Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
DIA DO BIÓLOGO Profissional que trabalha para proteger e preservar o Meio Ambiente
De grande abrangência o profissional biólogo pode atuar nas mais variadas áreas do conhecimento
19:09   05 de Setembro, 2018
a0ebbf302d26f65c1ca478b7287246ed.jpg

Ana Paula Selhorst
Mato Grosso do Norte

 No dia 3 de setembro é celebrado nacionalmente o Dia do Biólogo, que é o profissional que atua em todas as áreas que envolvam o estudo da vida. 
 A profissão foi regularizada através da leia nº 6.684, de 03 de setembro de 1979, devido a isto, a data foi escolhida para coincidir com o aniversário da regulamentação.
 Alta Floresta é privilegiada pela atuação de diversos profissionais na área, dentre eles, o Dr. Lucas Eduardo Araújo Silva, coordenador Geral de Projetos da Fundação Ecológica Cristalino, que em entrevista exclusiva ao Jornal Mato Grosso do Norte contou um pouco mais sobre a profissão. 

P: Para você, qual a importância da Biologia?
R = A Biologia é a profissão que está diretamente relacionada com a “defesa” da preservação e conservação do meio ambiente. De grande abrangência nas áreas de atuação, é uma profissão muito mais ampla do que a maioria das pessoas imagina o profissional biólogo pode atuar nas mais variadas áreas do conhecimento como, por exemplo, a pesquisa, Educação Ambiental, Consultoria Ambiental realizando estudos de impacto ambiental e dando orientações das medidas para diminuir os impactos causados, Professor de Educação básica e Superior, Gestão ambiental, dentre outras. Posterior à formação na universidade, o aluno pode se especializar nestas ou em outras áreas. A profissão do Biólogo é suma importância para o bom desenvolvimento da sociedade, pois não há sociedade humana desenvolvida sem o meio ambiente conservado e preservado. 
P: Como é para o profissional biólogo atuar em Alta Floresta?
R = Em Alta Floresta há um curso de Biologia na Universidade do Estado de Mato Grosso – UNEMAT. Este campus é muito conhecido por formar profissionais que atualmente são de grande importância para a região. Atuar como biólogo aqui não difere de outras cidades, se você for um bom profissional, você logo irá conseguir seu espaço.  
P: O que te motivou a escolher este curso?
R = Desde pequeno sempre gostei de aves e de estar no mato, no sítio de minha vó. Sempre tive curiosidade de como os bichos se alimentavam, reproduziam, se comportavam. Quando adolescente, em uma conversa com minha prima que é bióloga me fez ver onde eu poderia sanar estas e outras curiosidades. Naquele dia pude conhecer um pouco sobre a Biologia e que eu poderia gostar de atuar nesta área. Quando ingressei no curso de Bacharelado e Licenciatura em Biologia, já no terceiro semestre tive certeza de que se tratava da minha profissão e que gostaria de atuar com aves.
P:  Comente um pouco mais sobre sua especialização 
R = Eu sou Biólogo, me formei em 2008 no curso de Bacharelado e Licenciatura Plena em Biologia na UNEMAT em Tangará da Serra, onde trabalhei com comportamento territorial de beija-flores. Em 2009 me mudei para Belém – PA para continuar minha formação profissional, onde participei da equipe de curadoria da Coleção Ornitológica do Museu Paraense Emílio Goeldi. Entre 2010-2016 realizei estudos sobre Filogeografia de aves Neotropicais, durante o mestrado e doutorado pela Universidade Federal do Pará/Museu Paraense Emílio Goeldi. Sou Doutor em Zoologia com ênfase em Evolução e Biodiversidade, e atualmente componho a equipe da Fundação Ecológica do Cristalino – FEC,
P: Gostaria de passar uma mensagem de felicitações para você mesmo e seus colegas da Biologia?
R = Apesar de hoje ser o dia do Biólogo, não há muito que se comemorar, pois, como sabemos, o desmatamento continua aumentando, principalmente na Amazônia e Cerrado. Estes biomas são importantíssimos no regime hidrológico de nosso país, ou seja, os ciclos de chuva que acorrem todos os anos no Brasil são formados por influência destes biomas que a cada dia desaparecem por conta da exploração demasiada, muitas vezes com a desculpa de que estamos produzindo para alimentar o mundo. Devemos lembrar que sem a Floresta Amazônica, além da perda de Biodiversidade pela extinção de muitas espécies que ainda nem conhecemos, há o grande risco de diminuição das chuvas que temos hoje e que são de suma importância também para as grandes plantações. Sem a Amazônia não será possível plantar para “alimentar o mundo”, pois não haverá água para estas grandes plantações crescerem. Devemos pensar que é possível sim o crescimento econômico com a proteção do meio ambiente!!

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte