Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Ruth de Souza morre aos 98 anos
A atriz estava internada no Hospital Copa D'Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio.
23:50   28 de Julho, 2019
133c9ef0f99dff0e6c2b086d12b14eaf.jpg

Por O Dia

Tv Globo

A atriz Ruth de Souza morreu, na manhã deste domingo, aos 98 anos. A atriz estava internada desde o último dia 25 no CTI do Hospital Copa D'Or, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. A assessoria da Rede D'Or informou que a artista faleceu às 11h20. As causas da morte não foram divulgadas.

DONA RUTH

Ruth de Souza Ruth, dona Ruth ou Ruthinha, como é carinhosamente chamada, tem mais de 70 anos dedicados ao teatro, TV e cinema. A atriz é reconhecida como a "primeira dama negra no teatro, cinema e televisão".

Ela foi a primeira brasileira indicada ao prêmio de Melhor Atriz em um festival internacional de cinema, por "Sinhá Moça", no Festival de Veneza, em 1954. Além disso, foi a primeira negra a se tornar protagonista em uma novela na Globo, em "A Cabana do Pai Tomás", exibida em 1969.

Neste Carnaval, a Acadêmicos de Santa Cruz fez um enredo em homenagem à atriz. "Me preparei como se fosse estrear uma peça de teatro. Estou muito feliz, mas com medo da chuva estragar tudo", disse a veterana atriz, na sexta-feira de Carnaval ao DIA.

Trajetória da atriz

Ruth de Souza nasceu em 12 de maio de 1921, em Engenho de Dentro, no Rio de Janeiro. A atriz foi a primeira negra a se apresentar no Theatro Municipal e entrou para a Globo em 1968, na novela Passo dos Ventos de Janete Clair.A atriz foi pioneira na televisão e fez mais de 20 novelas na rede Globo em 4 décadas de trabalho. Os destaques de Ruth na telinha foram: Passos dos Ventos (1968), A Cabana do Pai Tomás (1969), Pigmalião 70 (1970), O Bem-Amado (1973), Helena (1975), Sinhá Moça (1986), Mandala (1987), Memorial de Maria Moura (1994) e O Clone (2011).

Ruth participou de programas de variedades e musicais no início das transmissões da Tupi, até adaptar para a televisão, com Haroldo Costa, a peça O Filho Pródigo, que havia encenado no Teatro Experimental do Negro. A primeira novela foi A Deusa Vencida (1965), de Ivani Ribeiro, na Excelsior. Sua trajetória foi marcada por papeis em novelas de época. “Eu adoro fazer novela de época. Exige uma postura diferente, um andar, roupa. Não sou saudosa de passado; é que era realmente muito mais elegante, o espetáculo era mais bonito.”A atriz também atuou no cinema e fez mais de 30 filmes. Ela estreou na telonas em 1948 em Terra Violenta, adaptação de seu romance Terras do Sem Fim dirigida por Tom Payne, por indicação de Jorge Amado. (1948). No mesmo ano, atuou ao lado de Oscarito em Falta Alguém no Manicômio. “O cinema sempre deu mais oportunidade para o negro, desde o Grande Otelo. Eu tive sorte na continuidade de trabalho, tanto no teatro quanto na televisão: não parei nunca nesses 50 anos. Sempre tive trabalho, mas são poucos os negros que têm. Isso foi benção de Deus.” 

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte