Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Em Defesa de Olavo de Carvalho
Esse brasileiro, humilde, caluniado pela esquerda, pela mídia e pelo PT, vilipendiado, foi expatriado para não ser assassinado
11:41   17 de Dezembro, 2018
0479cdb954ef2bdbed36c1d6a9935aef.jpg

Professor Dr. José Antonio Tobias

Quem é Olavo de Carvalho? 
Prezada (o) Leitora (or), três amostras para lhe descrever um pouco quem é Olavo de Carvalho:
Primeira: o Presidente eleito, Jair Bolsonaro, num de seus discursos de posse, em cima da mesa presidencial, ao lado da Bíblia e da Constituição Federal, tinha, bem visível, um livro de Olavo de Carvalho: “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”
Segunda amostra: a revista “Veja”, hoje reduzida a um pasquim de esquerda-comunista, digna de lixo, com seu número do dia 5 de dezembro de 2018 dedicado a denegrir e a caluniar Olavo de Carvalho, por esquisito e paradoxal que seja, na sua tradicional página de best-sellers, entre os dez maiores, oferece dois de Olavo de Carvalho: “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota” e  “ O Imbecil Coletivo ”.
Terceira: o Presidente eleito, seguindo conselho de Olavo de Carvalho, acaba de nomear dois de seus ministros: Ricardo Vélez Rodriguez para o Ministério da Educação e Ernesto Araújo para o Itamaraty 
Autodidata, portanto, sem curso superior, Olavo de Carvalho fez-se sozinho na vida. Foi comunista roxo: “Pertencia à ala marighelista do PCB ( Partido Comunista Brasileiro), assisti de perto à preparação do que viria a ser o movimento guerrilheiro” no Brasil, escreve ele à pagina 291 de seu “ O Imbecil Coletivo”. Para não ser assassinado pelos militantes do PT por causa das verdades que escrevia nos jornais e livros sobre Lula, os políticos e militantes do PT, teve que fugir, com seus oito filhos, para os Estados Unidos, morando desde 2005, até hoje, na cidade de Richmond, capital do Estado de Virgínia.
Sou, há anos, doutor em Filosofia; tenho 24 (vinte e quatro) obras editadas, uma delas, a “Iniciação em Filosofia” em 12.ª edição e leciono Filosofia há mais de meio século mas hoje, no pensamento brasileiro, especialmente no mundo universitário brasileiro, não tiro chapéu para nenhum homem. Tiraria para dois brasileiros, pensadoras, dois amigos, mas que acabam de nos deixar: Miguel Reale e João Cruz Costa, aliás, este comunista.

Contudo, para um autodidata, que passou a vida fora dos muros da Faculdade, para Olavo de Carvalho, sem pestanejar e sem em nada humilhar, nem a mim e nem à Filosofia, tiro o chapéu. Esse brasileiro, humilde, caluniado pela esquerda, pela mídia, e pelo PT, vilipendiado, expatriado para não ser assassinado, é um gênio como o comprovam seus livros, suas ideias e a profundidade e extensão de seus conhecimentos. Além disso, é um literato, isto é, um escritor exímio porque consegue escrever o que deseja com perfeição. Para completar é um homem corajoso, é um daqueles homens “fortes” dos quais a Bíblia não para de elogiar; ele escreve o que a gente, isto é, o que o brasileiro quer dizer; pelo menos o que os 58 milhões de brasileiros que votaram no Bolsonaro querem falar e muita vez não têm chance, nem tempo e nem condições de falar. Por isso é que suas obras são best-sellers. Mais; deixam os brasileiros cheios de alegria e de felicidade e, por outro lado, a turma da esquerda e do PT doidos de raiva, acostumados que estão ao jus sperniendi e ao uso das metralhadoras giratórias da calúnia e da mentira.

Finalizando, se alguém me pedisse para numa linha descrever quem é Olavo de Carvalho, eu responderia, lembrando que Santo Tomás de Aquino, na Idade Média, foi caluniado e perseguido à beça por lutar para introduzir Aristóteles na Teologia Cristã: 
“Olavo de Carvalho é um Tomás de Aquino do século XXI !”
(Nota: Prezada (o) Leitora (or), eu ficaria agradecido se você, através da internet, ou de qualquer outro meio, pudesse fazer chegar esse artigo a Olavo de Carvalho. Ele que, com razão, desce a ripa nos “filósofos”, nas Faculdades de Filosofia e nas faculdade e universidades brasileiros, saberia que existe não um filósofo mas um doutor em Filosofia que, junto com seu povo, em plena Mata Amazônica, defende, admira e pede a Deus que o proteja).

Professor Dr. José Antonio Tobias é diretor da Faculdade de Alta Floresta

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte