Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Taques chama Mendes de traidor
22:46   14 de Junho, 2018
075d6ad434cfd0b02fe4b450bb881662.jpg

Laíse Lucatelli\ O Livre

O governador Pedro Taques (PSDB) tachou o possível adversário Mauro Mendes (DEM) de “traidor” e o desafiou a disputar as eleições. A executiva do DEM definiu a pré-candidaturado ex-prefeito de Cuiabá na segunda-feira (11) e, na mesma ocasião, lançou Jayme Campos para o Senado. Em entrevista depois disso, Mendes afirmou que ainda busca apoio político e financeiro para viabilizar sua candidatura.

“Na eleição de 2014, Mauro pediu voto para o Wellington [Fagundes], traindo Jayme. Por isso que o Jayme não foi candidato. Silval [Barbosa] foi coordenador da campanha dele em 2008. Em 2010, ele enfrentou Silval. Em 2012, Emanuel Pinheiro foi coordenador da campanha dele. E hoje ele é brigado com Emanuel”, disparou Taques, em entrevista à Rádio Mega FM, nesta quinta-feira (14).

Por diversas vezes ao longo da entrevista, o tucano desafiou o ex-aliado a disputar com ele o comando do Palácio Paiaguás. “Ele tem que ser candidato”, afirmou. “Para disputar eleição precisa ter coragem, atitude”, disse, em outro momento. “É o desejo que tenhamos candidato. Agora, para ser candidato, não pode ficar com medinho”, declarou.

Taques listou ainda obras da gestão de Mendes que tiveram o apoio do governo estadual, como o novo Pronto-Socorro e o Hospital São Benedito e citou a aliança entre os dois em campanhas passadas.

“Mauro Mendes foi meu companheiro em 2010 e 2012. Aliás, um dia antes da eleição do primeiro turno, no sábado, eu estava no Doutor Fabio comendo baguncinha com ele. Mauro Mendes não apareceu no meu programa eleitoral em 2014. Estava mal das pernas em Cuiabá”, citou.

Taques destacou ainda o fato de o Grupo Bipar, que pertence a Mendes, estar em recuperação judicial.

“Eu sou o cidadão que mais apanha. Eu sou incompetente, sou fracassado, como disse o ex-prefeito de Cuiabá. ‘Tem que mudar o técnico’. Veja, a empresa do ex-prefeito de Cuiabá está quebrada, em recuperação judicial. Ele não pode nem escolher quem paga. Portanto o técnico foi afastado pelo juiz, né. Ele é incompetente? Ou foi a crise? Recentemente me perguntaram: ‘como pode o empresário estar em recuperação judicial e a pessoa física ser milionária?’ Temos que fazer essa reflexão”, afirmou.

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte