantes para a categoria, como um loteamento habitacional exclusivo para servidores. Também foi candidato a vice-prefeito na eleição de 2016. 
É formado em Biologia pela Unemat, em Análise de Desenvolvimento de Sistema pela Unitins, em Negócio Imobiliário pela Unigran e Pós graduado em Matemática. Porém, acima de tudo, Sady é mesmo um apaixonado por Alta Floresta e quer viver eternamente na cidade. 
Casado e pai de 5 filhos, esta semana ele concedeu uma entrevista para o Sem Censura, de Mato Grosso do Norte. 
O que Alta Floresta significa para você?
Sady- Já passei por várias cidades, mas foi aqui que  escolhi para morar,  onde comeceí o meu verdadeiro ganha pão e onde estou me construindo e me realizando profissionalmente. Portanto, Alta Floresta representa muito pra mim, me apaixonei pela cidade. Sobretudo é aqui que estou construindo minha família e foi aqui que os meus filhos nasceram. Então, Alta Floresta significa muito para mim.
Como você vê a cidade Atualmente?
Sady – Alta Floresta tem sido muito judiada pelas suas administrações. Avalio que a cidade precisa de uma gestão mais audaciosa e com mais responsabilidade. Nosso potencial poderia ser muito maior, se tivéssemos boas administrações. Mas de qualquer forma, tem uma população unida e empreendedora, que faz a cidade se desenvolver por conta própria, independente de setor público. No cenário atual, a expectativa é muito boa. Alta Floresta é a cidade mais promissora e temos tudo para ser a que mais crescerá nos próximos anos em Mato Grosso.
Qual a cidade que você quer para o futuro?
Sady- Quero uma cidade com crescimento e vemos que isto já está acontecendo. Vemos grandes empreendimentos sendo feito na cidade, como um grande supermercado que está se instalando, bancos e vamos ter um prédio de vários andares, além de grandes empreendimentos imobiliários. Isto tudo está sendo feito com olhar de crescimento, porque uma grande empresa não iria se instalar sem uma pesquisa de mercado e diagnóstico de crescimento da cidade com dados concretos em mãos.  
Porém, tem que ter ordenamento nessa projeção. Acompanhei a discussão sobre o Plano Diretor da cidade e acho que ele é muito bom. Se este Plano sair do papel, é o que a cidade precisa em termos de planejamento, direcionando de seus pontos de expansão. O Plano tem planejamento para as indústrias, acentua nossos potenciais de áreas de laser dentro do perímetro urbano, como a lagoa da avenida do aeroporto, que poderá se transformar em uma grande área de laser. A cidade necessita disto e acredito que cedo ou tarde a revitalização da lagoa vai acontecer. 
Já pensou alguma vez em ir embora de Alta Floresta?
Sady- Nunca pensei em ir embora. Já moro há 20 anos e já me vejo velhinho sentado na praça, jogando baralho com outros da minha idade. Em Maringá (PR) tem as praças onde os idosos, à tarde, ficam embaixo das árvores jogando baralho. A cidade se preocupou em criar estes espaços apropriados para as pessoas que estão nesta fase da vida. Espero que Alta Floresta também faça isto para nossos idosos ter o que fazer e para onde ir, e não ficar só em casa, ociosos. Temos que pensar nisso, que é simples e fácil, mas importante. E quero algo assim quando eu ficar velho para passar o tempo.

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte