Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Acadêmico de Enfermagem da FADAF destaca importância do curso em sua formação profissional
12:19   10 de Junho, 2019
e8862357f400f7bd493f7af9f8c1a524.jpg

Sidney da Silva Chaves
Dep. de Comunicação

Alex Leandro Schweig tem 40 anos, acadêmico do quinto semestre do curso de Enfermagem da FADAF. Alex já é Técnico de Enfermagem, agora, com a formação acadêmica a caminho, será muito em breve enfermeiro. Aluno dedicado e compromissado com os estudos, faz o que gosta como relata no texto a seguir.
“Escolhi Enfermagem presenciando o amor que minha mãe como técnica de enfermagem, tinha pelos seus pacientes. Via no brilho dos seus olhos e o amor pela profissão. Com isso optei em cursar o Técnico de Enfermagem e tive toda convicção que era esse caminho que queria para mim. Foi justamente neste contexto que surgiu em Alta Floresta a tão sonhada faculdade de Enfermagem que me fez ir atrás de um novo sonho: o curso superior de Enfermagem”, conta Alex. 
“Após iniciar o curso, aprendi também que, ao entrar em um curso de Enfermagem, não se deve pensar que tudo é baseado em “amor”. É preciso ter empatia, tratar de forma justa todas as vidas que estão sobre minha responsabilidade. Não posso ser mecânico, pois cada dia é uma nova situação vivenciada” diz.
A Enfermagem, segundo Alex, deve ser escolhida por alguém que saiba respeitar e tratar de forma profissional todas as vidas que assim forem destinadas ao seu cuidar. É preciso equilibrar o amor, a profissão e o que ela demanda de você. “Estou aprendendo com auxilio dos meus professores que nem sempre irei amar aquilo que irei presenciar, mas preciso ser integro e profissional acima de tudo. Levo comigo as palavras de uma professora que dizia assim “Aposto que, quando você ver aquele seu paciente curado, vai saber que você contribuiu para que ele estivesse bem.”
“Com a total ajuda dos meus professores e depois de muitas informações adquiridas em sala de aula, comecei a perceber que não é sempre que terei uma infraestrutura de trabalho, principalmente no serviço público. Então, será preciso muito improviso, muita responsabilidade para realizar procedimentos médicos em um paciente. Além disso, fazer um tempo de trabalho além do previsto. Essas e muitas outras obrigações que o enfermeiro terá ao longo dessa caminhada. Sei ainda da importância de se ter paciência para atender e cuidar de pessoas enfermas e de seus familiares que já chegam estressados pela doença”, observa o acadêmico.
Quanto aos exercícios de atuação, o enfermeiro trabalha em conjunto com o médico e com outros profissionais de saúde, estando diretamente conectado aos pacientes. É ele quem presta o primeiro atendimento, quem orienta e quem ministra a medicação. Esse contato direto é altamente satisfatório, pois é do seu trabalho que depende o bem-estar dos pacientes.
“Por tudo isso, sou grato à FADAF por poder concretizar meu sonho, onde a cada semestre percebo que é este o caminho que quero seguir em frente”, declara.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte