Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Após derrota para Austrália, Marta critica arbitragem e VAR:
Melhor jogadora do mundo ainda fala sobre felicidade em estrear no Mundial e elogia desempenho da seleção
21:06   13 de Junho, 2019
1e2e823138211ddabaa62122fbeb7377.jpg
Foto: REUTERS/Eric Gaillard

 

 

Depois da derrota de virada para a Austrália na segunda rodada da Copa do Mundo feminina, Marta criticou muito o VAR e a arbitragem da partida. Na saída da zona mista, a melhor jogadora do mundo chegou a brincar dizendo que "quebraria o VAR", já que nos minutos finais do jogo, a arbitragem deixou de marcar um pênalti para a Seleção

- Triste pelo resultado e por tudo que aconteceu no jogo, mas deixamos claro que temos capacidade de jogar de igual para igual contra qualquer adversário. Poderíamos ter saído com o empate se a árbitra marcasse o pênalti claríssimo, mas não podemos lamentar, porque é parte do jogo - comentou Marta, que, voltando de lesão, só foi confirmada por Vadão horas antes da partida e saiu no intervalo.

Já fora da partida, Marta também falou da reação no banco de reservas e sobre a forma como as jogadoras têm que se portar para que o VAR seja usado para privilegiar as duas seleções.

- Muito triste. A pressão na árbitra tem que partir mais das meninas dentro de campo, mas acho que foi tão rápido que algumas nem viram (o lance). A Andressa, muito focada e sem querer perder tempo, deixou passar, mas isso não pode acontecer, porque, se tem a tecnologia, tem que favorecer pras duas equipes, e prejudicou a gente hoje - avaliou a jogadora.

Na sequência, Marta falou qual foi a reação da seleção com o gol sofrido no primeiro tempo e sobre o que o time deveria ter feito para administrar o resultado. A camisa 10 ainda destacou a importância de Formiga no meio campo do Brasil.

- Primeiro que a gente lamentou muito por termos tomado um gol no final do primeiro tempo. Foi uma jogada muito rápida, e nós tínhamos que ter a sensibilidade de segurar a bola na frente para dar uma esfriada no jogo. Além disso, deveríamos ter voltando mais ligadas. Perdemos o controle do meio de campo, substituir a Formiga é difícil, mas as meninas fizeram o que puderam. Acontece e é do jogo. Se ganhamos estamos juntas, se perdemos também.

Por fim, Marta falou sobre e expectativa e a preparação para o último jogo do grupo, contra a Itália. A Seleção precisa da vitória para não se complicar na busca por uma vaga para a próxima fase da competição. Além das duas melhores equipes de cada grupo, as quatro melhores terceiras colocadas também passam.

- Vamos trabalhar pra isso. Já estava previsto, porque, por mais que eu não estivesse sentindo nada, eu já vinha há bastante dias sem treinar com intensidade. Teve gente no Brasil dizendo que eu vim machucada, mas isso jamais aconteceria, porque eu seria a primeira a pedir pra ir embora. Colocou em dúvida até o meu trabalho com o meu clube - finalizou Marta.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte