Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Vereador de Alta Floresta quer exoneração de secretária de Educação
Secretária seria sócia de empresario supostamente envolvido em irregularidades
12:24   04 de Junho, 2018
3c2a417a82dd816d11d3c066ae2b1c6f.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

O vereador Dida Pires afirmou à Mato Grosso do Norte, que na sessão ordinária desta terça-feira, 5, irá apresentar um Requerimento cobrando da prefeita Marinéia Munhoz (PSD), providências urgentes com relação a secretária Municipal de Educação, Maria Iunar Portão.
 No texto do Requerimento, o vereador cita que a secretária é sócia do empresário Luiz Araújo, que tem vencido sucessivas licitações na prefeitura de Alta Floresta, algumas para fornecer produtos para a própria secretária de Educação, e que estaria sendo investigado por supostas irregularidades em procedimentos licitatórios e respectivos contratos com a administração pública municipal, através de empresas de seu grupo.
Conforme ele, o regimento interno não permite que a Câmara cobre a exoneração de secretários. Apenas pode cobrar providências. Todavia, paralelamente, o parlamentar disse que conversou com a prefeita e pediu que exonere a secretária municipal de Educação, porque a mesma não tem condições de permanecer no cargo, sendo sócia de alguém que está, supostamente, envolvido em irregularidades, participando e vencendo seguidas licitações na prefeitura. 
 “A empresa em que a secretária é sócia ainda não venceu licitação na prefeitura, mas o empresário que tem vínculos com ela, tem várias empresas em seu grupo, em nome de familiares, que ganharam diversas licitações para fornecimento de materiais para a prefeitura e alimentos para merenda escolar. É uma situação bastante estranha e se a prefeita não a exonerá-la, ficará muito ruim para a administração”, enfatiza Dida.
Segundo o parlamentar descreve no Requerimento, em auditoria da própria prefeitura, através da Controladoria Interna, o sócio da secretária, foi recomendado a instauração de procedimento administrativo para a aplicação de penalidades e restituição aos cofres públicos em valores equivalente a R$ 766 mil.
Dida Pires assegura que não fica bem para a imagem da prefeitura ter uma secretária ligada à empresas, supostamente envolvidas com irregularidades na própria administração.
“Vou fazer pronunciamento pedindo que a prefeita a exonere ou que a secretária peça para sair do cargo. Não podemos continuar permitindo que estas atitudes continuem acontecendo na administração. Não será bom para a prefeita se mantê-la na secretaria de Educação”, enfatiza Dida.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte