Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
OPINIÃO: Que a Venezuela nos sirva de exemplo
O que acontece na Venezuela pode acontecer a qualquer outro país. A corrupção grassa inexoravelmente e não há riqueza que resista a felonia dos corruptos
19:43   01 de Março, 2019
dbcb311a5df307de17a788a4bcda0cca.jpg

José Vieira do Nascimento

Aquela imagem de um grupo de venezuelanos pegando lixo de um caminhão coletador para se alimentar, reproduzida em vários canais esta semana, deixou muita gente chocada. É impactante ver um semelhante comer lixo para sobreviver.
Triste ver o povo de um país que está sobre as maiores reservas de petróleo do planeta, perder completamente a dignidade, a esperança, massacrados por um regime, vítima da insanidade de ditador inescrupuloso.
Ficamos desolados com o sofrimento dos venezuelanos, esquecendo que no Brasil, a mortalidade em decorrência da fome, é de milhões. Conforme dado da FAO- Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura- mais de 13 milhões de brasileiros passam fome e vivem abaixo da linha da pobreza. 
Porém, que o drama da Venezuela sirva de exemplo para outros países, inclusive para o Brasil, que a corrupção, a ganância pelo poder a qualquer preço, paulatinamente, conduzem qualquer nação para a desestrutura econômica, causando desemprego, fome e desolação.  
Ainda há os esquerdistas refratários que se recusam em enxergar a realidade e culpam o imperialismo americano pela crise na Venezuela. Que este desmonte é porque os Estados Unidos querem tomar posse do petróleo do território venezuelano. 
No entanto, este é o discurso que o sanguinário Nicolás Maduro alardeia para tentar se justificar ante a corrupção que levou seu país a este quadro de horrores. Nicolás é um tirano iníquo, sicário, um ditador gordo, que come finos quitutes e iguarias, mora em palácio, enquanto vilipendia o povo venezuelano, sem nenhum escrúpulo. Quer se perpetuar no poder, manter sua ostentação, à custa da vida de milhares de inocentes. 


Todavia, se engana quem acredita que o que acontece na Venezuela não pode acontecer a qualquer outro país. A corrupção grassa inexoravelmente e não há riqueza que resista a felonia dos corruptos.
Vejamos o que se transformou o Rio de Janeiro, que era um Estado rico, mas que não resistiu a mão grande da trupe do Cabral. Como sabemos, a corrupção naquele Estado contaminou todas as esferas que constituem a ordem e a estrutura organizacional. 
Mato Grosso, outro Estado rico, que sofre as consequências da corrupção que correu solta durante as últimas décadas. Governadores, deputados, conselheiros do Tribunal de Contas, não tiveram parcimônia em dilapidar os cofres públicos. Só não está em situação pior, porque é um Estado rico. 
Mesmo assim, vem dando calote em fornecedores, a Saúde está falida e enfrentado dificuldades para pagar o funcionalismo.
Em que pese o esforço do Ministério Público e de alguns magistrados em combater a corrupção em nosso Estado, nota-se que persevera nas esferas de poder do Estado, muita gente que tem como propósito, fazer as tramoias para roubar dinheiro público. 
São deputados que não foram reeleitos e conseguem permanecer no cargo através da ajuda de apadrinhados, ex-deputados, ex-prefeitos e ex-vereadores, alguns são réus, outros investigados, são contratados para os gabinetes de deputados, senadores e para ocupar cargos na Assembleia Legislativa e no próprio governo. 
E quando vemos a Assembleia Legislativa de Mato Grosso tentar licitar, um valor anual de mais de R$ 1 milhão, para contratar bufê para os deputados comerem iguarias como queijo, risoto de camarão, suflê de bacalhau, torta de salmão, carne de cordeiro andino, fica claro que os deputados que compõem a mesa diretora da Assembleia, se regozijam em seus banquetes, à custa do dinheiro proveniente do sofrido imposto pago pelos trabalhadores. 
Num Estado em que mais de 30 mil pessoas passam fome, não é decente homens públicos esbanjarem tanto dinheiro com esse tipo de luxurias.
Portanto, cabe a nós cidadãos, ficarmos atentos e nos conscientizar no momento de escolher as pessoas que irão nos representar como agentes políticos. Para não nos transformarmos na Venezuela do futuro.

José Vieira do Nascimento é diretor e editor de Mato Grosso do Norte
Email:mtnorte@terra.com.br

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte