Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Ministério estima queda nos valores da produção agropecuária em 2019
Pela previsão, valor da produção de Mato Grosso deve ser 3,38% menor do que o registrado em 2018
12:07   20 de Fevereiro, 2019
4df74d40805c490a4a12d867f2af0b4f.jpg

Agência Brasil

Dados de janeiro indicam que o valor bruto da produção agropecuária (VBP) brasileira pode alcançar, até o fim de 2019, a marca de R$ 564,3 bilhões. O montante é menor do que o registrado ao longo de 2018, quando foi atingido o valor de R$ 570,3 bilhões. O levantamento ainda informa que 66% do desse total devem ter origem nas lavouras e 34% na produção pecuária.

As informações são do boletim mensal da Secretaria de Política Agrícola (SPA) – estrutura ligada ao Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) – que também traz dados de Mato Grosso. A estimativa é de que o desempenho das lavouras e da agropecuária no Estado também seja menor que no ano passado.

A previsão é de que o valor chegue a R$ 82,8 bilhões, o que significa 3,38% a menos que em 2018, quando o total produtivo do Estado foi de R$ 85,7 bilhões. A soja, carro-chefe do agronegócio em Mato Grosso, perdeu produtividade nos campos, por conta da falta de chuva em várias regiões do Estado. Isso deve se refletir em uma redução de 11,6% no VBP neste ano. Se o número for confirmado, a produção renderá R$ 31,9 bilhões.

Já o milho tem previsão de reduzir 10,9% na arrecadação, rendendo R$ 8,1 bilhões, no mesmo período. Das grandes culturas mato-grossense, o algodão é a única das commodities que deve registrar crescimento. A estimativa é que tenha um aumento de 6,54% e arrecade R$ 22,8 bilhões.

A média nacional demonstra que as lavouras apresentam queda real de 3,1%. Já a pecuária aumento de 3,16%. Com produção de R$ 372 bilhões, as lavouras representam 66% do VBP, enquanto a pecuária produz R$ 192,2 bilhões (34% do índice).

O informativo ainda indica que soja, cana-de-açúcar, milho, algodão e café são as lavouras que têm sustentado o VBP. Na pecuária, os destaques são para a redução de preços de ovos e a queda, pelo terceiro ano consecutivos, dos preços do leite. A contribuição mais positiva deve ser dada por carne bovina, suína e de frango, que juntos equivalem a R$ 151,8 bilhões. Esses oito produtos devem gerar R$ 447,3 bilhões e representam 79% do valor de todas as produções agrícolas.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte