Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Alta Floresta realizará Semana pela não Violência contra a Mulher
Programação será realizada de 3 a 7 de dezembro
16:45   30 de Novembro, 2018
f1433ca6c75e29740ee4c12411487155.jpg

Edemar Luiz Savariz
MT Norte

O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher está divulgando uma extensa programação de atividades que serão desenvolvidas na Semana da Não Violência Contra a Mulher. 
A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Francisca Ilmarli Teixeira, explica que a Semana Municipal Pela Não Violência Contra a Mulher foi instituída por Lei. “Esta semana, de acordo com a Lei, teria que ter início no dia 25 de novembro. Porém, como este dia foi num domingo, resolvemos adiar para a primeira semana de dezembro, ficando a abertura para o dia 3 e o enceramento dia 7”, explica a presidente.
De acordo com a presidente do conselho, o objetivo é reflexão e conscientização. “   Será uma semana de intensa programação. Teremos palestras na Escola Rui Barbosa, no IFMT e sede do SISPUMAF. Na abertura, que acontece no dia 3 na sede do Sintep, teremos a palestra da Dra. Janaina Rebucci Dezanetti, da Vara da criança e do adolescente da comarca de Al

Para Ilmarli, são eventos desta natureza que dão condições de as mulheres não viverem na invisibilidade. “Infelizmente a omissão não é só da mulher, também é do poder público, porque muitas vezes não são oferecidos condições para que ocorram as denúncia”, enfatiza.
“O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher ainda não tem a visibilidade que deveria, porque muitas vezes, ainda não é do conhecimento da sociedade que o município de Alta Floresta tem este conselho. É preciso que nós mudamos esse quadro, não somente com o conselho, mas como instituição e nas ações que o conselho realiza em prol das mulheres que sofrem alguma agressão”, complementa Ilmarli.
Nesta semana de luta pela não violência contra a mulher, Ilmarli chama a atenção de toda a sociedade. “Todos tem que estarem comprometidos com a ‘Não Violência Contra a Mulher’ nas mais variadas esferas da sociedade. É muito importante a participação de todos, inclusive dos homens, porque eles são parceiros das mulheres e nós não podemos desencadear ações se não tivermos também a presença masculina”, disse a presidente.
Ela diz que o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher foi formado  para criar condições para que as mulheres possam se defender. “Precisamos dar suporte às mulheres que precisam deste atendimento e são vítimas de violência. Hoje, as denúncias ainda são tímidas. Ainda não há um quantitativo das agressões que as mulheres alta-florestenses sofrem. Chegam algumas denúncias, mas muitas vezes, não são levadas a diante. Algumas mulheres acabam ficando com medo, outras são coagidas, ou por condição que elas encontram”, explica.
Segundo Ilmarli, algumas mulheres não fazem denúncia, porque se for necessário sair de casa elas não tem para onde ir. Muitas não tem formação e não conseguiram independência financeira. Esse são fatores que deixam essas mulheres em condições de submissão.
DENÚCIA – Às mulheres que sofrem violência podem denunciar através dos telefones 180 que é nacional,  190  da Polícia Militar e o 3521 2086 que é do conselho, também na própria delegacia e encaminhadas ao conselho Municipal dos Direitos da Mulher. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte