Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Sem Censura | Professor Dagmar Costa Campos
O professor Dagmar Costa Campos é um alta-florestense muito especial, que chegou no município em 1988, se apaixonou pela cidade e nunca mais quer ir embora
13:06   13 de Junho, 2018
95c362154423e809a0449387cc250ed1.jpg

O professor Dagmar Costa Campos é um alta-florestense muito especial, que chegou no município em 1988, se apaixonou pela cidade e nunca mais quer ir embora. Pretende envelhecer em Alta Floreste e ter uma cidade que ofereça boa qualidade de vida para ele ter espaço agradável para brincar com os netos.
Licenciado em Letras e interprete de inglês, há 30 anos é professor e há dois anos e meio é diretor da Escola Estadual Vitória Furlani da Riva. Deste período, 12 anos são dedicados a Educação na rede pública Estadual. 
Casado com Marluce de Oliveira Trindade, é pai de Guilherme, Mariana e Mel. Esta semana, Dagmar concedeu entrevista a coluna Sem Censura de Mato Grosso do Norte.


Mato Grosso do Norte- O que Alta Floresta significa para o senhor?
Dagmar- Significa oportunidade. Há 30 anos quando terminei a faculdade em São Paulo. Vim para cá e tive a oportunidade de trabalhar, constitui minha família aqui e tudo que consegui na vida foi aqui em Alta Floresta. Para mim esta cidade foi um Oasis de oportunidade.
Mato Grosso do Norte-  O que falta para a cidade ser melhor?
Dagmar- Falta um pouco mais de qualidade de vida, a infraestrutura e saneamento básico ainda são precários, além de mais investimento na Educação, que sempre é muito necessário que se pulverize os investimentos na Educação. Então digo que Alta Floresta precisa melhorar a infraestrutura, a Educação e a qualidade de vida.
Mato Grosso do Norte- Que cidade o senhor quer para o futuro?
Dagmar- Quero uma cidade melhor para meus filhos e netos. Sei que o progresso vai chegar, talvez não pelo setor público, mas sim pela iniciativa privada. 90% do que temos é graças a coragem dos investidores. A cidade tende a crescer e melhorar muito. Mas temos que olhar mais para o Meio Ambiente, porque nesta questão a cidade está muito abandonada. Meio Ambiente não dá votos, mas não podemos esquecer que para termos qualidade de vida temos que cuidar do Meio Ambiente. 
Mato Grosso do Norte-   O que o senhor ainda pretende realizar na cidade?
Dagmar- É um questionamento importante: depois de 30 anos, o que eu pretendo realizar? Na verdade quero envelhecer aqui, mais ainda pretende continuar na Educação por mais um bom tempo, fazendo um bom serviço, fazendo minha parte como cidadão e contribuindo. Faço parte de um clube de serviço há 27 anos. Tenho vários projetos para a cidade e quero realizá-los. E não são projetos apenas da educação, são em vários campos, inclusive na saúde.

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte