Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Agricultores aprendem fabricar defensivos agrícolas de baixo custo em treinamento
Foram apresentadas aos agricultores maneiras naturais de eliminar da lavoura pragas e fungos que comprometem a qualidade dos legumes, verduras e outros alimentos
13:29   04 de Março, 2019
da79dc98a7a8c356d9089077ff3d46c0.jpg

Rosana Persona
Empaer | MT 

Dezoito produtores rurais participaram de uma demonstração prática de como fazer defensivos agrícolas naturais como, por exemplo, calda bordalesa e biofertilizante orgânico. A demonstração foi feita na Comunidade Novo Caminho, no município de Nova Canaã do Norte. O técnico agropecuário da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Cícero Pereira do Nascimento, fala que o objetivo foi disponibilizar novas tecnologias de baixo custo e de fácil manuseio ao produtor rural.

Ele explica que esses insumos são feitos com sulfato de cobre e cal virgem que, diluídos em água, são transformados na calda bordalesa. O produto é recomendado para o controle de doenças fúngicas em hortas e pomares. “O uso é permitido na agricultura orgânica. O sulfato de cobre é um produto pouco tóxico e melhora o equilíbrio nutricional das plantas”, esclarece.

Obter produtos agrícolas mais saudáveis isentos de contaminação por defensivos químicos, reduzir o custo de produção e aumentar a lucratividade foram alguns dos pontos de destaque para a demonstração prática realizada na área do produtor rural João Antônio da Silva Filho.  Numa área de 25 hectares, o produtor possui horta e pomar de laranja, limão e poncã e já utiliza a calda bordalesa de forma eficaz no combate a fungos e pragas.
Segundo Cícero, foram apresentadas aos agricultores maneiras naturais de eliminar da lavoura pragas e fungos que comprometem a qualidade dos legumes, verduras e outros alimentos que são produzidos. Durante a demonstração foi entregue aos produtores um material elaborado pelos técnicos da Empaer, trazendo o passo a passo de como deve ser preparada a calda, além de recomendar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) necessários para o manuseio dos elementos químicos.
O material elaborado pelos técnicos é didático e possui diversas receitas. São compostos preparados pelo agricultor, não são tóxicos e de baixo custo, como calda de cal e cinzas, alho, fumo, sabão e outras utilizadas para combater insetos, formigas, lagartas, lesmas, pulgões e etc. O material também possui, informações sobre diversos biofertilizantes orgânicos. “Os inseticidas naturais podem ser preparados a partir de plantas ou minerais não tóxicos à saúde humana e ao ambiente”, ressalta Nascimento.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte