Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Eleito melhor do jogo, Neymar ironiza: "Falaram demais e foram para casa"
Após terceiro gol no Mundial da Rússia, camisa 10 projeta sequência: "Não quero que seja a Copa do Neymar, quero que seja a Copa do Brasil"
17:32   02 de Julho, 2018
1f9cfb0749a568f4dc3fcc55d8d20ecd.jpg

Por GloboEsporte.com, Samara, Rússia

Foto/ Carlos Garcia Rawlins/Reuters

 

Protagonista nos 2 a 0 diante do México, em Samara, Neymar marcou o primeiro da Seleção - o segundo dele na Copa do Mundo -, participou da jogada do gol de Roberto Firmino e foi escolhido, em votação da Fifa, como melhor jogador na vitória brasileira nas oitavas.

Na saída de campo, o camisa 10 falou pela primeira vez durante o Mundial e aproveitou para desabafar. Caçado em campo contra o México, Neymar mandou recado aos adversários que encerreram a participação na Rússia.

- (Excesso de faltas sofridas) isso é complicado, não é uma coisa que cabe a mim. Só sofro a dor. Tomei um pisão desleal, da minha parte acho que fora da jogada, fora do campo. Acho que não pode. Mas é isso, eles falaram demais antes da partida e foram embora para casa.

Neymar também fez questão de dividir os holofotes com o restante da Seleção. Mesmo após o prêmio individual, o atacante destacou o jogo coletivo do grupo de Tite.

- Não quero que seja a Copa do Neymar, quero que seja a Copa do Brasil. O coletivo é mais importante. Fico feliz por fazer parte desse grupo. Certeza de que esse time pode chegar muito longe.

O Brasil aguarda a definição do adversário das quartas: Bélgica e Japão se enfrentam às 15h (de Brasília). A Seleção volta a campo na sexta, às 15h, na Arena Kazan.

Parabenizar a equipe pelo jogo de hoje. O que fica são momentos da partida que temos que aprender a sofrer. Hoje demonstramos que sabemos um pouco (risos). Foi sofrido, muito difícil, sabemos da qualidade da outra equipe. Mas mais uma vez nossa equipe mostrou qualidade.

Pensou que Ochoa iria parar o Brasil de novo?

Ochoa é um grande goleiro, sabemos da qualidade dele. Parabenizo por uma grande partida, mas eu não desisto nunca, sou brasileiro. Foi um gol de vontade, percepção, de estar ligado na partida. Consegui empurrar a bola para dentro.

A fama de jogador "cai cai" incomoda?

Eu acho que é para tentar minar do que qualquer outra coisa. Eu não ligo muito para críticas, às vezes nem mesmo para o elogio. Isso pode influenciar a cabeça do atleta. Esses últimos dois jogos eu não falei com a imprensa porque eu não queria polêmica, tem muita gente falando, uns se alteram, não sei se querem aparecer.

Eu só tenho que jogar futebol, ajudar minha equipe, eu vim para ganhar, não para outra coisa. Espero poder melhorar cada vez mais, sabia que precisaria de ritmo para voltar ao meu nível normal. Hoje já me sinto muito melhor, estou muito feliz pela partida de hoje, parabenizo toda a equipe pelo trabalho, esforço, estamos melhorando cada vez mais

Desempenho da defesa

Nossa equipe sempre veio de muitos jogos sem sofrer gols, pela qualidade que temos lá atrás, pelos zagueiros que temos. Ficamos felizes lá na frente, para fazer os gols.

Está 100%?

Quase lá!

Jogo- Neymar comemorou seu gol, o que abriu o caminho da vitória por 2 a 0 sobre o México e da classificação para as quartas de final da Copa do Mundo, nos ombros de Paulinho. Foi quase uma retribuição simbólica do volante (e de todo o time) por ter visto seu grande jogador resolver nesta segunda-feira um confronto muito difícil no forte calor de Samara. Depois, ele ainda participou de forma decisiva para que Roberto Firmino, quase nos acréscimos, fechasse a conta. Diferentemente do português Cristiano Ronaldo e do argentino Lionel Messi, o brasileiro foi decisivo nas oitavas de final e segue adiante.

Num duelo parelho, o México rondou mais a área brasileira, mas, chance por chance, as do Brasil foram até melhores - uma vitória parcial, porém, talvez não traduzisse fielmente a primeira etapa. A equipe de Tite não foi bem na transição ofensiva, furando a marcação com menos dificuldade em contra-ataques pelo lado esquerdo, de Coutinho e Neymar. Já o time de Osorio, apesar da escalação de Rafa Marquéz (como volante à frente da defesa e não numa linha de cinco), deu bastante trabalho a Fagner e Filipe Luís com Vela e "Chucky" Lozano, respectivamente.

No intervalo, o México mexeu: Rafa Marquéz foi substituído por Layún, que passou à lateral direita para o pendurado Edson Álvarez (que recebeu cartão após entrada dura em Neymar no primeiro tempo) não ter mais de marcar o camisa 10. Mas ninguém conseguiu parar o craque brasileiro aos cinco minutos, quando atraiu toda a marcação, ajeitou de calcanhar para Willian e recebeu de volta para abrir o placar (em detalhe, na foto abaixo). Os mexicanos ainda o caçaram com mais faltas e, além de pararem na seleção menos vazada do torneio - que soube se fechar num 4-4-2 e até com uma linha de cinco -, levaram mais um gol no final, de Firmino.

ARTILHEIRO DE FATO

Foi o gol de número 57 de Neymar com a camisa da seleção brasileira. Gol que o isolou como o quarto maior artilheiro da história, atrás apenas de Pelé, Ronaldo e Zico. Sob o comando de Tite, ele balançou a rede 11 vezes (duas delas nesta Copa do Mundo) e também tomou a frente de Gabriel Jesus, que tem 10 gols no período. Como reconhecimento, ele foi eleito o melhor do jogo (pela primeira vez nesta Copa), em votação aberta da Fifa.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte