Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Marinha interdita balsa por falta de segurança e região fica isolada
Fiscalização da Marinha detectou problemas na estrutura da balsa e já havia notificado o proprietário para fazer os reparos
12:12   15 de Abril, 2019
e79194ff2148266d1a72e8f2b61e189b.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor Mato Grosso do Norte

A Marinha Brasileira interditou, no último sábado, 13, a balsa Beira Rio, também chamada balsa do Madeseik, no rio Teles Pires, que dá acesso à propriedades rurais e empresas madeireiras no lado do Pará, deixando a região isolada e muitas pessoas sem ter meio de acesso para vir para Alta Floresta.  A fiscalização da Marinha detectou problemas na estrutura da balsa e já havia notificado o proprietário para fazer os reparos necessários. 
Conforme uma fonte do jornal, em datas, anteriores a marinha já tinha comunicado o responsável pela balsa, Luiz Seiki Enokawa, sobre a necessidade dos reparos e ajustes de segurança, conforme determina a lei. Porém, nada foi feito. Em novembro de 2018, a Marinha havia interditado a balsa e apresentou uma lista dos itens que deveriam passar por reparos.
Neste intervalo, técnicos da SINFRA [Secretaria Estadual de Infraestrutura] também foi até o local e comunicou a necessidade de se reparos que haviam sido indicados pela Marinha.  No entanto, conforme a fonte, Sr.  Luiz Seiki Enokawa, fez apenas algumas soldas de chapas no casco da balsa e não seguiu as determinações.
Passado mais de 4  meses da última notificação, a Marinha, na data de 13/04, por volta das 10.30hs ,  lacrou em definitivo a balsa, até que todas as providências de segurança sejam executadas pelo responsável.  
“São mais de 50 imóveis rurais que dependem exclusivamente desta balsa para acessar os seus imóveis rurais, transportar cargas vivas de animais e levar mantimentos. Além disso, tem duas madeireiras instaladas na região, com mais de 40 funcionários.  Ficou tudo isolado para o lado de lá, 04 carretas carregadas com madeira, caminhões vazios que transportavam sal e produtores rurais impossibilitados de transportar gado”, afirmou uma fonte do jornal, que pediu para seu nome não ser revelado. 

Conforme informações da marinha, precisa fazer os reparos para tornar a balsa segura, instalar equipamentos de proteção e colocar operadores de embarcação habilitados. Ou ainda, uma nova balsa dentro das normas de segurança. 

 Segundo a Marinha, a Balsa está totalmente fora das normas legais e o proprietário, Luiz Seiki, sabia e nada fez para corrigir as deficiências.
Enquanto a situação não se resolve, a alternativa dos usuários da balsa será usar um acesso muito precário, pela fazenda Vaca Branca [balsa da Quinta]. Mas a estrada está em péssimas condições.  Passam apenas carros baixos, se forem com muito cuidado. “É uma estrada muito lisa, com muitos declives, perigosíssima. A região do "Travessão" está isolada, via Balsa da  Vaca Branca há bueiros caídos. Via Madeseik, a interdição da marinha é por tempo indeterminado”, diz nossa fonte.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte