Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Campus do IFMT em Alta Floresta terá redução de R$ 590 mil com corte do MEC
CampUs terá dificuldades para manter funcionamento e haverá redução de serviço
14:41   09 de Maio, 2019
e938ec9d18deccdce4b191df805e22ce.jpg

José Vieira do Nascimento
Editor Mato Grosso do Norte

O contingenciamento de recursos anunciado pelo Ministério da Educação - MEC-  através de decreto do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), irá impactar o funcionamento do Campus do Instituto Federal de Mato Grosso em Alta Floresta, conforme informa o diretor geral do Campus, professor Júlio César dos Santos, em entrevista à Mato Grosso do Norte.
Segundo Júlio, o Campos de Alta Floresta terá uma redução de R$ 590 mil em seu orçamento, referente a verba de custeio e investimento. “Vai atrapalhar muito o funcionamento. Este recurso é usado para serviços gerais, como portaria, limpeza, pagamento de energia elétrica, abastecimento de veículo, vigilância e etc”, pontua, reiterando que o cenário pode afetar as ações já planejadas, impactando diretamente no resultado da instituição junto à comunidade.
O diretor disse que a direção do IFMT irá discutir medidas para a redução de serviços, como demitir terceirizados, serviço de portaria e dos 6 veículos do IFMT, apenas três deverão funcionar, devido a falta de recursos para manutenção e abastecimento de combustível.
Júlio afirma que a partir do mês de setembro, o IFMT em Alta Floresta terá grandes dificuldades para manter seu funcionamento. “Esta medida é extremamente prejudicial para a Educação, principalmente para as faculdades federais e Institutos, espero que o governo federal reveja e volte atrás na sua decisão”, observa.
O problema maior, conforme o professor Júlio, é porque o Campus do IFMT de Alta Floresta, está inserido na categoria de pré expansão, que significa que ainda está no processo de implantação. Por isso, tem um orçamento menor.
“A dificuldade maior será este ano de 2019. A partir do próximo ano é outra categoria e minha expectativa é que as coisas melhorem, porque já estaremos implantados. O problema será manter este ano a partir de setembro, caso não haja o descontingenciamento de recursos”, enfatiza.
O orçamento dos institutos federais vem sofrendo redução desde 2015 e já estava no limite. Mas, conforme Júlio, não havia tido cortes de forma tão drástica como agora. “Minhas expectativas são que melhore, mas estamos num momento de insegurança e não sabemos como irá ficar”, pondera.   
O Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) será afetado com um corte superior a R$ 31 milhões. São 17 campus do Instituo Federal em Mato Grosso que serão afetados com um corte de R$ 31.838.793,00. 

UFMT - A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) deixará de receber R$ 34 milhões do Governo Federal, que anunciou na última semana um corte extra de 30% no orçamento de 2019 para todas as unidades públicas e Instituto Federais do país. 

A UFMT tem 113 cursos de graduação em 33 cidades de Mato Grosso, sendo 108 presenciais e cinco modalidades à distância. Conta ainda com 66 programas de mestrado e doutorado, atendimento 25.435 mil estudantes.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte