Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Atletas Paraolímpicos representam Alta Floresta no regional em Uberlândia
Sandro Pereira, Sandro João e Iémersom de Souza participam de regional em Uberlândia no dia 28
20:39   26 de Março, 2019
1e7ebb52112e11c6627233bbce7d780d.jpg

Edemar Savariz 
Mato Grosso do Norte

O IDESP – Instituto Desportivo Educacional Social Presbiteriano- foi fundado na cidade de Alta Floresta, por iniciativa do pastor João Quadra e pessoas ligadas aos ministérios de Missões Indígenas, Missões Urbanas e Departamento Social da Igreja Presbiteriana Renovada. 
Hoje o IDESP atende com modalidades esportivas CEEDA, (Centro Educacional Especializado em Deficiência Auditiva), APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais), Lar dos Idosos, CRÁS (Centro de Referência de Assistência Social). Prefeitura e Escolas.
Três atletas do IDESP estão se preparando e treinando forte para o campeonato regional que acontecerá no próximo dia 28 de março na cidade de Uberlândia, Minas Gerais. A equipe de Alta Floresta, tem ótimas chances de conquistar medalhas e atingir o índice para o campeonato nacional que acontecerá em setembro. 
O atleta Sandro Pereira dos Santos disse que sua missão no regional é conquistar o índice para o nacional. “Estou treinando no projeto do IDESP há dois meses. Vim conhecer o projeto, gostei muito e fiquei treinando junto com o pessoal. Nossa expectativa é de fazer um ótimo campeonato, representar muito bem nosso município e o nosso estado e divulgar o Projeto do IDESP”, disse o atleta. 
O atleta disse que ainda tem poucas pessoas no município que conhecem o projeto. “São atletas paraolímpicos que necessitam de apoio.  É importante que todos venham conhecer e que os empresários e outras pessoas apõem, porque estamos levando o nome de nosso município”, enfatiza. 
“O reconhecimento ainda é pouco. Principalmente por se tratar de um esporte paraolímpico. Nós não temos nem uma  pista adequada para treinar, eu treino no ginásio de esportes, ali dentro equivale a uma pista de 30 metros, para quem corre 100, 200, 400 metros não é o local adequado”, reclama o atleta.
O atleta disse que no campo de futebol Maestrinho tem já o espaço reservado para fazer a pista de atletismo. “É um ótimo local para construir essa pista, tem o projeto, mas nunca foi construído. Se tivesse uma pista, o incentivo ao esporte seria muito melhor e talvez, muitas crianças que hoje estão nas ruas, estariam treinando”, complementa
O atleta do projeto IDESP Sandro João de Souza Machado, atualmente ocupa a quarta posição do Brasil na sua categoria. “Estou há três anos no Projeto do e essa será a minha quarta competição. No ano passado consegui a medalha de Bronze no Nacional e fiquei com a colocação de quarto melhor do Brasil. A meta agora é melhorar para subir no Rank Nacional”, disse Sandro.

Sandro disse que a sua expectativa para esse campeonato regional é trazer algumas medalhas para Alta Floresta e também de atingir o índice para se classificar para o Campeonato Nacional. “Nós estamos indo com três atletas de Alta Floresta, acredito que essa é a única delegação do estado, porque isso ocorreu em todas as outras competições. Nós estamos treinando forte para fazer um ótimo regional e não desapontar a nossa cidade”, complementa.

O atleta disse que o Projeto IDESP tem apoio de algumas pessoas e empresários. “O projeto tem apoio, mas nós atletas em particular não temos. Mas estamos ai trabalhando muito e se alguém se interessar em nos apoiar, que venha conhecer nosso trabalho”, finaliza.
O atleta paraolímpico Iémersom de Souza, que é especialista no jogo de Disco e Dardo, conta que no disco é onde tem mais chance de alcançar o índice para o brasileiro. “Hoje estou conseguindo uma marca de 33 ou 34 metros. Esta vai ser a minha terceira competição e espero conseguir me classificar para o brasileiro”, disse o atleta.
Iémerson atualmente ocupa a sexta coloca colocação do Brasil no arremesso de disco. “Esta é a minha especialidade, mas irei concorrer no arremesso de dardo também”. 
O atleta também chama a atenção da sociedade para a questão de apoio aos atletas. “Nós não temos apoio nenhum. O projeto tem, mas os atletas não, e isso fica difícil para a gente”, finaliza. 
O técnico Vinícius Rodrigues Ribeiro disse que é um trabalho muito gratificante. “Treinar essas pessoas é a certeza de ter resultado porque são todos muito dedicados. A história de cada um deles motiva a vida de cada pessoa que faz parte deste projeto. São pessoas que encontraram no esporte uma razão para continuar a batalhar. É importante que toda a sociedade altaflorestense venham conhecer este projeto e esses atletas”, finaliza. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte