Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Prefeitura de Matupá saí na frente e regulariza aterro sanitário do município
Foram implantados sistemas de captação de gás metano, filtragem, contenção de líquidos residuais e de drenagem de águas pluviais
12:10   24 de Outubro, 2018
1fbf8838901d900cd1231b69ec1590c0.jpg

Edeir Junior
Assessoria

A Prefeitura de Matupá através da Secretaria de Meio Ambiente, construiu a 5ª Célula do Aterro Sanitário Municipal que está localizado na Estrada W-50. Entre maquinários, combustível, mão-de-obra e materiais foram investidos aproximadamente R$ 1 milhão de recursos próprios.
A célula que já está em funcionamento pode receber cerca de 18.000 toneladas-dia de resíduos sólidos, tem 113 metros de comprimento, 76 metros de largura e 5 metros de profundidade - a maior de todas as existentes.
Os serviços desenvolvidos pela Secretaria de Meio Ambiente foram supervisionados pelos engenheiros do Departamento Municipal de Licenciamento Ambiental, e obedeceram aos parâmetros, normas técnicas e exigências da legislação.
A vida útil da nova célula está estimada entre três e quatro anos, podendo chegar a oito anos caso haja a inserção do processo de reciclagem de papel, plástico, vidro, alumínio e metais ferrosos, os separando do lixo orgânico, a exemplo das sobras de alimentos.
Toda estrutura recebeu geomembrana que impermeabiliza o solo garantindo que o chorume gerado pelo lixo não infiltre e chegue ao lençol freático provocando a contaminação. Foram implantados sistemas de captação de gás metano, filtragem, contenção de líquidos residuais e de drenagem de águas pluviais. 

Todos esses cuidados são imprescindíveis para aceleração do processo de decomposição biológica do material orgânico sem ocasionar impacto ou degradação ambiental.
Das quatro antigas células do Aterro Sanitário Matupaense, duas já foram fechadas e desativadas por chegarem a capacidade limite de armazenamento de resíduos sólidos. Depois da eliminação de todo potencial poluidor do material, a área deverá ser reflorestada com espécies de árvores nativas, visando a implantação de um banco de sementes.
Graças a gestão comprometida do Prefeito Valtinho Miotto, Matupá está no rol das seis cidades Mato-grossenses possuidoras de Aterros Sanitários Municipais, as demais destinam os resíduos para aterros privados em suas respectivas regiões.
Desde 2010, todos os municípios brasileiros foram orientados a seguir uma política nacional de resíduos sólidos. Matupá saiu na frente antes mesmo da vigor da lei, pois cada cidade deve, além de coletar, dar um destino adequado ao lixo recolhido, que não pode ser um lixão. Os lixões foram proibidos em todo o país.
A administração pública Matupaense está focada no cumprimento das diretrizes e metas para os próximos 20 anos nas áreas de abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem de água pluvial e manejo de resíduos sólidos domiciliares, todos contidos no Plano Municipal de Saneamento Básico. Neste contexto serão promovidas ações de educação ambiental e campanhas de conscientização sobre a coleta seletiva de lixo, como forma de geração de emprego, renda e sustentabilidade.
O que é uma célula de Aterro Sanitário?
O Aterro Sanitário não é um simples depósito de lixo. É um local preparado para receber e dar tratamento final aos resíduos sólidos urbanos (lixo) no solo. O lixo é depositado em células, ou seja, método de disposição em camadas, que busca proteger o Meio Ambiente e a Saúde Pública.
Na construção de uma célula utilizam-se princípios de engenharia para confinar os resíduos sólidos, cobrindo-os com uma camada de terra. Esse método de disposição conta com sistema de impermeabilização da base e das laterais do solo, procedimentos de recobrimento diário e cobertura final; sistema de coleta e tratamento de líquidos percolados, conhecido como chorume; sistema de coleta e tratamento dos gases liberados pelo lixo sob a terra; sistema de drenagem superficial e sistema de monitoramento de todo o processo de tratamento do lixo no aterro.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte