Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
A Mulher Maravilha dos tempos modernos
A mulher, por uma série de fatores, como hormonais e de natureza fisiológica, tem características diferentes das dos homens
13:05   13 de Março, 2019
2e479fa717557681aa7e613c350814eb.jpg

O filme da diretora Patty Jenkins, Mulher Maravilha, foi o filme de maior sucesso com uma mulher no comando, na história do cinema. Não é coincidência que o primeiro filme de super-heroína dirigido por uma mulher ser também o primeiro a oferecer uma protagonista que não seja mero símbolo sexual. A mulher de hoje está mais empoderada, e com isso vem um pacote de outras coisas que, nem sempre, as nossas heroínas dos dias atuais estão prontas para lidar!
A Mulher Maravilha de hoje tem que conciliar as multitarefas a qual é imposta, como: cuidar do marido, filhos, trabalho, saúde e, não menos importante, da aparência! Todo esse fardo cobrará seu preço, e isso, cada vez mais cedo. 
A mulher, por uma série de fatores, como hormonais e de natureza fisiológica, tem características diferentes das dos homens. A soma de tudo isso a torna mais susceptível a um número maior de patologias. Como prova de tal, o Ministério da Saúde já aponta que 56,3 % das brasileiras estão acima do peso. O que é pior, cerca de 89% delas não praticam atividades físicas e aproximadamente 28% têm hipertensão arterial. Imaginem, essas três características em adição: o produto final será catastrófico! Além disso, as mulheres também estão mais propensas a sofrer de depressão e ansiedade.

O desafio, então, dessa heroína moderna é manter o equilíbrio da sua saúde frente a todos esses fatores adversos. 

Algumas medidas necessárias para alcançar essa harmonia devem ser postas em ação se a mulher atual quiser virar o jogo, e uma delas é começar a perder peso. Isto vai muito além de uma questão estética. A obesidade está diretamente ligada a hipertensão, acidentes vasculares cerebrais, diabetes, doenças cardiovasculares , dentre outras. A boa notícia é que esse é um fator que pode ser mudado, e que, de quebra, pode ajudar a melhorar a pressão arterial e pressupõe que a paciente deva sair da inércia inicial e dizer adeus ao sedentarismo. Além, de ter que mudar radicalmente o seu hábito alimentar. Claro que tudo isso aliado a ajuda de profissionais ligados a cada área, seja um personal trainer, um nutricionista, um nutrólogo ou endocrinologista. 
Com relação ao estresse ao qual está sujeita, levando a quadros de ansiedade e até mesmo depressão, a melhor saída são técnicas de relaxamento, com exercícios de respiração, meditação e massagem. Existem métodos efetivos de diminuição de estresse através da identificação das fontes destes, reestruturação de prioridades e o mais importante, saber identificar experiências positivas e gratificantes que a deixam mais feliz no dia a dia, e claro, colocá-las em prática.
De uma maneira geral, a lutadora tem que ouvir mais músicas, ir ao cinema, sair para dançar, viajar nas férias, enquanto há tempo! Afinal de contas, desde que o mundo é mundo a mulher trava as maiores batalhas, e quase sempre não é valorizada na medida que se deve. Ou a heroína moderna para um pouco de salvar vidas alheias, e começa a pensar mais em si, ou estará fadada a perder todos seus poderes, porque, na vida real nem sempre o final é feliz!
 
Andréia Kruger é graduada em Direito, especialista em direito Agro Ambiental e Alimentos, estudante de Nutrição, coordenadora da Comissão de Responsabilidade Social da Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais  ( BPW Cuiabá- MT)

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte