Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Feliz antagonista
Giovanna Lancellotti fala sobre “Segundo Sol” e conta como é dar vida à sua primeira vilã
15:07   20 de Julho, 2018 - Fonte: – Fotos: divulgação/TV Globo
e6635ea3bcc68467a349e87b4137afa0.jpg

por Anna Bittencourt

Pela intensidade de seu trabalho, Giovanna Lancellotti já pode até ser considerada uma veterana. A atriz de 25 anos está no ar em “Segundo Sol”, sua sexta novela desde que estreou em 2011, em “Insensato Coração”. Apesar da segurança que adquiriu pelo pouco tempo de trabalho ela sempre se depara com novidades na carreira. Rochelle, sua personagem no folhetim de João Emanuel Carneiro, é sua primeira vilã. Depois de estranhar a posição de antagonista, Giovanna conta que está saboreando as diferenças de sua personagem na trama. “As pessoas me dizem que amam odiá-la, acho muito engraçado isso. E tem uma coisa de leveza, ainda que ela fale absurdos, que está sendo muito bom”, celebra. Depois de mocinhas como a Milena, de “Sol Nascente”, e a Bélgica, de “Alto Astral”, dar uma virada na carreira tem sido positivo aos olhos da atriz. “Acho muito desafiador fazer coisas novas. Dá muito medo no início, até pela repercussão que uma vilã tem. Mas estou satisfeita com o resultado de fazer algo que nunca fiz”, completa.
Na produção das nove, Rochelle é uma “digital influencer” que não tem papas na língua e nem mede esforços para conseguir o que quer. “Ela não tem sensibilidade, filtro, empatia. Não tem nada” diverte-se. Mas, segundo ela, a trajetória de Rochelle ainda vai reservar grandes surpresas ao público. “As vilãs da novela têm humanidade, a Karola ama o Beto, a Laureta, o Ícaro. Acho que o lado humano dela, o amor pelo próximo, ainda vai aparecer”, adianta, citando os personagens de Deborah Secco, Emílio Dantas, Adriana Esteves e Chay Suede. Apesar de torcer para uma “redenção” da personagem, Giovanna conta que não gosta de ficar projetando desculpas para as atitudes de Rochelle e nem se antecipando no roteiro. Segundo ela, a novela tem sido gravada com uma grande “frente” – “Nunca fiz uma novela tão organizada nesse sentido”, jura –, mas ela não se antecipa lendo as cenas. “Gosto de me surpreender”, justifica.
A preparação para viver Rochelle foi intensa. Apesar de ter registros do sotaque baiano de quando interpretou Lindinalva, em “Gabriela”, Giovanna imergiu em “workshop” com o resto do elenco para ter a musicalidade da prosódia de Salvador. Mas ao pesquisar sobre “digital influencers” do Norte e Nordeste, ela decidiu por suavizar o sotaque. “Elas minimizam o sotaque para ficar uma coisa mais próxima do Sudeste. E também tivemos consultores que avisaram que as famílias mais ricas têm o sotaque menos acentuado”, explica ela, que apesar de morar no Rio de Janeiro há muito anos, ainda conserva um forte jeito de falar de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. “Isso é uma coisa boa para mim. Porque é minha virada de chave. Posso falar um absurdo em cena, mas quando corta e eu volto para o meu sotaque, acabou aquele ar pesado”, explica.
Outro fator que, segundo ela, também foi muito benéfico para a preparação é o visual. Por isso ela leva tão a sério as mudanças e não tem medo de tingir os cabelos ou escolher um corte novo. “No primeiro mês, é um choque quando você se olha no espelho. A caracterização é essencial para me ‘tirar’ de mim”, explica ela, que deixou o cabelo comprido, com franja, e escureceu os fios. “Nunca tive franja e acho que muda muito a cara da pessoa. E dá mais trabalho também. Tem de perder um tempo secando e ajeitando”, reclama, com bom humor. As roupas e bolsas de Rochelle também dizem muito sobre a personagem, segundo ela. “Tudo é muito da moda, tem marca. Ela valoriza essas coisas e isso mostra muito sobre a personalidade dela”, reflete.

 

Além de valorizar o lado fútil e autocentrado de Rochelle, João Emanuel Carneiro também evidencia outros atributos da personagem. As cenas sensuais são uma constante no dia a dia das gravações de Giovanna Lancellotti. A atriz, no entanto, garante que não tem nenhum problema com “takes” ousados e de sexo. “Acho lindo porque não é nada explícito, é cheio de detalhes, sempre em um plano mais fechado. É sempre de extremo bom gosto”, valoriza. Além disso, ela afirma que acha válido que isso seja mostrado nas novelas. “É boa desmistificar o sexo. Existe, sempre existiu, é bom, as pessoas fazem”, justifica.
Para estar à vontade em cenas em que aparece de “lingerie”, ela conta que toma alguns cuidados com o corpo quando está no ar. “Só de gravar de segunda a sábado a gente já emagrece. Mas eu também vou à academia e fecho a boca”, diz, aos risos. Giovanna conta que faz isso para se sentir bem, mas que não é escrava de padrões. Feminista convicta, ela afirma que é preciso resistir ao senso comum e aos modelos impostos. “Sou dona do meu corpo e acho que toda mulher deveria pensar assim. No fundo, temos todos de ser feministas”, afirma.

 

Instantâneas

# Giovanna está no elenco de dois filmes que vão estrear esse ano: “Tudo Por Um Popstar” e “De Novo Não”.
# Ela também foi convidada para atuar ao lado de Rodrigo Simas no clipe da música “Não Esqueço”, uma parceria de Pabllo Vittar e Niara.
# Adepta das redes sociais, sempre que pode, Giovanna assiste à “Segundo Sol” comentando com seus seguidores no Twitter.
# Ela garante que não perde tempo lendo comentários de “haters”. “Não gasto energia com isso”, afirma.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte