Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Remanejamento garante salários da Saúde
Prefeitura de Alta Floresta fez remanejamento de R$ 4 milhões para fechar o exercício de 2018
12:26   19 de Outubro, 2018
df3e344fb446f9f91326ac1269b14425.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor Mato Grosso do Norte

O secretário Executivo da prefeitura de Alta Floresta, Luiz Alberto Wanzke, afirmou em entrevista à Mato Grosso do Norte, nesta quinta-feira, 18, que não há risco de a folha de pagamento da secretaria de Saúde, ser comprometida por causa do orçamento de 2018, que extrapolou o valor que estava previsto inicialmente.
Haviam rumores em meios aos servidores lotados na pasta, que por falta de orçamento, a folha salarial poderia ser afetada. No entanto, o secretário executivo descartou estas possibilidade. 

De acordo com ele, foi feito um remanejamento de recursos próprios da Educação, Assistência Social e da estrutura como um todo da administração e transferido para a Saúde. “Não se trata de recurso vinculado, [que são recursos do Estado e da União] mas recursos próprios do município, que são destinados para atender a demanda interna. Fizemos uma alocação de várias secretarias, como Meio Ambiente e Gabinete, para pôr na Saúde, através de um decreto”, explica.
O valor do remanejamento foi de R$ 4 milhões, que segundo o secretário, deverá ser suficiente para atender, principalmente, a parte funcional, que são a folha de salários e os encargos, até no final deste exercício. 
“Fizemos uma projeção para os 4 meses que restam para findar o ano, mas se será suficiente ainda não sabemos. Pode ser a maior ou a menor, mas acreditamos que este valor é o que a saúde estava precisando para fechar o ano”, disse. 
O valor inicial do orçamento do município para a Saúde em 2108, incluindo recursos próprios e os repasses da Estado e União, era de R$ 25 milhões e 210 mil. Com o remanejamento, subiu para R$ 28 milhões e 211 mil. 
Conforme o secretário, o valor do remanejamento contempla em parte também, a aquisição de medicamentos. Todavia, a prioridade é o pagamento da folha salarial da pasta, nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro. “Se houver necessidade de mais, vamos fazer mais um remanejamento mais próximo do final do ano. O prefeito deve ordenar uma contenção de gastos nas outras secretarias e sobrando orçamento tem como fazer a ordenação de despesas”, enfatiza.
A distorção do orçamento da Saúde, segundo Luiz, foi corrigido na previsão orçamentária de 2019. Segundo ele, o valor a menos prejudica porque tem um percentual, conforme determina a Legislação, que tem que ser obedecido. Desta forma, ele disse que a equipe do setor de Finanças da prefeitura se esforçou para elaborar um orçamento mais próximo da realidade, para evitar que se faça remanejamento. 
Em 2019, a previsão orçamentária do secretaria de Saúde é no valor de R$ 27 milhões, 488 mil e 530 reais. No entanto, ele observa que a Saúde terá que reduzir gastos, ou será obrigado a aumentar novamente seu orçamento.
Economia- O diretor de Finanças da prefeitura de Alta Floresta, Creomar Camilo, afirmou que a prefeitura está fazendo redução de gastos, para fechar as contas em dia no final do ano. Segundo ele, a dificuldade da prefeitura é com relação aos recursos próprios, por causa da baixa arrecadação.
No entanto, os recursos vinculados estão sendo feitos regularmente e a prefeitura está com suas contas em dia com os fornecedores e folha de pagamento. “2018 está tranquilo, diferente do ano passado. Estamos com as contas em dia”, observou.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte