Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Alta Floresta conta com 10 leitos de UTI
Cada leito também contará com um tablete para comunicação do acompanhante com familiares. Investimento é da iniciativa privada
12:40   05 de Outubro, 2018
1d92615c9b0de1174942dec640c70328.jpg

Assessoria
Câmara Municipal

O Hospital e Maternidade Santa Rita do Grupo Magnólia inaugurou na noite do dia 28 de setembro, sexta-feira, o Espaço Oscar Coelho de Miranda destinado a 10 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e agora passa a atender também medicina de alta complexidade, com o que há de mais moderno em equipamentos e com uma equipe multiprofissional especializada e liderada pelos médicos cardiologistas Renato Somera e Mauro Sérgio Vieira Machado, ambos com passagem pela Beneficência Portuguesa de São Paulo, um dos maiores e mais avançados complexos hospitalares privados da América Latina. O próximo investimento do grupo será a UTI Neo Natal, que já está em construção.
A infraestrutura moderna aliada a uma logística otimizada de atendimento garantirão aos usuários da unidade de saúde uma assistência diferenciada, semelhante à prestada pelos melhores e mais modernos hospitais particulares do Brasil e do exterior. Os internos da UTI contarão com leitos privativos, com espaço humanizado, menos artificial e mais confortável.
A tomografia computadorizada e a ressonância magnética são alguns dos aparelhos do Grupo Magnólia que darão suporte a UTI, que conta com equipamentos técnicos de última geração para monitorização cardíaca, bomba de infusão, hemodinâmica e materiais para cirurgias de emergência. Os pacientes também farão exames como, por exemplo, ecocardiograma, ultrassom e Raio X sem ter que ser removido do leito. Dos 10 leitos, um é destinado a paciente que necessita de isolamento.
Cada leito também contará com um tablete para comunicação do acompanhante com familiares. Os relatórios serão emitidos com frequência de acordo com o acompanhamento médico.
Todos os leitos contam com poltrona destinada a acompanhantes, para uma melhor recuperação do paciente grave. Para completar, a unidade dispõe de uma central de monitoramento dos pacientes que permite o acompanhamento simultâneo de todos os leitos pela equipe, dentro da estação de trabalho situada na entrada do ambiente e próximo do leito de isolamento.
A empresa também já deu entrada no pedido de credenciamento no Sistema Único de Saúde (SUS), o que possibilitará fazer convênios com órgãos públicos principalmente com o Governo do Estado para atender os pacientes da rede pública de saúde que necessitam de atendimento de alta complexidade.

Médico intensivista e responsável pela unidade, Mauro Machado explicou que desde a inauguração já foram atendidos quatro pacientes na UTI e todos estão bem. “Teve um caso muito grave que foi transferido do Sul do Pará de avião e a gente conseguiu fazer tudo rapidamente e este paciente está bem, já saiu de alta da UTI e está na enfermaria”, disse o diretor geral ao explicar que o paciente, que tem mais de 60 anos, havia fraturado todas as costelas do lado esquerdo e havia perfurado o pulmão comprimindo o coração, em um acidente com um quadriciclo em um garimpo no Estado do Pará. “Se tivessem tentado remover esse paciente para outra cidade ele teria chegado lá sem condições de sobreviver”, completou.
Na visão do cardiologista a UTI traz progresso para a medicina porque atrai novas especialidades para o município. Com a experiência de já ter coordenado uma das principais unidades de terapia intensiva do país, a UTI da Beneficência Portuguesa, ele acredita que em breve novos profissionais especialistas virão para Alta Floresta, como, por exemplo, cirurgião torácico, neurocirurgião e nefrologista. “Muitas especialidades dependem da UTI para vir para cá”, ressaltou ao destacar que a UTI do Hospital Santa Rita também contará em breve com uma máquina de cateterismo cardíaco. “Temos toda a estrutura, foi tudo muito bem pensado, planejado, para que a gente possa oferecer essa retaguarda”, acrescentou.
Para o cardiologista e coordenador da UTI, Renato Somera, a Unidade de Terapia Intensiva trará mais segurança para o atendimento de alta complexidade que até então não existia no município e na região. “É a mudança para melhor. Por cinco anos acreditamos para poder fazer esse sonho e dar segurança para a população, agora a gente tem a UTI aqui, é um marco mesmo”, disse ao afirmar que a maior intensão da empresa é o credenciamento junto ao SUS.
O presidente da Câmara de Vereadores de Alta Floresta, Emerson Sais Machado, conheceu os leitos de UTI durante a cerimônia de inauguração e considera importante, já que a rede pública do estado não disponibiliza esse serviço em Alta Floresta, que o Governo de Mato Grosso faça um convênio com a empresa. “Temos agora, graças a Deus, a UTI particular e o governo tem que fazer um convênio para poder atender a população, acredito que fica muito mais barato do que mandar os pacientes para Cuiabá”, cobrou.
Emerson Machado também lembrou da ação que ele liderou no começo do ano em busca de soluções para os problemas com o serviço de saúde pública em Alta Floresta e região, inclusive a falta de UTI. A ação resultou em uma grande audiência pública com lideranças políticas de todos os municípios da região inclusive do Ministério Público Estadual e foi fundamental para encaminhar, pela Câmara Municipal de Alta Floresta, uma ação civil pública solicitando a intervenção do MPE. “Temos 10 leitos de UTI aqui agora basta o governo fazer um convênio com essa empresa”, cobrou.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte