Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Brasil joga mal, mas faz 2 nos acréscimos e vence Costa Rica
Algumas das quedas pareciam coreografadas, e uma delas custou bronca do árbitro
14:39   22 de Junho, 2018
1b2f8bc6fa6fb833057b212b483b05f6.jpg

Terra Esporte

Foto: Lee Smith / Reuters

 

Seleção Brasileira esteve muito perto do segundo tropeço nesta Copa do Mundo, mas os gols salvadores de Philippe Coutinho e Neymar nos acréscimos da etapa final proporcionou a vitória sobre a Costa Rica por 2 a 0 neste sábado no Estádio Olímpico Fisht, na cidade de São Petersburgo.

O Brasil teve 69% de posse de bola, mas demorou a dar trabalho ao goleiro Keylor Navas, que, quando exigido, ia se saindo bem. Na melhor chance dos comandados do técnico Tite em quase 90 minutos, logo no começo do segundo tempo, Gabriel Jesus acertou um cabeceio no travessão.

Neymar, apagado mais uma vez, poderia ter aberto o placar em um pênalti marcado em cima dele. Entretanto, o árbitro holandês Bjorn Kuipers foi alertado pela arbitragem de vídeo e anulou sua própria marcação depois de ter revisto a jogada.

Quem fez 1 a 0, então, foi Coutinho, que já havia sido o autor do gol do empate com a Suíça em 1 a 1 na estreia. Aos 46 minutos, o meia do Barcelona pegou sobra dentro da área e fuzilou Navas com um arremate de bico. Mais tarde, aos 52, Neymar enfim deixou o seu e selou o triunfo.

Com o resultado, a seleção assumiu, ao menos provisoriamente, a liderança do grupo E, com quatro pontos, ainda à espera do confronto entre Sérvia, que tem três, e Suíça, com dois, que acontecerá ainda hoje em Kaliningrado. A Costa Rica, que ainda não pontuou, está eliminado.

Quedas de Neymar- segundo gol do Brasil no último minuto da vitória sobre a Costa Rica por 2 a 0, nesta sexta (22), e, São Petersburgo, foi um prêmio para Neymar, que lutou durante toda a partida. Antes disso, porém, ele caiu em campo dez vezes nos mais diversos lances – em faltas sofridas e simulações.Foi, aliás, por causa de seus gestos exagerados que a arbitragem voltou atrás num pênalti que ele teria sofrido quando o placar ainda era de 0 a 0. Pelo menos essa foi a avaliação dos comentaristas da TV Globo, Casagrande e Ronaldo.

No primeiro tempo, Neymar caiu cinco vezes – em três delas após ser interceptado com faltas pelos adversários. Nas outras duas, em situações que tentou ludibriar a arbitragem.

De todas as suas quedas, nesse jogo com a Costa Rica, algumas delas pareciam coreografadas, como a que levou o árbitro a lhe dar uma bronca, pouco antes de um escanteio a favor dos costarriquenhos no segundo tempo. Na área, para ajudar a defesa da Seleção, Neymar caiu estirado em campo, como se tivesse recebido um golpe.

Depois disso, tombou numa dividida no ataque e em outra jogada, quando poderia ter aproveitado um passe de Philippe Coutinho para entrar na área, mas preferiu se atirar no gramado para mais uma vez forçar uma falta que não houve.

A queda de Tite – Na comemoração do primeiro gol do Brasil, de Philippe Coutinho, Tite levou um tombo e se estatelou no chão. Nas redes sociais, logo surgiram algumas piadas sobre o incidente – a de que ele seria o professor de Neymar.

 

 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte