Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Análise: Palmeiras joga ao estilo Libertadores e fica cada vez mais cascudo para a reta final
Verdão abre boa vantagem contra o Colo-Colo e fica perto da semifinal da competição
13:09   21 de Setembro, 2018
9ed12de3d10b1b89bfc22c6d32e22de3.jpg
Foto: Reuters

Por Eduardo Rodrigues 
São Paulo

Quando o Palmeiras vencia o Colo-Colo por 1 a 0 e recebia uma forte pressão dos donos da casa, o técnico Luiz Felipe Scolari tirou o centroavante Borja e promoveu a entrada do volante Jean, aos 18 minutos do segundo tempo. Dez minutos mais tarde, a pressão continuava, e o volante Thiago Santos deu lugar ao zagueiro Gustavo Gómez.

As duas ações na etapa final do jogo, válido pelas quartas de final da Libertadores, foram amostras de que o Palmeiras de Felipão não tem vergonha de se defender quando necessário e que cada vez mais cria a casca que uma competição como esta pede.

Com três zagueiros e um meio de campo congestionado, o Palmeiras fez o Colo-Colo se expor e, em um contra-ataque, matou o jogo. Aos 32 minutos, Willian chutou na trave, e Dudu pegou o rebote para fazer 2 a 0 em Santiago, deixando o Verdão muito próximo das semifinais.

Felipão disse em entrevista coletiva após a vitória que o segundo gol logo depois das alterações foi sorte. Não foi apenas a sorte, mas também a inteligência de atuar ao estilo Libertadores. O time entrou em campo na formação 4-3-3 e terminou no 5-4-1, sendo que o único atacante que restou (Willian) não é um centroavante de ofício.

É comum os times brasileiros se complicarem diante de equipes com inferioridade técnica. Nesta quinta, o Palmeiras fez tudo (ou quase tudo) que é necessário para não sofrer com esse problema: gol logo no início, concentração nos 90 minutos e aproveitar pelo menos um contra-ataque.

Não é uma novidade o time atuar desta maneira nesta Libertadores, como descrito na matéria publicada pelo GloboEsporte.com na última quarta-feira. Dos cinco pontos citados que faz o clube estar 100% fora de casa – meio de campo fortalecido, contra-ataque, experiência e juventude na zaga, laterais que se alternam e Borja iluminado –, apenas o último não se aplicou diante do Colo-Colo.

A fórmula se torna cada mais eficiente no Palmeiras. Com a vitória nesta quinta, o Verdão chegou aos cinco jogos longe de seus domínios na Libertadores, cinco vitórias, 12 gols marcados e apenas um sofrido.

Os triunfos na Colômbia, Argentina, Peru, Paraguai e agora Chile – além do Brasil – fazem do clube o primeiro brasileiro a vencer em seis países diferentes numa mesma edição do torneio.

Mais do que a quebra de tabus, o Palmeiras cria uma identidade fora de casa que pode facilitar as coisas para a sequência da Libertadores. Caso avance às semifinais, o Verdão encara o vencedor de Boca Juniors ou Cruzeiro, dois clubes que têm por característica a força em seus domínios.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte