Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
'Dificilmente teremos concursos no Brasil nos próximos poucos anos', diz Bolsonaro
Presidente informou neste sábado que o ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu reduzir concursos públicos a poucas áreas, e citou que as exceções são para Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal
12:06   24 de Junho, 2019
a507a0a81f2eac6b78b657dfbeb2299e.jpg

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Jose Cruz/Agência Brasil

 O presidente Jair Bolsonaro informou neste sábado que o ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu reduzir concursos públicos a poucas áreas, e citou que as exceções são para Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal. O motivo seria falta de verba. "Fora isso, dificilmente teremos concursos no Brasil nos próximos poucos anos", afirmou o presidente a jornalistas.

Nesta manhã, o presidente saiu do Palácio da Alvorada rumo ao prédio médico na área do Palácio do Planalto, onde fez exames antes de sua viagem ao Japão, para encontro do G-20, na próxima semana.

O presidente Jair Bolsonaro também criticou projeto de lei na Câmara que transfere a parlamentares o poder de indicar integrantes de agências reguladoras. Segundo ele, a medida vai transformá-lo em uma "Rainha da Inglaterra", que reina, mas não governa.

Articulação política

Após derrotas no Congresso, Bolsonaro reconheceu na sexta, 21, problemas de articulação política entre o Planalto e a Casa. O presidente atribuiu as dificuldades à "inexperiência" e admitiu que teve de adotar o modelo que era usado no Palácio do Planalto de Michel Temer.

O mea-culpa ocorre após editar Medida Provisória que retirou a articulação política das mãos do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM), e transferiu-a para o general da ativa Luiz Eduardo Ramos, recém-nomeado por Bolsonaro para a Secretaria de Governo.

"Quando montamos aqui, no primeiro momento, por inexperiência nossa, tivemos algumas mudanças nas funções de cada um que não deram certo", disse o presidente em entrevista. "Em grande parte, retornamos ao que era feito em governo anterior."

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte