Jornal MT Norte
Publicidade
         
                
Homem se entrega e confessa ter matado esposa há 25 anos
11:31   01 de Agosto, 2019
42a647ce750f6d5584e8ec4325311ffa.jpg

O idoso de 64 anos, Jairo Narciso da Silva, foi até a Delegacia da Polícia Civil em Sinop (500 km ao Norte) e confessou que matou a primeira esposa e ocultou o corpo há 25 anos no mesmo município. 

Ele se apresentou à polícia, acompanhado da atual esposa, por iniciativa própria. Agora está sendo apurado o suposto homicídio. Silva confessou que em 1994, matou a esposa, Luzinete Leal Militão de 28 anos, por ciúmes. Segundo ele, o motivo era porque a mulher gostava de sair de noite.

Na época, a mulher tinha um filho de 10 anos de um relacionamento anterior, e um segundo filho de 8 anos, fruto do casamento com o suspeito. O idoso confessou ao delegado, Ugo Angelo Rech de Mendonça, que matou a mulher com uma barra de ferro, quando ela estava deitada em uma cama e depois finalizou asfixiando a vítima até sua morte completa.

Segundo ele, o corpo da mulher foi enterrado no banheiro da casa que estava em obra, junto com documentos pessoais e joias, para simular que ela havia fugido com um amante, argumento este que sustentou todos esses anos junto aos dois filhos.

Ainda em depoimento, o suspeito contou que certo tempo depois vendeu o imóvel para uma terceira pessoa. Esse comprador foi identificado e afirmou a Polícia Civil ter comprado a casa dele.

O delegado disse que foi representado junto ao Poder Judiciário por autorização judicial para escavar o local, visando encontrar os restos mortais da vítima, bem como outras provas que possam comprovar a materialidade dos fatos. 

A Polícia Civil também conseguiu encontrar nos arquivos da Delegacia de Sinop, um boletim de ocorrência feito a mão pelo suspeito, no dia 21 de outubro de 1994, narrando o desaparecimento da esposa. 

“A princípio a chance de localizar o corpo da vítima é bem alta. O suspeito disse que resolveu procurar a polícia, pois bateu arrependimento. Mesmo que o homicídio tenha prescrevido, o crime de ocultação de cadáver é permanente, fato esse que o suspeito poderá ser responsabilizado criminalmente”, destacou o delegado. Os filhos adultos da vítima ficaram sabendo do caso nesta semana.

 
COMENTÁRIOS
© Copyright 2014 Jornal Mato Grosso do Norte