Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Alta Floresta celebra Semana nacional da Família
Com estas celebrações, é necessário fazer uma reflexão sobre o significado da família
12:25   13 de Agosto, 2018
5bac2592e83a94e3bdd5b4fe0af6afa0.jpg

Ana Selhorst
Mato Grosso do Norte

 Do dia 11 ao dia 19 de agosto é celebrada a Semana Nacional da Família. E este ano sobre o tema “Evangelho da família, alegria para o mundo”, Alta Floresta possui um calendário especial voltado à evangelização, orientação e celebração da família. Em entrevista exclusiva ao Jornal Mato Grosso do Norte, o padre Rodrigo Ferreira da Costa convidou a comunidade a comemorar e refletir sobre a temática.
 "A semana da família é uma oportunidade de trabalharmos a importância da família, na sociedade, na igreja e na vida pessoal”, disse. Todos os anos, após o dia dos pais, a igreja evidencia a importância da vida em família e inspira a população a reunir-se sobre o ideal fraterno.
 “Aqui em Alta Floresta nós intensificamos os encontros nas casas das famílias”, afirmou, comentando sobre o “família evangelizando famílias”, que está no calendário desta semana especial, que é quando as famílias visitam umas às outras.
 Com estas celebrações em destaque, é necessário fazer uma reflexão sobre o significado da família em si. Segundo o padre, o conceito familiar não deve ser restrito a laços sanguíneos, e sim pensar sobre estes elos em todos os âmbitos da vida, seja no trabalho, na escola e até mesmo em toda a comunidade. “Vamos às escolas para conversar sobre a família. Tanto a família biológica como também a família escolar”, assegurou. 
Desta forma, os grupos estão realizando visitas aos colégios, buscando dar orientação a estes jovens.   Além dessa expansão, também há mudanças nas estruturas familiares e segundo o religioso, a igreja deve acolher também a estes. 
“O conceito de família não é um conceito fechado. Hoje em dia não dá mais para pensar só em pai, mãe e filho. A família tem um novo rosto. Os filhos às vezes moram só pois estão estudando, os pais às vezes moram fora por estarem trabalhando ou ainda há uma separação no casamento. São realidades diversas que não podemos deixar de cuidar. Pois a família é o espaço do cuidado e talvez este cuidado seja a maior importância da família. ” 
 “Sempre que nós pensamos no cuidado, nós lembramos da fragilidade. E as fases em que esta fragilidade mais se apresentam é na infância e na velhice e a família precisa estar atenta a estas duas fases”, disse. 
 Desta forma, o padre Rodrigo afirma que os cuidados dos pais para com seus filhos não devem ser focados em bens materiais, mas sim em afeto, cuidado e presença. “A família deve investir no cuidado e educação dos filhos como herança principal. Para que esta criança tenha um equilibro afetivo e espiritual”, aconselha. 

 “É no lar que a criança recebe os primeiros afetos e é no berço que ela recebe todo o estimulo para a vida, ali ela vai aprender a amar os pais e respeitar as pessoas, conviver. Se no lar ela foi estimulada ao convívio, à partilha, quando sair para conviver em uma família maior, que nós chamamos de sociedade, ela vai levar primeiro esta confiança nas pessoas, ela vai criar bons laços com outras pessoas”, analisa.
 Já sobre nossos idosos, o padre disse: “Os pais se organizam para ter um filho e a sociedade auxilia nisto, nós temos creches, escolas. Agora, o idoso ele não tem! A proteção social ainda é muito precária e os filhos e netos não estão programados para cuidar do idoso, porque eles têm uma vida própria”, comenta.  
 “Nós vemos idosos que economicamente sobrevivem, mas que falta afeto, e o grande afeto que o idoso precisa é o tempo para eles, para serem ouvidos”, acrescenta o sacerdote. 
 Para o padre, o papel da igreja neste contexto é aplicar a espiritualidade e lembrar que somos todos irmãos. “A igreja precisa estimular para que cuidemos um dos outros. Com a criança, ela auxilia na catequese, na evangelização. Já para o idoso, a igreja deve orientar que a pessoa não vale por aquilo que ela faz, pela sua utilidade, mas sim por ser um ser. E também ajudar aos adultos, que passam a ser os grandes cuidadores da sociedade”, apregoa. 
 Desta forma, o padre convida a todos a reunir e celebrar a vida em família, conforme calendário: 
13 a 18, encontro na casa das famílias. 
No dia 19/08, celebração de encerramento nos setores: Setor Industrial, Com. São Marcos às 18h00, No Setor Santa Catarina Com. São Brás 19h30 e na Matriz às 19h30.
Dia 20, encontro de partilha nas comunidades às 19h30. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte