Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Pecuaristas de Mato Grosso tem maior custo para abate de animais bovinos
O valor é mais que o dobro do que os pecuaristas do estado vizinho Mato Grosso Sul
11:51   04 de Fevereiro, 2019
412a07d86aa7057745be584174d79578.jpg

Assessoria

Com o novo Fethab, em vigor desde o dia 28 com lei que alterou as alíquotas do Fundo de Transporte e Habitação, os pecuaristas mato-grossenses vão pagar, a partir de fevereiro, R$ 41,47, por animal abatido. O valor é mais que o dobro do que os pecuaristas do estado vizinho Mato Grosso Sul contribuem atualmente: R$ 18,20.
Em uma comparação com outros estados produtores, a diferença da taxação cobrada dos mato-grossenses é ainda maior. Em Goiás, por cada animal abatido paga-se R$ 7,30. Já no Paraná esse valor é ainda menor, sendo R$ 4,30, por animal, e no Pará o custo de abate é de apenas R$ 3,40.
“Nossa competitividade ficou completamente prejudicada. O Governo não levou em consideração o fato de todas as demais contribuições que já arcamos na pecuária", avalia o presidente da Acrimat, Marco Túlio Duarte Soares, se referindo às mudanças propostas pelo setor ao longo do último mês.
Custo crescente- O pecuarista aponta que, além disso, a atividade no Estado tem um custo de produção que só cresce a cada ano.                                                                                                "A conta não vai fechar nos próximos meses e sequer a longo prazo. Fizemos de tudo para mostrar ao atual Governo como a cadeia produtiva da pecuária seria prejudicada com essa alteração na lei, mas foi em vão",                                                                                                    Apesar de não ter ocorrido a unificação do Fethab 1 com o Fethab 2, os produtores vão trabalhar no limite ao longo destes quatro anos, encerra o presidente se referindo às mudanças propostas pelo setor ao longo do último mês. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte