Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Mil e uma linguagens
Com bons trabalhos, Lucas Gutierrez assume vaga de apresentador titular do “Esporte Espetacular”
13:56   12 de Julho, 2019
1d0c6dc41e481aa83ea62d78e96e7eef.jpg

POR CAROLINE BORGES
TV PRESS

Com estilo próprio e uma personalidade extrovertida, Lucas Gutierrez faz questão de ressaltar sua identidade diante das câmeras. Trabalhando com televisão há mais de 10 anos, o novo apresentador do “Esporte Espetacular”, da Globo, e do “Fala Muito”, do SporTV, levou um tempo para descobrir sua originalidade no vídeo. Quando se inscreveu para o processo seletivo de estágio do Grupo Globo, Lucas colocou como sua primeira opção de trabalho a internet, mas sua trajetória dentro da emissora ganhou rumos inesperados. “Escolhi fazer jornalismo para escrever. Mas, na televisão, descobri a edição, o poder de juntar palavra com imagem. Aprendi a fazer as duas coisas juntas, a trabalhar o texto e a editar. Me apaixonei por isso. Sempre fui extrovertido, palhaço na escola e na redação, mas o desejo de aparecer no vídeo foi aparecendo aos poucos, uma daquelas ideias que você vai amadurecendo ao longo dos anos. De certa forma, eu sempre gostei da câmera, apesar de ter demorado a perceber”, explica. A partir deste domingo, dia 9, Lucas assume de forma efetiva a vaga de Felipe Andreoli na produção esportiva. Ele, que já cobria as férias do apresentador titular, dividirá a função com Bárbara Coelho. “O 'Esporte Espetacular' é um programa bem icônico, é um pedaço muito grande da história da televisão brasileira e do jornalismo esportivo brasileiro. Fico muito feliz pelo desafio de poder contribuir com essa história, de colocar um pouco da minha cara nesse programa que é muito maior que todos nós e existe há 45 anos”, elogia.
Recém-chegado ao “Esporte Espetacular”, Lucas tem um longo histórico com o Grupo Globo. Há 13 anos na emissora, o jornalista passou por diversos setores do SporTV antes de chegar à tevê aberta. Após começar como estagiário, ele participou de todas as áreas de produção de conteúdo do canal. “Fui estagiário, editor, escrevo, apresento. Tenho muito orgulho e vejo essa trajetória com muito carinho. Mesmo quando eu saí da empresa para acompanhar a minha esposa quando ela virou correspondente internacional e moramos fora do Brasil, tive portas abertas para voltar. Voltei melhor e fui reconhecido por isso”, valoriza. Além do dominical esportivo, Lucas seguirá à frente do “Fala Muito”. O programa, que nasceu durante a Copa do Mundo da Rússia, mistura a ágil linguagem da internet com a televisão. “A ideia do ‘Fala Muito’ surgiu muito lá atrás, quando surgiu a ideia de trazer para o esporte um pouco do que os comediantes americanos fazem nos seus ‘talkshows’. Um monólogo que tem pensamentos, piadas e atualidades”, ressalta
P – Com a sua ida para o “Esporte Espetacular”, como fica sua participação na produção do “Fala Muito”?
R – Eu ainda estou muito ligado ao “Fala Muito”, é um projeto autoral, e estamos estudando as melhores maneiras para que eu consiga conciliar os dois programas.
P – Você vai ter participação na pré-produção do “Esporte Espetacular”? 
R – Espero poder participar entregando conteúdos autorais. Eu gosto de escrever, gosto de editar e sou apaixonado por linguagem, por criar novas caras e novos formatos e acho que posso contribuir com o “Esporte Espetacular” nesse sentido também. O programa é muito maior que a gente, tem uma equipe gigantesca e competentíssima trabalhando por trás, mas no final os apresentadores acabam ficando a cara do programa também. Então, precisamos dar a nossa contribuição a ele.
P – Você considera o “Fala Muito” o principal ponto de virada da sua carreira na tevê? 
R – Com certeza. Acho que essa virada começa com o “Madruga SporTV”, primeiro na Copa de 2014, depois nos Jogos Olímpicos de 2016, mas tem origem quando eu saio da tevê para morar fora. Foi importante para que eu descobrisse outras coisas e para a tevê me descobrir de outro jeito também. De certa forma, voltei outra pessoa, de brinco, de barba, com camisas estampadas, muito mais autêntico com relação ao que eu sou. Tudo começou com o “Madruga SporTV” e o “Fala Muito” é o pico disso, onde eu posso chegar até o limite do que é o esporte e o que é cultura, arte, social, pensamento e misturar tudo isso, não como um especialista de esporte, mas um experimentador de linguagem.
P – O “Fala Muito” bebe bastante da fonte da internet em seu formato. Você encontrou alguma resistência dentro da emissora para trazer esse tipo de linguagem para a tevê?
R – Não há dúvidas de que o programa segue um ritmo bem acelerado, mas nunca encontramos resistência. A tevê fechada é o melhor lugar para experimentação e incluímos aí esse humor fino, inteligente e sarcástico (sem ofender ninguém) do “Fala Muito”. Por isso, ressalto sempre que o programa tem esse diálogo da televisão com a internet e posto sempre os vídeos nas minhas redes sociais, para que as pessoas possam assistir várias vezes e sempre descobrir coisas novas. Isso é jornalismo, “video making”, televisão, internet, ao mesmo tempo em que também é uma forma de arte. Dá muito trabalho para fazer, é artesanal e tem esse caráter de descobrir coisas novas a cada vez a que se assiste. Isso nos dá muito orgulho. Esse ritmo acelerado pode causar uma estranheza, mas acho que as pessoas se divertem mesmo se não entenderem tudo.
P – O “Fala Muito” conquistou uma repercussão enorme durante a Copa do Mundo da Rússia, virou quadro no “Esporte Espetacular” e também ganhou uma vaga fixa na grade do SporTV. Você sempre acreditou que o programa tinha potencial para crescer em outras áreas?
R – O que me surpreendeu foi a rapidez com que tudo aconteceu. Mas, ao mesmo tempo, eu já estou nesse negócio há tempo suficiente para identificar quando a ideia é boa. Quando eu e Rafael Noronha editamos o primeiro programa da Copa, em uma consequência do que já tínhamos feito de pilotos, eu tinha consciência de que tinha ficado bom, de que tínhamos acertado a ideia. Ele me surpreendeu pela aceitação, pela repercussão, mas eu também enxerguei o potencial dele, especialmente para fazer o meio de campo entre internet e televisão, partindo do princípio que hoje as pessoas consomem televisão de outra forma e que os conteúdos estão espalhados.

"Esporte Espetacular" – Globo – Domingo, às 10h.
“Fala Muito” – SporTV – Segunda a sexta, às 16h20.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte