Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Governo promete solução para entraves enfrentados pelo Setor de base florestal
1º reunião acontece em Sinop e nova reunião está marcada para a quinta-feira em Cuiabá
12:27   22 de Abril, 2019
e61b73ade45e0ee4e192a6718d5a3b78.jpg

Reportagem
Mato Grosso do Norte

Empresários do setor de base florestal e presidentes dos oito sindicatos patronais da categoria estiveram reunidos nesta terça-feira, 16, em Sinop, com o governador do estado, Mauro Mendes. 
A agenda foi mais uma iniciativa para cobrar a solução de entraves fiscais e tributários que têm afetado o desenvolvimento econômico do setor há meses, sendo tema de recorrentes reuniões com a Secretaria de Estado de Fazenda.
Desta vez, o governador ouviu, dos mais de 20 empresários presentes, relatos das implicações diárias no desenvolvimento das atividades do setor originadas pela cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da tora, cobranças das taxas de licenciamento florestal e de identificação da madeira, além de problemas gerados pela falta de adequação da Lei do Fethab,  dos constantes problemas técnicos nos sistemas online de emissão de notas fiscais e documentos necessários para a comercialização dos produtos florestais. 

Frank Rogieri de S. Almeida, um dos diretores do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem) e vice-presidente do Simenorte - Sindicato dos Madeireiros do Extremo Norte de Mato Grosso- citou o decreto que trata da exportação de pequenas e microempresas, que vem inviabilizando o setor e aumento exorbitante das taxas cobradas pelo governo como licenciamento ambiental, emissão de GF, a taxa de identificação de madeira e emissão de guia. 

“Pedimos socorro e a intervenção do governo em alguns tópicos que estão que há tempo vem castigando o setor de base florestal e que agora foi deflagrado um verdadeiro achaque, como a cobrança indevida do ICMS as tora, onde teremos que pagar duas vezes o mesmo imposto pelo mesmo produto. O decreto de exportação da micro e pequenas empresa está inviabilizando o setor e os aumentos exorbitantes das taxas cobradas pelo governo como as licenças ambientais, emissão de GF e as taxas de identificação de madeira e emissão de Guia”, relatou Frank.
Diante das solicitações apresentadas, o governador se mostrou sensível aos problemas e marcou uma reunião de trabalho com todos os secretários que fazem parte do setor.
 Após ouvir as reivindicações, Mendes garantiu que apresentará uma resposta em relação a cobrança do ICMS da tora, que precisa estar em acordo com a lei do Simples Nacional, na qual estão enquadradas cerca de 95% das empresas do setor florestal mato-grossense. 
Sobre as outras pautas, ficou agendada uma nova reunião, no dia 25/04, em Cuiabá, juntamente com o secretário de Estado de Fazenda, Rogério Gallo, para definir os encaminhamentos necessários. 
“Estamos há vários meses buscando soluções que promovam o desenvolvimento econômico do setor e, consequentemente, do estado. Esperamos que agora, com a promessa do governador, os problemas se resolvam”, reforçou Frank Rogieri.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte