Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matupá irá eleger nova diretoria
Após mais de 20 anos, Jessicléia e Edvandro não farão parte da próxima diretoria
13:04   19 de Julho, 2019
9797b2628b908bfd4f06de9a21ac387f.jpg

José  Vieira do Nascimento
Editor Mato Grosso do Norte

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matupá, Jessicléia do Nascimento Ferreira, alertou os agricultores do município, com relação a irregularidades constatadas no DAP - Declaração de Aptidão ao Pronaf - em levantamento feito pelo TCU - Tribunal de Contas da União.
Ela explica que o levantamento foi feito em toda o Estado e foi verificado que há diversos casos de trabalhadores rurais de Matupá, que estão com o documento irregular. “Não foram as DAP feitas no Sindicato. Há outros órgãos que também fazem como o INCRA e Empaer”, justifica.
O documento é preenchido com informações dos próprios agricultores. Mas, segundo ela, às vezes as informações são passadas com erros, até por falta de conhecimento dos agricultores. E quando há o cruzamento das informações por parte do TCU, os erros são constatados e as DAP nesta situação, são bloqueadas.
“O agricultor que estiver com a DAP bloqueada, deve procurar o órgão que fez para fazer a correção ou vir aqui no Sindicato. É preciso que se faça a solicitação de um desbloqueio, ter os documentos necessários e o Sindicato tem que fazer o acompanhamento. Portanto, se alguém estiver com o DAP bloqueado deve procurar o Sindicato, o quanto antes. E é importante também buscar as informações para identificar o problema”, alerta a presidente.  

A sindicalista enfatiza que há sérias consequências que implicam com o bloqueio da DAP. Segundo ela, caso o agricultor não procure os órgãos competentes para regularizar o documento, responderá civil e criminalmente e perde o direito de capitar o recurso nos bancos, não tendo acesso ao crédito.

O alerta é direcionado a todos os agricultores assentados nos assentamentos São José União, Padovani, Braço Sul e de todo o município e região, mesmo o agricultores que não são assentados em terras do INCRA.
SIPRA - O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matupá também trabalha com a organização referente ao Sipra - Sistema de Informações de Projetos de Reforma Agrária para cadastrar os agricultores ao sistema do Incra. O objetivo deste trabalho, segundo Jessicléia,  é a organização dos assentamentos, encaminhando a documentação dos assentados para que ele possa ser inserido no cadastro do INCRA. 
De acordo com ela, o Sindicato também está auxiliando os trabalhadores braçais das fazendas e propriedades rurais com os acordos coletivos. O objetivo desta ação é orientar os trabalhadores na busca de seus direitos de melhorias nas condições de trabalho da categoria junto a empresa, regularização do pagamento de horas extras, evitando desentendimento entre padrão e empregados. 
Eleição - O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matupá terá eleição para eleger uma nova diretoria até no mês de dezembro. Todos os associados que estiverem regularizados e que tenham os requisitos necessários exigidos, conformes as normas legais para ocupar o cargo, poderão participar do processo, formando as chapas para concorrer. 
Depois de vários mandatos a frente do Sindicato, na presidência ou fazendo parte da diretoria, Jessicléia e o ex-vereador, Edvandro Augusto Neto, seu esposo que também presidiu o Sindicato por dois mandatos, não irão fazer parte da nova diretoria e vão deixar o espaço para que outros passam assumir a direção entidade.
Ela afirma que o espaço está aberto e qualquer associado que queira participar da diretoria. “Quem tiver interesse tem que se organizar, estar em dia com o Sindicato para atender as normas do estatuto e formar a chapa. Mas tem que ser agricultor mesmo, porque para participar da chapa, tem que comprovar que é agricultor e que mora na área rural”, explica.
Jessicleia e Edvandro estão há mais de 20 anos participando da diretoria do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Matupá, e ambos exerceram o cargo de presidentes da entidade. 
“Queremos adiantar as eleições para antes de dezembro e passar a direção do Sindicato aos diretores que forem eleitos. Vamos continuar ajudando, mas como associado e agricultores. Vamos morar no nosso sítio e como diretores não iremos participar. Já damos a nossa colaboração e cumprimos a nossa missão ao Sindicato e aos pequenos agricultores”, afirma a presidente. 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte