Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Presidente da OAB diz que transferência da Delegacia Regional seria perda irreparável
Dr. Celso alerta sociedade a lutar junto com o poder público por uma solução
20:11   13 de Junho, 2018
45a508e303eb94b570405a8984e130e4.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

O presidente da OAB- Ordens do Advogados do Brasil – em Alta Floresta, Dr. Celso Reis, em entrevista à Mato Grosso do Norte nesta terça-feira, afirmou que a sociedade e o poder público municipal, devem envidarresforços para o município não perder a oportunidade de implantar a Delegacia da Mulher, e sobretudo, não perder a delegacia regional, que está em risco de ir para outra cidade, porque sua estrutura atual é precária e não oferece mais condições de funcionamento.
“É responsabilidade do governo estadual, mas se não houver uma mobilização para solucionar, perderemos o serviço da polícia judiciária civil e será uma perda irreparável para a população e para o município, sobretudo para sua posição de cidade polo”, alertou o presidente da OAB.
Conforme ele, a delegacia regional está num prédio completamente sucateado, sem condições de abrigar a sede da delegacia regional, inclusive o serviço de inteligência da delegacia civil, que está no local, e quando chove, as infiltrações colocam em risco os equipamentos.

ilidade de a sede da delegacia regional ser transferida para outra cidade, que oferecer a estrutura adequada para seu funcionamento, podendo ser qualquer município da região. 
“A delegada Dra. Ana Paula afirmou que há esta possibilidade e o serviço poderá ir para qualquer cidade que ofereça as condições favoráveis para suas instalações. É importante que a sociedade se esforce para encontrar uma solução, uma vez que a segurança pública poderá vir a sofrer um impacto muito negativa com a perda destes serviços e não podemos deixar isto acontecer”, enfatiza.
Sobre a implantação da Delegacia da Mulher, Dr. Celso disse que é uma luta antiga do município, que reportar ao ano de 2007, quando as primeiras cobranças neste sentido foram feitas. Antes, segundo ele, não havia efetivo para a instalação da delegacia da Mulher. Mas agora o governo estadual sinalizou positivamente com esta possibilidade, mas está faltando espeço para abrigar o serviço.
Conforme ele, surgiu uma solução para a delegacia da Mulher e a regional, funcionarem no antigo prédio da Ceplac, no centro da cidade, que está cedido para a prefeitura. 
Conforme ele, a prefeitura irá verificar as condições em que o prédio foi cedido para o município e ver se no local poderá funcionar ambas as delegacias.

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte