Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Projeto proíbe empresas condenadas e investigadas de participar de licitações
Empresário citado em denúncias de irregularidades vai à Câmara antes da sessão
12:04   17 de Abril, 2019
ac2f2e522fd499bff2aeeed8005a2b8f.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor Mato Grosso do Norte

Foi apresentado na sessão desta terça-feira, 16, na Câmara Municipal de Alta Floresta, projeto de lei de autoria do vereador Emerson Machado (MDB), que caso seja aprovado em plenário, proibirá empresas e pessoas condenadas, denunciadas e investigadas, de participarem de licitações para prestar serviços para o município de Alta Floresta.
O projeto deveria ter sido apresentado em regime de urgência especial. No entanto, irá tramitar normalmente, passando pelas comissões da câmara, antes de ser votado em plenário. Com isso, poderá demorar meses até ser aprovado pelos vereadores. 
Conforme um vereador, que pediu para não ter seu nome revelado, alguém vazou a informação sobre a apresentação do projeto para o empresário Luiz Araújo, que vem sendo citado em rede sociais, sobre denúncias de superfaturamentos em licitações de empresas que prestam serviços para a prefeitura de Alta Floresta. E o mesmo esteve na Câmara na manhã de ontem, conversando com vereadores. 
Luiz Araújo é pai de Leandro Araújo da Silva, sócio das empresas que tiveram bloqueios de R$ quase R$ 2 milhões na semana passada, por supostamente, superfaturar preços de produtos em licitações na prefeitura de Alta Floresta.
Porém, o presidente da Câmara disse que o poder executivo explicou que o projeto poderá atrapalhar as obras que estão em andamento no município, como a ponte de acesso ao bairro Cidade Bela.

“Meu desejo era que o projeto tramitasse em regime de urgência especial, mas não podemos atrapalhar as obras em andamento. O projeto tramita na casa e peço que os vereadores façam suas emendas. O objetivo é proteger os recursos do município”, disse Emerson.

Sem citar nomes, o presidente da Câmara afirmou que ‘um empresário citado nas redes sociais sobre as notícias de empresas envolvidas em supostos desvios de recursos’, esteve na Câmara e pediu para se reunir com todos os vereadores, para dar explicações.
Segundo o presidente, o empresário alega que muitas notícias que circulam sobre ele e as empresas ligadas à ele, são falsas. “Ele disse que são fake News e quer apresentar notas fiscais dos pagamentos para todos os vereadores. Vamos marcar a reunião. Queremos ouvi-lo e ouvir também outras empresas investigadas”, afirmou o vereador.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte