Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Detran lança 3º leilão do ano e oferta mais de 600 veículos entre automóveis e motocicletas
Edital prioriza veículos no norte do Estado mas também há veículos na capital
13:06   05 de Junho, 2019
d27de87cb198ca2e3d68bbe503c435c3.jpg

Carolina Alonso 
Detran-MT 

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT) está leiloando 628 veículos, entre automóveis e motocicletas apreendidos e não reclamados há mais de 60 dias em Cuiabá e em cidades do norte do Estado. O edital do Leilão 003/2019 foi publicado no Diário Oficial do Estado nesta segunda-feira (03.06) e pode ser conferido na íntegra no Portal do Detran-MT.
Nesta edição, o leilão acontece simultaneamente em Cuiabá e nas cidades de Nobres, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Vera, Cláudia e Sinop.
Os lances deverão ser ofertados a partir de 05 de junho somente no site da empresa leiloeira www.brbid.com. Para participar, os interessados deverão se cadastrar no site até o dia 20 de junho. Os lances se encerram no dia seguinte, 21 de junho, às 09h, horário local.
As visitações acontecem simultaneamente nos dias 18 e 19 de junho nas Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) nas cidades do interior. Na capital, a visitação será nas mesmas datas no pátio da sede da autarquia e no pátio localizado no Distrito Industrial.
Para o diretor de Veículos do Detran-MT, Augusto Cordeiro, o sucesso com os leilões anteriores motivou o lançamento do novo certame.  “A boa aceitação do público nos credenciou a lançar este novo leilão. Nosso objetivo principal é a de promover a limpeza dos pátios do Detran, não apenas na capital, como no interior do Estado”, disse Cordeiro.
O presidente do Detran-MT, Gustavo Vasconcelos, destacou que a estimativa de arrecadação desta edição é de R$ 1,5 milhão.
“A resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) determina que os valores arrematados sejam utilizados para o pagamento dos débitos na seguinte ordem. Em primeiro, quitam-se dívidas com o próprio Detran, ou seja, com custos do leilão, estadia daquele veículo no pátio, taxas de licenciamento em atraso e multas. Com o que sobra, busca-se pagar o Imposto sobre Propriedades de Veículos Automotores (IPVA), junto à Secretaria de Fazenda (Sefaz)”, pontuou Vasconcelos.

Os valores arrecadados são destinados ao pagamento das pendências financeiras que cada veículo possui com a administração estadual, uma vez que o leilão não pode gerar lucro. Quando o valor arrematado pelo veículo for superior à dívida, é feito o ressarcimento ao proprietário. Porém, quando não há a quitação da pendência, o proprietário do veículo pode ser inscrito em dívida ativa.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte