Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Projeto que libera nepotismo está em tramitação na Câmara
seria para favorecer o marido da vice-prefeita de Alta Floresta
12:13   30 de Janeiro, 2019
d6abacc4bf729191d0a20e6787eae16a.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Depois do projeto de atualização da Planta Genérica do município, que movimentou o meio político no final de 2018, mais uma matéria polêmica, de autoria do Executivo municipal, foi enviada à Câmara de vereadores. Trata do projeto de lei de número 1.972/ 2019, que altera o artigo 1º da lei municipal número 1.419/2005, que veda o nepotismo na administração municipal, abrindo brecha para a contratação de parentes na administração. 
Caso a lei seja aprovada na Câmara Municipal, a prefeitura poderá contratar parentes em primeiro grau do prefeito, vice-prefeita e secretários para cargos de confiança e comissionados. O projeto foi enviado em regime de urgência e deve ser votado na primeira sessão da Câmara municipal, após o fim do período de recesso, que termina no dia 31 de janeiro. 
Coincidentemente, o projeto foi enviado à Câmara Municipal, após uma notificação do Ministério Público Estadual, através da promotora Dra. Carina Sfredo Damolin, ter notificado e recomendado o prefeito municipal, Asiel Bezerra, a exonerar o ex- vereador Reinaldo de Souza, o Lau, que exercia o cargo de secretário de assuntos estratégico na administração municipal. Lau é esposo da vice-prefeita Marinéia Munhoz. sua contratação, conforme a promotora, configurava como caso de nepotismo.                                                                                                                              Alguns vereadores questionado por Mato Grosso do Norte, responderam que são contra o projeto. A vereadora Cida Sicuto (PSDB) apesar de ser líder do prefeito, disse que é contra o projeto. O vereador Demilson Siqueira (PSDB), afirmou que votará contra. Assim como o vereador Dida Pires (PPS), que também afirmou que é contra a matéria.                                                                  Já o emedebista Elói Crestani afirmou que ainda não decidiu se será contra ou a favor do projeto
Outro parlamentar que ainda não definiu se é contra ou a favor é José Valdeci (PSC) [o Mendonça], que disse que ainda não sabe se votará contra ou a favor. No entanto, disse que o prefeito Asiel Bezerra está precisando de um chefe de gabinete.
“Me informaram que o projeto está na Câmara, mas sem data para votar. Ninguém pediu meu voto, mas estou esperando. Vou conversar com o prefeito e ver o que ele quer com o Lau”, disse Mendonça.
O presidente da Câmara, Emerson Machado (MDB), usou sua página no Facebook para dizer que é contra o projeto. O parlamentar informou que o projeto foi protocolado na sexta-feira na Câmara e que trata sobre a questão do nepotismo. 
“Vereador, prefeito, vice-prefeito e secretários não podem indicar parentes para trabalhar na prefeitura e o projeto abre este precedente. Meu voto é contra, mas temos que aguardar a posição dos demais vereadores”, disse Emerson.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte